Pentacórdio para Sábado 9 de Fevereiro

por Rui Oliveira

 

orquestrasinfonica_grd 

tnsc_arturpizarro_9defevereirode201321h_svenarnstein_990x350   Neste Sábado 9 de Fevereiro prosseguem no Teatro Nacional de São Carlos as comemorações dos 20 Anos da Orquestra Sinfónica Portuguesa (OSP) com um concerto na Sala Principal do Teatro, às 21h, onde actuará o pianista Artur Pizarro, tendo a OSP a direcção musical de Rui Pinheiro.

   O programa escolhido compreende :

 

      Luís Tinoco  Abertura Festiva (obra encomendada para a celebração dos 20 anos da OSP)

      Johannes Brahms  Concerto n.º 2 para Piano e Orquestra, Op. 83

             I. Allegro non troppo

             II. Allegro appassionato

             III. Andante

             IV. Allegretto grazioso

      Joly Braga Santos  Sinfonia n.º 5, Op. 36

             I. Prelúdio

             II. Zavala (Scherzo)

             III. Largo

             IV. Allegro energico ed appassionato

 

   Sendo a obra de Joly Braga Santos menos conhecida (e claramente a distância do concerto de Brahms), divulgamos aqui o 1º andamento daquela Sinfonia nº 5 executada pela homenageada Orquestra Sinfónica Portuguesa, embora dirigida pelo seu maestro fundador em 1993, Álvaro Cassuto :

 

   Os restantes andamentos podem encontrar-se em : http://youtu.be/rgvYC7igL7E  (2º),  http://youtu.be/-e4KEXkk2cU  (3º) e http://youtu.be/Dap_FCCOVu4  (4º).

 

 

 

Pedro Carneiro OCP   Noutro local da cidade, outra orquestra prossegue neste Sábado 9 de Fevereiro o seu Ciclo “Espírito Beethoven”. É a Orquestra de Câmara Portuguesa em residência no CCB que, sob a batuta de Pedro Carneiro, irá, às 21h no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém, cumprir um programa que vai de Haydn avançar até Prokofiev para concluir com Beethoven.

   Explica o programador :

espirito beethoven   Haydn oferece-nos uma sinfonia tempestuosa, mas cheia de requinte. O 2.º andamento, Largo, cria sonoridades escuras, marcadas pelo silêncio, e o breve Presto reserva-nos um desfecho recheado de energia explosiva. Prokofiev é um compositor que tentou criar uma obra simples, enérgica e que resistisse ao tempo … e acertou: é uma das suas obras mais populares, amada pelos melómanos. Peça curta, atinge, no último andamento, um brilho extraordinário, exigindo virtuosismo e precisão da orquestra! Com Beethoven, a obra (escrita quando o compositor estava já muito surdo) tem, ao invés do habitual minueto, um Scherzo enérgico que chocou a sensibilidade da época, pelo carácter excêntrico do último andamento  –  perfeito, no entanto, para a energia e a espontaneidade emocional características desta Orquestra. Tocará então :

 

      Joseph Haydn  Sinfonia n.º 64, em Ré maior, «Tempora Mutantur», Hob.I:64

      Sergei Prokofiev  Sinfonia n.º 1, em Ré maior, op. 25, «Clássica»

      Ludwig van Beethoven  Sinfonia n.º 2, em Ré maior, op. 36

 

   Não havendo (ainda!) registo de qualquer destas obras pela Orquestra de Câmara Portuguesa, mostramos-lhe um flashmob inédito que a OCP dirigida por Pedro Carneiro realizou em 13 de Julho de 2012 à boleia do conhecido eléctrico nº 15 da Carris, exactamente para saudar o “Espírito Beethoven” e o início da nova temporada 2012/2013 :

 

 

 

   No restanto campo musical, três notícias breves:

ANEM_EVE_20100329115037 

   Há, às 17h deste Sábado 9 de Fevereiro, na Sala dos Espelhos do Palácio Foz, uma performance de música e dança ao vivo (de entrada livre) para assinalar o arranque da “Campanha Contra a Mutilação Genital Feminina – MGF” onde, por iniciativa da “Associação Morabeza”, actuará um grupo de canto e dança tradicional africano com relevo para a participação de Vilma Viera canto e Guto Pires canto.

 

   Ali perto, no Rossio, organizado pela EGEAC, há artes circenses e música portuguesa para inaugurar a sua 15ª edição do “Carnaval em Lisboa”.

orelha_negra   Diz a organização que a festa começa às 17 horas com um espectáculo do Chapitô cheio de malabarismos e objectos fantásticos onde, sob o mote Cidadão/Cidadania, parte-se da obra de José Saramago “Memorial do Convento” e da sua relação com os problemas sociais actuais para contar histórias que “vão fazer sonhar”.

    Às 18 horas, ninguém ficará indiferente ao som da banda portuguesa Orelha Negra, numa mistura de groove, funk, soul, disco, hip hop e rock, que aí encerra o ciclo de concertos para apresentar o álbum do mesmo nome editado em 2012.

 

top   À noite, às 22h30 no Onda Jazz, voltam a esta sala Vânia Fernandes & Júlio Resende num espectáculo “Cumplicidades” que , pelo menos desde 2008, vem traduzindo a actuação dos dois artistas, a par de carreiras individuais com sucesso.

   Nesta noite, além da voz de Vânia e do piano de Júlio, estarão no palco João Custodio contrabaixo e Bruno Pedroso bateria.

   Este é um registo antigo de “I Love you porky” em 2009 mas que traduz o seu entendimento :

 

 

 

603991_10152527842365623_993483316_n   Por fim, de entre as diversas NOTÍCIAS EM ATRASO, destacaríamos a ocorrência amanhã, Sexta 8 de Fevereiro, de um dos eventos mais aguardados na celebração do “Ano Brasil Portugal” : a apresentação no espaço da LX Factory (em Alcântara), às 22h30, de “O Teatro Mágico”.

O_Teatro_Magico   Com mais de 8 anos de trabalho e milhares de CDs e DVDs vendidos, a trupe ganhou destaque com o projecto “A sociedade do Espectáculo”, que nada mais é do que o complemento da trilogia da sua Companha Musical, projecto que é resultado do amadurecimento do grupo, com a produção de Daniel Santiago (integrante da banda e parceiro de Hamilton de Holanda).

   Este é um registo (deficiente) duma sua actuação em Sumaré (Brasil) em Julho de 2012 onde nos apercebemos do misto de teatro, circo e show musical que eles representam :

 

 

 

 

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Quinta aqui)

 

 

 

 

1 Comment

Leave a Reply