O ACORDO ORTOGRÁFICO- 11

Em “O Acordo Ortográfico visto desde o N. da Raia”, Carlos Durão explicava de forma muito clara as razões por que os integracionistas galegos são favoráveis ao AO. No sentido de tornar ainda mais compreensíveis essas razões, publicámos em 13 de Outubro de 2011 um novo artigo de Carlos Durão sobre este tema , querido também de Guerra da Cal:Parecer da «Comissão para a Integração da Língua da Galiza no Acordo da Ortografia Unificada» sobre «as bases da ortografia unificada» de 1988, da Academia das Ciências de Lisboa, com vista ao reinício de uma negociação comum entre os países lusófonos, a Galiza inclusive (Comissão presidida por Ernesto Guerra da Cal que nessa qualidade é o primeiro signatário do parecer “Com confiança no futuro da Lingua da Patria e na Patria da Lingua”)

pdf:

http://www.lusografia.org/ao/Doc7.pdf

Intervenção Ângelo Cristóvão, representante da Associação Pró Academia Galega da Língua Portugesa, na Assembleia da República Portuguesa, em 07/04/2008, no contexto da Conferência Internacional Parlamentar sobre o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. Ângelo leu, nesse dia histórico, um comunicado a respeito da posição galega e do papel da futura Academia Galega da Língua Portuguesa (AGLP).

É sabido que as línguas mantêm a sua unidade, principalmente, através de uma ortografia, que permite a realização de diferentes ortofonias. Este é um valor que apreciamos especialmente na Galiza, onde temos o exemplo da língua castelhana, caso em que as decisões em matéria de norma linguística são adotadas conjuntamente por todas as academias da língua, e editadas em textos comuns. Belo exemplo digno de considerarmos. Portanto, a Academia Galega da Língua Portuguesa não deveria ter como objetivo constituir uma terceira norma para a escrita, depois da lusitana e a brasileira. O português galego reflete, em qualquer caso, os nossos traços caraterísticos, nomeadamente no léxico e na pronúncia, a cuja sigularidade deverão habituar-se os lusófonos em geral.

vídeo:

http://blip.tv/reintegrante-tv/ângelo-cristóvão-aglp-assembleia-da-república-portuguesa-4789619

pdf:

http://www.academiagalega.org/images/stories/2008/20080407L-2.pdf

Intervenção de Alexandre Banhos na Assembleia da República Portuguesa, em 07/04/2008, no contexto da Conferência Internacional Parlamentar sobre o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa O texto lido polo, na altura, presidente da AGAL foi consensuado entre as entidades lusófonas galegas: AAG-P, AGAL, AGLP, ASPG-P, MDL.

As Entidades Lusófonas Galegas, que de longo tempo vimos mantendo uma atividade de defesa, ilustração e dignificação do galego, entendido como a variedade da língua portuguesa utilizada na Galiza – o português da Galiza – cientes da necessidade de reforçarmos a unidade da escrita, melhorarmos a coesão da comunidade linguística e a sua projeção internacional, manifestamos a nossa satisfação do Acordo Ortográfico de 1990, gostariamos de falar da adesão da Galiza ao Acordo mas infelizmente nesta altura não é possível, por questões políticas que estão ao além da própria língua e das nossas vontades.

vídeo:

http://blip.tv/reintegrante-tv/alexandre-banhos-na-assembleia-da-república-portuguesa-4789625

pdf:

http://www.academiagalega.org/images/stories/2008/20080407L-1.pdf

Leave a Reply