EDITORIAL – SE SOMOS AUTOSUFICIENTES, POR QUE MOTIVO CONTINUAMOS NA UE?

Imagem2Um amigo e colaborador do Porto caracterizou bem a confusão que vai pela net em geral e pela blogosfera em particular – é o VCI, disse.  VCI, não se refere neste caso à Via de Cintura Interna, onde se verificam os maiores engarrafamentos da área metropolitana da Invicta. Neste caso, significa – Vício de Circularidade Incontrolável… A circulação na rede é, porventura, mais complicada do que naquela via do Porto Por isso, procuramos não ceder a esse vício, pois muito do que circula é material tão fiável como as etiquetas de marca na roupa vendida nas feiras.

Regra geral,  não publicamos essas informações, a não ser quando as podemos confirmar como autênticas. Esta fonte inquinada em que circulam grandes verdades desacreditadas, às vezes, por pequenas mentiras, tem outra característica negativa – um total desrespeito pelo direito de autor. Nós tentamos que o que publicamos, seja autorizado pelo autor e/ou pelo editor. Mas vem esta reflexão a propósito de uma dessas mensagens que garante que Portugal poderia fechar as fronteiras, pois os recursos naturais do país dariam para todos vivermos bem.

Segundo se diz no texto, temos:  A maior zona exclusiva de pesca da Europa; 80% de solo arável, quase totalmente ao abandono; uma rede hidrográfica de apreciável dimensão e grandes reservas de água doce, em aquíferos subterrâneos, .inesgotáveis; as maiores reservas de ferro, da UE, de excelente qualidade;as maiores reservas de cobre da Europa; as maiores reservas de tungsténio (volfrâmio); as maiores reservas de lítio … Etc. etc.  Nem nos atrevemos a transcrever tudo o que ali se diz que temos, pois nos parece riqueza natural a mais para um país cujo povo sempre tem vivido na pobreza.

Porém, mesmo que haja algum exagero, a verdade é que, pensando bem, a questão, se coloca: o que nos obriga a embarcar na história da economia global»? Por que motivo temos de estar numa União Europeia que nos conduziu a uma situação de bancarrota? A Suíça, com menos recursos naturais não entrou. O Reino Unido aderiu, mas da integração só usa o que lhe interessa… O que nos obriga a estar na UE é a ancestral falta de uma classe política honesta e que zele pelos interesses das maiorias. Quando se fala de interesse nacional, essa classe política, vassala do poder económico, está a referir-se ao interesses das mesmas minorias que nos mantiveram sob uma ditadura e nos obrigaram a aguentar uma Guerra Colonial durante 13 anos.

No fundo, é tudo uma questão de perspectiva. O interesse nacional. A democracia. A integração europeia.  Estamos a falar de interesses diferentes. E de países diferentes.

Leave a Reply