UM CAFÉ NA INTERNET – A Arte Poética. A catacrese. Por João Machado

Um café na Internet

 

 

 

 

 


 

 

 

Desde a antiguidade que se tenta enunciar regras para a arte poética. Mais do que evitar a proliferação de má poesia, procura-se assim descobrir o caminho que permita às pessoas comuns fazerem poesia. Na verdade, esta procura subentende o reconhecimento generalizado da importância da poesia para a vida dos homens. Mais concretamente, para a comunicação entre os homens. Numerosos poetas e pensadores deram o seu contributo neste campo, desde Aristóteles e Horácio Flaco, na antiguidade, até Boileau, Edgar Allan Poe e T. S. Eliot, entre outros, mais recentemente.

 

O poeta francês Jean de Royére, simbolista, seguidor de Mallarmé, na introdução a Clartés sur la Poésie, livro de 1925, editado por Albert Messein, disse estar persuadido de que a poesia é uma repetição e uma catacrese, e que esta última é o elemento essencial, a figura fundamental, a alma da poesia. Ora bem, o que é a catacrese?

 

José Pedro Machado, no Grande Dicionário da Língua Portuguesa, explica que é um substantivo feminino, que vem do grego katakhrisis, pelo latim catachresis, e que é um tropo pelo qual se estende a significação de uma palavra a uma ideia que tem falta de termo próprio, como em “pernas da cadeira”. Por sua vez, Rocha Lima, professor brasileiro, na sua Gramática Normativa da Língua Portuguesa (página 490 da edição de 1967), refere que na figura catacrese ocorre o total esquecimento do sentido etimológico das palavras, e que é a última consequência de outra figura, a metáfora.

 

Rocha Lima recorda-nos ainda que a linguagem figurada, ou tropológica, assenta nas alterações de sentido das palavras, fundamentada no que chama a mais natural das leis psicológicas: a associação de ideias.

 

Talvez haja exagero na definição de poesia avançada por Royére. Mas é um facto que a poesia, como aliás a literatura em geral, contribui grandemente para a renovação e o enriquecimento da linguagem. A procura e a organização das palavras de modo a transmitir o melhor que possível uma mensagem a um auditório, integram o esforço constante do poeta. Outro aspecto do seu trabalho é, sem dúvida, procurar a musicalidade adequada à sua mensagem. Mas aquilo que o termo catacrese procura exprimir, forma sem dúvida uma base essencial para a arte poética.

 

Nota: Este texto já tinha sido publicado no Estrolabio, a 6 de Setembro de 2010, a propósito da “Maratona Poética” que se efectuou dois dias depois. Como introdução, na altura foram publicados textos sobre poetas e sobre a poesia em geral. Este foi a primeira tentativa  de fazer um levantamento das teses clássicas sobre a Arte Poética.



Leave a Reply