Pentacórdio para Sábado 22 de Dezembro

por Rui Oliveira

 

 

 

igreja-sao-domingos   Vão, como previmos antes, rareando as manifestações culturais públicas, restando apenas quase só o final do Natal em Lisboa 2012 que tem lugar neste Sábado 22 de Dezembro, às 16h na Igreja de São Domingos onde elementos vários ligados à Escola Superior de Música de Lisboa darão um concerto que intitularam “Haendel e Honneger, Dois Olhares sobre o Esplendor do Barroco”.

Coro%20Odyssea   Assim o Coro Sinfónico da ESML, o Coro Infantil do Instituto Gregoriano de Lisboa, o Musaico, o Coro Odyssea (foto), a Orquestra Sinfónica da ESML com a colaboração de Hélia Castro soprano, Joana Nascimento contralto, João Rodrigues tenor e Armando Possante barítono, sob a direcção de Paulo Vassalo Lourenço, irão interpretar de

 

            George Frederic Haendel  Te Deum de Utrecht (1713) HWV 278

            Arthur Honegger  Une Cantate de Nöel

 

4749662401_1e07cfccec   Como afirmam no texto de apresentação “…este programa apresenta-nos uma visão humanista e profundamente universal de duas obras contrastantes. «Te Deum» de Händel foi uma obra composta para celebrar a Paz de Utrecht que pôs fim à Guerra da SucessãoEspanhola (1701-14) … «Une cantate de Nöel» é um fresco que junta diversas melodias tradicionais de Natal cantadas nas diferentes línguas de origem…(que sendo) a derradeira obra composta por Honegger (1953), o autor refere-se-lhe como a sua «última grande alegria, um quod libet dos Natais»… uma mensagem universal que (como na sua obra prima «Jeanne d’Arc au bûcher») representa uma esperança «qui est  la plus forte»”.

   Mostramos-lhe a interpretação integral do Te Deum HWV 278 de Georg Friedrich Händel pela Netherlands Bach Society dirigida por Jos van Veldhoven :

  

   Bem como um bom Finale da cantata de Honneger pelo Monteverdi Choir de Würzburg dirigido por Matthias Beckert na Neubaukirche de Würzburg (Alemanha) em Dezembro de  2007 :

  

 

 

 

 

TheMingusProject_Underdogs_-_Smallnelson_cascais   À noite deste Sábado 22 de Dezembro sugere-se aos amadores de jazz ouvir no Ondajazz, às 22h30, The Mingus Project que ali volta para um novo concerto também chamado “Beneath The Underdog”, numa clara referência ao texto quase autobiográfico publicado pelo compositor em 1971.

   “The Mingus Project”  é o nome que Nelson Cascais, o contrabaixista (foto) que musicalmente o dirige, deu ao grupo que reune Diogo Duque trompete, Ricardo Toscano saxofone alto, Victor Zamora piano e Vasco Furtado bateria e também o título do CD editado em 2012.

Charles_Mingus   Do lendário contrabaixista americano diz o seu émulo português : “Quando, há vinte anos atrás, coloquei o vinil no gira-discos e pela primeira vez escutei o tema Pithecanthropus Erectus algo em mim mudou … e decidi que seria contrabaixista de Jazz. Considero Charles Mingus um dos mais importantes músicos norte americanos do século XX, uma figura incontornável do jazz que, mais do que um excelente contrabaixista foi, inegavelmente, um genial compositor. A sua extensa obra, criada ao longo de 56 anos, fortemente enraizada no Blues e no Gospel, no jazz de Ellington, Bird e Monk, bem como pela música de Schoenberg e Stravinsky, foi frequentemente veículo de protesto contra causas políticas e raciais, simultaneamente tradicional e vanguardista, doce e agressiva, tal como a sua complexa e instável personalidade…”

   Ouçam aqui o The Mingus Project tocar o tema “Pithecantropus Erectus” (e ainda a voz do próprio Charles Mingus) no Hot Clube de Portugal em Março deste ano :

(lembramos que já aqui reproduzimos o tema “Boogie Stop Shuffle” na anterior vinda ao Ondajazz,  ver  http://aviagemdosargonautas.net/2012/05/06/agenda-cultural-de-7-a-13-de-maio-de-2012-3/).

   Como brinde natalício deixamo-vos com o documentário integral que dele fez Don McGlynn em 1998 intitulado “Charles Mingus (1922-79): Triumph of the Underdog” :

 

 

 (para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Quinta aqui)

 

 

 

 

1 Comment

Leave a Reply