COMUNA – AGONIA IRREVERSÍVEL

logocombr

 

 

 

comuna - desd_agonia

SINOPSE

Do site da Comuna Teatro de Pesquisa (http://www.comunateatropesquisa.pt/comuna/emcena/agonia/emCenaD.html)

Juan Benet escreveu quatro peças de Teatro. “Agonia Irreversível”, escrita em 1966 e publicada em 1969 em Espanha, dá à palavra a primazia em relação a todos os outros elementos. Próxima do diálogo filosófico, ela põe em cena dois homens que falam entre si. Conversa séria e cómica, a partir de jogos lógicos que são levados quase sempre até à exaustão, sobre temas abstratos: a relação consigo mesmo e a relação com o outro; contradições, solidão, identidade, tirania, submissão, amor…

Cinquenta páginas de uma lenta desagregação, de um combate verbal impregnado de sadomasoquismo “soft” que nunca consegue chegar a um fim. Este combate vai sempre mais longe que um xeque-mate, marcado pelas lembranças e pelos bocejos do desejo, e pelo rol de acontecimentos dos seus restos de vida, pela passagem incontrolável do tempo, por sábias discussões filosóficas sobre a liberdade, o destino, o desejo, o acaso, a infelicidade, a providência, por anedotas de todo o género, “rabellaisianas” ou patéticas, que surgem constantemente do espírito de um e do outro interlocutor.

A morte não venceu a agonia, e a desordem dos sentimentos e a sua perceção é sempre a mesma:

Como George Dandin e como em “À Espera de Godot” a peça de Juan Benet repete em cada ato o mesmo dispositivo, a mesma desesperança, a mesma necessidade da palavra, apesar do desejo de “enfim, perder o interesse por tudo, absolutamente tudo”, reafirma a mesma imobilidade (“O momento em que nada se mexe” é a divisa de ambos) CORPUS – É como se nada tivesse mudado. PERTÈS – Tudo continua como dantes.


AGONIA IRREVERSÍVEL
de Juan Benet

Criação Coletiva
Com Carlos Paulo, João Tempera e Hugo Franco
25 OUTUBRO A 16 DEZEMBRO 2012
QUARTA A SÁBADO ÀS 21H30 e DOMINGOS ÀS 16H00
quartas e quintas Preço Único de 5 Euros

RESERVAS para 21 722 1770 ou rosario@comunateatropesquisa.pt

Leave a Reply