Posts Tagged: crise política

CARTA DE BARCELONA – Despropòsits i propòsits d’un món mal encarrilat – por JOSEP A. VIDAL

    Probablement n’hi ha prou amb l’evidència per constatar la incapacitat de les institucions polítiques, de qualsevol abast, nacional o internacional, i en qualsevol terreny pràctic, ideològic o axiològic, per fer cara amb solvència als reptes que, en el

CARTA DE BARCELONA – Despropòsits i propòsits d’un món mal encarrilat – por JOSEP A. VIDAL

    Probablement n’hi ha prou amb l’evidència per constatar la incapacitat de les institucions polítiques, de qualsevol abast, nacional o internacional, i en qualsevol terreny pràctic, ideològic o axiològic, per fer cara amb solvència als reptes que, en el

O Ódio e o Declínio da Política. Por Heiner Flassbeck

Seleção e tradução de Francisco Tavares   O Ódio e o Declínio da Política  Por Heiner Flassbeck Editado por  em 21 de outubro de 2019 (ver aqui) Originalmente editado em alemão em Makroskop Traduzido para inglês e editado por BRAVE

O Ódio e o Declínio da Política. Por Heiner Flassbeck

Seleção e tradução de Francisco Tavares   O Ódio e o Declínio da Política  Por Heiner Flassbeck Editado por  em 21 de outubro de 2019 (ver aqui) Originalmente editado em alemão em Makroskop Traduzido para inglês e editado por BRAVE

A AMÉRICA LATINA SOB O FOGO DO NEOLIBERALISMO, SOB A PRESSÃO DA AUSTERIDADE – uma nova série – a introdução de JÚLIO MARQUES MOTA

      Meus caros Dado que toda a América latina está sob o fogo do descontentamento popular decidimos com urgência editar uma pequena série de textos  sobre as razões de fundo que estão por detrás do descontentamento popular que

A AMÉRICA LATINA SOB O FOGO DO NEOLIBERALISMO, SOB A PRESSÃO DA AUSTERIDADE – uma nova série – a introdução de JÚLIO MARQUES MOTA

      Meus caros Dado que toda a América latina está sob o fogo do descontentamento popular decidimos com urgência editar uma pequena série de textos  sobre as razões de fundo que estão por detrás do descontentamento popular que

EQUADOR – SPUTNIK NEWS – COMO A CRISE EQUATORIANA PODE ALERTAR PARA A DEVASTAÇÃO NO BRASIL

    Sputnik News, 10 de Outubro de 2019 Selecção de Camilo Joseph   O Equador está passando pela maior crise política no país, tanto que o presidente equatoriano, Lenín Moreno, decidiu mudar temporariamente o governo da capital Quito para

EQUADOR – SPUTNIK NEWS – COMO A CRISE EQUATORIANA PODE ALERTAR PARA A DEVASTAÇÃO NO BRASIL

    Sputnik News, 10 de Outubro de 2019 Selecção de Camilo Joseph   O Equador está passando pela maior crise política no país, tanto que o presidente equatoriano, Lenín Moreno, decidiu mudar temporariamente o governo da capital Quito para

A AMÉRICA VISTA ATRAVÉS DA CRISE EM GERAL E A DO ENSINO EM PARTICULAR – NOVA SÉRIE – A introdução de JÚLIO MARQUES MOTA

  Iremos publicar uma pequena série de 5 textos sobre a crise do  ensino superior  nos Estados Unidos, crise esta ligada necessariamente à crise geral que os Estados Unidos atravessa., intitulada A América vista através da crise em geral e

A AMÉRICA VISTA ATRAVÉS DA CRISE EM GERAL E A DO ENSINO EM PARTICULAR – NOVA SÉRIE – A introdução de JÚLIO MARQUES MOTA

  Iremos publicar uma pequena série de 5 textos sobre a crise do  ensino superior  nos Estados Unidos, crise esta ligada necessariamente à crise geral que os Estados Unidos atravessa., intitulada A América vista através da crise em geral e

A OPINIÃO DE DANIEL AARÃO REIS – OS EUROPEUS ERAM NORMAIS

  Na longínqua manhã de 25 de março de 1957, caía uma chuva fina em Roma. No Palácio do Capitólio, ultimavam-se os preparativos para a cerimônia que daí a pouco teria lugar. No início da noite, uma pequena multidão, guarda-chuvas

A OPINIÃO DE DANIEL AARÃO REIS – OS EUROPEUS ERAM NORMAIS

  Na longínqua manhã de 25 de março de 1957, caía uma chuva fina em Roma. No Palácio do Capitólio, ultimavam-se os preparativos para a cerimônia que daí a pouco teria lugar. No início da noite, uma pequena multidão, guarda-chuvas

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – 2. PARADOXOS EM MACROECONOMIA E A MODERNA ECONOMIA POLÍTICA, por HEINER FLASSBECK – a apresentação do autor por FRANCISCO TAVARES

Apresentação de Heiner Flassbeck por Francisco Tavares Heiner Flassbeck, nascido em 1950 em Birkenfeld na Alemanha, é licenciado em Economia em abril de 1976 pela Universidade de Saarland, Alemanha, onde foi assistente do Professor Wolfgang Stützel em questões monetárias. Obteve

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – 2. PARADOXOS EM MACROECONOMIA E A MODERNA ECONOMIA POLÍTICA, por HEINER FLASSBECK – a apresentação do autor por FRANCISCO TAVARES

Apresentação de Heiner Flassbeck por Francisco Tavares Heiner Flassbeck, nascido em 1950 em Birkenfeld na Alemanha, é licenciado em Economia em abril de 1976 pela Universidade de Saarland, Alemanha, onde foi assistente do Professor Wolfgang Stützel em questões monetárias. Obteve

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – 1.C- SOBRE LAUTENBACH: JÚLIO MARQUES MOTA PUBLICA A NOTA 2 DO TEXTO DE LAUTENBACH COMENTADA PARA UM AMIGO MEU – ANEXO. NOTA 2. – III

Selecção, tradução e comentários por Júlio Marques Mota. Revisão de Francisco Tavares. 1.C- Sobre Lautenbach: aqui publico a nota 2 do texto de Lautenbach comentada para um amigo meu[1]. ANEXO. Nota 2.   O texto em cada enquadrado é a

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – 1.C- SOBRE LAUTENBACH: JÚLIO MARQUES MOTA PUBLICA A NOTA 2 DO TEXTO DE LAUTENBACH COMENTADA PARA UM AMIGO MEU – ANEXO. NOTA 2. – III

Selecção, tradução e comentários por Júlio Marques Mota. Revisão de Francisco Tavares. 1.C- Sobre Lautenbach: aqui publico a nota 2 do texto de Lautenbach comentada para um amigo meu[1]. ANEXO. Nota 2.   O texto em cada enquadrado é a

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – 1.C- SOBRE LAUTENBACH: JÚLIO MARQUES MOTA PUBLICA A NOTA 2 DO TEXTO DE LAUTENBACH COMENTADA PARA UM AMIGO MEU – ANEXO. NOTA 2. – II

Selecção, tradução e comentários por Júlio Marques Mota. Revisão de Francisco Tavares. 1.C- Sobre Lautenbach: aqui publico a nota 2 do texto de Lautenbach comentada para um amigo meu[1]. ANEXO. Nota 2.   O texto em cada enquadrado é a

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – 1.C- SOBRE LAUTENBACH: JÚLIO MARQUES MOTA PUBLICA A NOTA 2 DO TEXTO DE LAUTENBACH COMENTADA PARA UM AMIGO MEU – ANEXO. NOTA 2. – II

Selecção, tradução e comentários por Júlio Marques Mota. Revisão de Francisco Tavares. 1.C- Sobre Lautenbach: aqui publico a nota 2 do texto de Lautenbach comentada para um amigo meu[1]. ANEXO. Nota 2.   O texto em cada enquadrado é a

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – 1.C- SOBRE LAUTENBACH: JÚLIO MARQUES MOTA PUBLICA A NOTA 2 DO TEXTO DE LAUTENBACH COMENTADA PARA UM AMIGO MEU – ANEXO. NOTA 2. – I

Selecção, tradução e comentários por Júlio Marques Mota. Revisão de Francisco Tavares. 1.C- Sobre Lautenbach: aqui publico a nota 2 do texto de Lautenbach comentada para um amigo meu[1]. ANEXO. Nota 2.   O texto em cada enquadrado é a

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – 1.C- SOBRE LAUTENBACH: JÚLIO MARQUES MOTA PUBLICA A NOTA 2 DO TEXTO DE LAUTENBACH COMENTADA PARA UM AMIGO MEU – ANEXO. NOTA 2. – I

Selecção, tradução e comentários por Júlio Marques Mota. Revisão de Francisco Tavares. 1.C- Sobre Lautenbach: aqui publico a nota 2 do texto de Lautenbach comentada para um amigo meu[1]. ANEXO. Nota 2.   O texto em cada enquadrado é a

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – 1A. – DEAMBULAÇÕES EM TORNO DE UM TEXTO DE LAUTENBACH – por JÚLIO MARQUES MOTA

Deambulações em torno de um texto de Lautenbach Por Júlio Marques Mota. Revisão de Francisco Tavares. Esta é à primeira vista uma situação estranha. Editar um texto que traduzi de uma língua de que não conheço uma só palavra que

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – 1A. – DEAMBULAÇÕES EM TORNO DE UM TEXTO DE LAUTENBACH – por JÚLIO MARQUES MOTA

Deambulações em torno de um texto de Lautenbach Por Júlio Marques Mota. Revisão de Francisco Tavares. Esta é à primeira vista uma situação estranha. Editar um texto que traduzi de uma língua de que não conheço uma só palavra que

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – INTRODUÇÃO A UMA SÉRIE DE TEXTOS (4ª PARTE), por JÚLIO MARQUES MOTA

 Júlio Marques Mota (CONCLUSÃO) … E por fim vejamos o último ponto:  E a esquerda oficial americana, terá ela tirado as ilações devidas `com a derrota eleitoral sofrida?  Aqui já escrevemos muito sobre o assunto, pelo que vamos mudar o

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – INTRODUÇÃO A UMA SÉRIE DE TEXTOS (4ª PARTE), por JÚLIO MARQUES MOTA

 Júlio Marques Mota (CONCLUSÃO) … E por fim vejamos o último ponto:  E a esquerda oficial americana, terá ela tirado as ilações devidas `com a derrota eleitoral sofrida?  Aqui já escrevemos muito sobre o assunto, pelo que vamos mudar o

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – INTRODUÇÃO A UMA SÉRIE DE TEXTOS (3ª PARTE), por JÚLIO MARQUES MOTA

 Júlio Marques Mota (continuação) … 6. E a esquerda oficial, que faz ela? Reflete sobre os erros cometidos para procurar uma inversão de marcha ou continua a seguir o caminho que tem vindo a percorrer e que nos trouxe para

CRISE DA DEMOCRACIA, CRISE DA POLÍTICA, CRISE DA ECONOMIA: O OLHAR DE ALGUNS ANALISTAS NÃO NEOLIBERAIS – INTRODUÇÃO A UMA SÉRIE DE TEXTOS (3ª PARTE), por JÚLIO MARQUES MOTA

 Júlio Marques Mota (continuação) … 6. E a esquerda oficial, que faz ela? Reflete sobre os erros cometidos para procurar uma inversão de marcha ou continua a seguir o caminho que tem vindo a percorrer e que nos trouxe para