PREPARE-SE, PORQUE ESTÁ AQUI O QUE PODE ACONTECER SE A GRÉCIA SAI DO EURO, por Simone Foxman

Selecção e tradução por Júlio Marques Mota

Simone Foxman, Business Insider

Parte I

www.planetofsuccess.com via photosteve101 on Flickr

Há cada vez mais e mais analistas que começam agora a considerar que a Grécia irá deixar a zona euro, tanto quanto os dirigentes da UE continuam a exigir mais e mais austeridade  para lhes concederem a seguir o apoio financeiro e evitar assim a situação de incumprimento.

Fitch Ratings voltou a baixar a Grécia hoje sobre o risco acrescido de que Grécia  irá deixar de fazer parte da União Monetária Europeia, o Citi atribuiu agora  uma probabilidade de 50-75 por cento para a saída da Grécia , a “Grexit”,  os economistas estão a pretender que a Grécia saia rapidamente e mesmo os políticos estão a mostrar  uma indiferença surpreendente quanto à possibilidade de uma saída grega da zona euro.

Enquanto os  analistas têm estado a  especular sobre o que poderá entretanto  acontecer  nós temos estado a compilar  mais e mais factos para analisarmos e reflectir sobre o que poderá  acontecer e que, outrora, nos pareceria uma ideia maluca mas  que agora nos  parece ser uma possibilidade muito plausível.

Nós estamos agora a trabalhar sobre o material recolhido ao longo de meses seguidos de investigação  para compilar o nosso relatório global sobre o  que  significa uma saída da Grécia quer para a Grécia quer para a zona euro  como um todo.

Primeiro, a Grécia aprova  leis sobre a  taxa de câmbio  para um novo dracma.

 y ΠΑΣΟΚ, Flickr

“A saída da Grécia, a Grexit  começaria  efectivamente  com a urgente aprovação de uma lei sobre a moeda nacional através de um decreto de emergência aprovado pelo governo grego  em exercício “, explicou o economista-chefe do Citi, Willem Buiter. O decreto poderia estipular  que a moeda grega tem curso legal  e estipular   uma ou mais taxas de conversão  sobre os   activos.

Grécia teria que aprovar leis a impedirem as  saídas dos depósitos bancários.

Os bancos da Grécia têm estado sujeitos a uma grave fuga de capitais  e em que é provável que esta fuga continue a dar-se, mesmo no caso de o país deixar a moeda euro. Como mostra o gráfico à direita, os capitais  que partem do país desde há anos, intensificou-se no início desta semana como um valor estimado €1,2 mil milhões de euros a ter saído só na  segunda-feira e na terça-feira, de acordo com o FT.

“Na nossa opinião, é muito provável que a saída da Grécia, Grexit, venha a ser  acompanhada pela imposição de controles de capitais apertados. Na verdade,  o Tratado (Art. 63) proíbe quaisquer restrições sobre os fluxos de capital ou sobre pagamentos entre Estados-Membros, mas pensamos que a saída de um país que enfrenta enormes disfuncionamentos nas suas operações internacionais sobre a conta de capital exigiria que seja imposto um controle rigoroso sobre os movimentos de capital, sobre os mercados cambiais e sobre as trocas externas se com esta mesma saída  se quer manter alguma ordem financeira,” escreveu Buiter numa nota em que se  descrevia  uma saída grega em Fevereiro.

É claro, os gregos irão esforçar-se para conseguirem contornar estas leis.

The Economist

Os gregos já estão a tentar   ter nas  suas mãos  mais euros tanto quanto mais aumenta  a probabilidade de uma saída da Grécia,  Grexit.

A desconfiança na nova moeda também criaria um enorme mercado negro.

Milos Bicanski/Getty Images

Estima-se que os gregos façam cerca de 25% das suas actividades em economia paralela para assim evitar o pagamento de impostos. FXNews escreveu que desta realidade  provavelmente resultará uma taxa de câmbio significativamente diferente daquela que for  oferecida pelo Banco Central grego.

O valor do novo dracma irá cair fortemente contra as outras moedas

Citigroup Global Markets

Enquanto a desvalorização da moeda fornece oportunidades de longo prazo para a Grécia aumentar a sua competitividade nos mercados globais, esta pode também implicar um verdadeiro pesadelo no  curto prazo.

Uma rápida inflação dos preços será também desestabilizadora no modo de vida dos gregos, na medida em que os preços disparam, mesmo nos bens mais básicos e na medida em que as suas poupanças de toda uma vida  se  iriam evaporar da noite para o dia .

O que é fundamental na gestão da situação será  impedir a queda livre do novo dracma  através de uma cuidadosa gestão na oferta de moeda mas a pretensão de querer  imprimir mais dinheiro para manter os serviços do governo poderá levar à  hiperinflação.

A agitação política poderá  devastar a Grécia.

Numa manifestação violenta os polícias atiram  mísseis contra os manifestantes e os carros estão a arder, durante violentos confrontos em Atenas. Feb. 12, 2012. (AP Photo/Thanassis Stavrakis)

O ministro grego da Protecção Civil, Michalis Chrysohoidis disse recentemente numa entrevista que a Grécia “vai acabar em guerra civil”, se o país sair do euro. Sav Savouri, economista-chefe do hedge fund Tosca Fund sediado em  Londres  também diz  que a Grécia é uma “sociedade em colapso civil”, e que na sequência de uma saída do euro poderá dar aso a um  golpe  militar: “Em todo  o caso onde isso  aconteceu   são os militares que  vão assumir as funções governamentais. “

A Grécia já tem sido vítima  de  violentos protestos na sequência das fortes medidas de austeridade, e uma mais acentuada recessão económica pode levar a que se  transforme   o grave desânimo que atinge a sociedade grega em mais e mais violentos protestos nas ruas.

(continua)

Leave a Reply