UM CAFÉ NA INTERNET – E correram os rios – Wanda Ramos

Um café na Internet

 

 

 

 

(1948-1998)

 

E CORRERAM OS RIOS,  Wanda Ramos

Correram como rios as palavras

altas e soltas correram os rios na gente

rios de lava Lisboa inflamada acorrendo fremente

nos dias eu se abriram vinda das faldas vertida

dos dormitórios da cintura fumegante e mecanizada

Lisboa livre acorreu

enxameadas as veias avenida da liberdade

rossio terreiro do paço Belém

– e além na outra banda absurdo o cristo:

braços em cruz impotente –

e correndo os rios cada vez mais latos

até o súbito despedaçar-se da seda contra a amurada

afundadas as olheiras da vigília entornadas

as falas em busca do nexo – e achámos esta sorte

o sangue agitado o tempo:

uníssono o nosso grito

escancarado em cada rua

em passo de estar alerta

uníssono ressoou porém mais fundo.

E assim nos pergunto que águas nos lavaram tão de dentro

e levaram alamedas da liberdade acima

que rios tão feitos de luta e punhos? alegria?

(Diário de 25/4/79)

(In Poemabril, 2ª edição , Coimbra, 1994)

Wanda Ramos – Poetisa, tradutora e ficcionista angolana, nasceu em 1948, no Dundo, e faleceu em 1998. Licenciada em Filologia Germânica pela Faculdade de Letras de Lisboa, em diversos jornais portugueses. Está representada nas antologias Poemabril, Experiência da Liberdade e Companheiro Vasco. A sua obra Percursos (do Luachimo ao Luena), recebeu o Prémio de Ficção, em 1980, da Associação Portuguesa de Escritores. .

 

Leave a Reply