AS IRÓNICAS LIÇÕES DO BUNDESBANK – Segunda parte

 Selecção, tradução e introdução por Júlio Marques Mota

As irónicas lições do Bundesbank – 2ª Parte

 

O Bundesbank  levantou objecções  à potencial compra de títulos da divida pública pela parte do Banco Central Europeu

Evelyn Hermann, BNP, Agosto de 2012

 

Contudo, nos anos de 1975, o Banco Central alemão, quando a procura de títulos da dívida pública de longo prazo caiu drasticamente comprou títulos dos Correios, das Telecomunicações e da dívida pública num valor que terá atingido cerca de 1% do PIB.

Em 1975, o Bundesbank comprou cerca de 7.6 mil milhões de títulos da dívida pública ( em títulos dos correios, telecomunicações, dívida pública ) no mercado secundário . Este valor correspondia a cerca de 1% do PIB.

As compras de activos deram-se no início de 1975 e a maior parte foi comprada entre Maio e Outubro de desse ano através de operações do Banco central  em  open market

Os arquivos do Bundesbank não estão disponíveis online para esta data mas o Deutsche Bank publica este gráfico de barras abaixo reproduzido num seu relatório anual sobre o ano de 1975 e alguns jornais da época também confirmam este facto.

 

Curiosamente, as informações daquele tempo sugerem que o Bundesbank comprou títulos, porque as perspectivas económicas estavam-se a deteriorar seriamente (o PIB diminuiu 0,9% naquele ano) e estava-se a nível oficial muito preocupado com a hipótese de que novos aumentos nas taxas de juros a longo prazo (a partir de uma média de 10,4% em 1974) poderiam ameaçar  o crescimento económico e fazer disparar a taxa de inflação

 A procura de títulos de maturidades mais longas caiu fortemente no Verão de 1975, com os investidores a temerem que a inflação disparasse e anulasse os ganhos esperados dos seus investimentos. Os relatórios da época sugerem que o Bundesbank comprou títulos com vencimentos a 6 anos ou até mesmo mais.

Note que as compras de títulos de dívida pública foram feitas em oposição aos estatutos do Bundesbank porque estas compras implicavam a monetarização da dívida. Além disso, os responsáveis políticos estavam contra esta decisão do banco central alemão. Mas o Presidente do Bundesbank Karl Klasen tinha anunciado “acidentalmente” as compras de títulos numa conferência de imprensa e sentia-se que teria então de arrancar com esta política.

Assim, o Bundesbank teve que ajustar as suas próprias regras. Helmut Schlesinger, conselheiro e economista chefe do Bundesbank, na época, justificou a acção política da seguinte forma: “nós só podemos trabalhar em open market  quando se trata de regular o mercado monetário mas não para financiar o défice público”. Por outras palavras, o Bundesbank necessitou de comprar títulos a fim de manter o canal de transmissão da política monetária. O Bundesbank havia estabelecido uma meta de crescimento monetário para esse ano, o que estava pela primeira vez a fazer, em que ele arriscava estar a errar (o crescimento da massa monetária tinha abrandado para 5,7% em Maio de 1975, abaixo da meta estabelecida para esse ano e que era de 8%).

Existem claras semelhanças entre as situações de 1975 e de 2012. Na sua primeira conferência de imprensa no ano passado, o Presidente do BCE, Mario Draghi, declarou a sua “grande admiração” pelo Bundesbank. Nessa altura, nós suspeitámos que ele pode estar a pensar sobre o sucesso do Bundesbank em termos de inflação ou em termos de metas quanto ao crescimento da massa monetária (embora, efectivamente, o Bundesbank só tenha acertado  nas suas metas em cerca de 50% das vezes. Mas agora que Draghi anunciou potenciais operações do BCE em open market  para comprar títulos do governo, este poderia realmente estar a pensar nas compras de títulos de 1975. Embora não seja surpreendente que o Presidente do Bundesbank Jens Weidmann tenha levantado  as maiores objecções a tal política (a Chanceler Angela Merkel é declaradamente menos crítica nestes últimos dias), a sua oposição à compra de títulos pelo BCE contrasta porém com a história da própria instituição.

Fara aqueles que lêem alemão e estão interessados nas fontes originais vejam então

Der Spiegel: “Der Freund fehlte”, 27.10.1975 http://www.spiegel.de/spiegel/print/d-41392790.html Deutsche Bank Annual Report 1975 http://www.bankgeschichte.de/downloads/gb/gb_1975.pdf

BNP, Agosto de 2012, The Bundesbank  Bond Purchases in 1975.

 

Leave a Reply