Os que não jogam em Portugal…E os que cá não nasceram! – por Carlos Godinho

É cada vez maior o número de jogadores portugueses que vão abandonando o país para jogarem no exterior, um pouco a exemplo do que acontece com outros jovens das mais diversas profissões. À falta de trabalho no local onde nascemos parte-se à busca de mais sorte e melhores condições de vida. Para alguns, os mais talentosos, não será essa a razão maior da sua saída mas sim a necessidade dos clubes fazerem dinheiro. Infelizmente dada a fraca aposta dos nossos maiores clubes na sua formação, poucos têm saído recentemente por esses motivos. Em sentido contrário têm regressado ao país de origem dos seus pais alguns portugueses nascidos no exterior e outros nascidos ou com origem nas ex-colónias têm ingressado na formação dos nossos clubes tendo até alguns atingido a selecção nacional principal. Ainda não se começou a notar o aparecimento de jovens oriundos de países, sobretudo de leste europeu, cujos pais vieram para Portugal em busca de melhores condições e por aqui vão ficando. No fundo um movimento que tem base na globalização do mundo actual onde as fronteiras vão cada vez contando menos. Este assunto não é contudo realidade unicamente portuguesa, e vai acontecendo um pouco por toda a Europa.

Leave a Reply