DOIS POEMAS DE RACHEL GUTIÉRREZ E UM QUADRO DE DORINDO CARVALHO

A escritora brasileira Rachel Gutiérrez, uma nova argonauta que apresentaremos no próximo sábado, oferece-nos dois poemas da sua colectânea Comigos de Mim (1995). A ilustração reproduz um quadro de Dorindo Carvalho.

Borges

 Teu mapa de planetas e pirâmides,

tua bola de cristal, teu astrolábio,

viram nascer, crescer e eternizar-se

espelhos de infinito e da magia

de um céu de labirinto e paradoxo

num pátio de uma esquina de arrabalde

de tua cidade táctil – Buenos Aires,

na hora interminável da leitura

das mil e muitas noites de tua insônia

em que teu cego olhar venceu a sombra

e iluminou o mundo – a Infâmia e o Sonho.

 

Sappho

 A brisa que ainda sopra nos rochedos

não deixará esquecer os ventos negros

que destruíram versos, elegias,

palavras, ritmos, sons e melodias

da décima, entre as musas mensageira

de Eros e Afrodite, a companheira

de Apolo.

 

E hão de cantar o vento favorável

que inchou as velas altas de poesia,

a espuma levantada pelos remos

no azul do mar Egeu, cristal de nuvens,

o néctar cor de fogo dos vinhedos

e ouro da cevada na planura.

Imagem1

1 Comment

Leave a Reply