UMA OUTRA FORMA DE VIVER O NATAL por clara Castilho

9349741_b7nUl

A um conjunto de crianças, tendo em comum as dificuldades na escola, foi sugerido que pensassem num tema para representarem na festa de Natal. E sai um tema que, depois de ter levado uma ajuda, não no conteúdo, mas na forma da escrita, saiu assim:

O Mundo das crianças

Era uma vez um mundo só de crianças, não havia adultos. Era um mundo onde as crianças não cresciam. Um mundo onde não havia escola, todos brincavam, saltavam à corda, faziam o pino, jogavam à bola.

Neste mundo os meninos faziam tudo sozinhos, faziam a sua roupa, os seus sapatos, cultivavam os seus alimentos na horta e até faziam instrumentos de música para as festas.

A certa altura os meninos questionaram-se:

– Gostas de viver neste mundo?

E chegaram à conclusão que não gostavam. Porquê?

Porque acharam que precisavam de adultos para cuidarem deles e para os ajudarem.

Uma criança lembrou-se:

–  Amanhã é Natal ! Pode ser que haja uma surpresa…

Todos foram para casa dormir, a pensar sobre o assunto. Na realidade todos tinham o mesmo desejo, todos gostariam crescer!

O Pai Natal entrou na casa deles e lançou um pó mágico que realizou o desejo das crianças.

No dia seguinte a surpresa aconteceu, as crianças começaram a crescer e o mundo ficou mais animado porque tinham mães e pais para os ajudar.

DSCF4293

 

 No dia da festa, a A., menina arisca, agressiva para com os colegas, e fugidia à aproximação dos adultos, não arranjou sarilhos, sorriu e andava feliz. Olhando para a sua história pessoal, foi fácil perceber como o facto de ter representado uma criança que encontra pais que ajudem a crescer pode ter contribuído para se sentir mais segura na relação com as pessoas com quem actualmente vive. Podemos perceber como irá transferir essa segurança do local onde a sentiu para o ambiente doméstico e para a comunicação que irá estabelecer. A vivência deste processo – pensar a história, pensar como a representar, representá-la e perceber que foi apreciada pelos outros, assim como a vivência do seu conteúdo, tiveram um efeito terapêutico.

 

Leave a Reply