Celebrando a Ronda dos Quatro Caminhos – 11- por Álvaro José Ferreira

Fado Velho

Letra e música: Popular (Açores)

Intérprete: Ronda dos Quatro Caminhos* (in LP “Fados Velhos”, Contradança, 1986, reed. Movieplay, 1998)

[instrumental]

Esta minha rouquidão

Não é catarro nem tosse:

É o ladrão do amor

Que de mim quer tomar posse.

Anda fado, anda fado,

Anda fado outra vez!

Que eu inda me hei-de vingar

Do que este fado me fez.

[instrumental]

A maçã do acipreste

Não apodrece nem cai;

E o amor que tu me tinhas

Era pouco, já lá vai.

Tantos amores já eu tive

Como estrelas há no céu;

Tantos tive, nenhum tenho:

Foi Fado que Deus me deu.

[instrumental]

A perdiz sube la rocha,

Esmói a pedra c’o bico;

E eu não posso esmoer

Coisas que de mim tens dito.

Bate fado, bate fado

Numa lasquinha de cana;

Que eu já vi tocar lo fado

Lá em baixo em Santana.

Balho da Povoação

Letra e música: Popular (ilha de São Miguel, Açores)

Intérprete: Ronda dos Quatro Caminhos* (in LP “Fados Velhos”, Contradança, 1986, reed. Movieplay, 1998)

[instrumental]

Minha avó quando nasceu

Eu já tinha três semanas;

Já vinha da Povoação

C’um saquinho de castanhas.

Ontem à noite eu fui ao balho

Mai-la minha rapariga;

Eu dei-lhe um beijo na testa

E um beliscão na barriga.

[instrumental]

Minha mãe quando nasceu

Eu já estava em São Vicente;

Minha mão está teimosa

Que nasceu à minha frente.

Oh, que linda rosa é esta

Tenho eu ao pé de mim!

Pelo cheirinho que ela deita

Parece que veio do jardim.

[instrumental]

Nesta terra não é uso

Ir pedir a filha ao pai:

Vai-se pela escada acima,

Senhor sogro, já cá vai!

O balho da Povoação

Quem havia de inventar?

Foi a filha da padeira

Toda a noite a peneirar.

[instrumental]

Delicado Pezinho

Fado Batido

Letra e música: Popular (Beira Litoral)

Intérprete: Ronda dos Quatro Caminhos* (in LP “Fados Velhos”, Contradança, 1986, reed. Movieplay, 1998)

[instrumental]

Todas numa carreirinha…

Ai, as estrelas no céu correm,

Ai, todas numa carreirinha.

Todos numa carreirinha

Ai, assim corressem amores,

Ai, da vossa mão para a minha!

Da nossa terra…

Ó fado, ó lindo fado,

Ai, ó fado da nossa terra!

Ai, é um regalo dançar

Com uma menina donzela!

Ai, ó fado, ó lindo fado,

Ai, ó fado da nossa terra!

Mais amores tenho eu…

Ai, Sete-Estrelas tem o céu,

Ai, mais amores tenho eu.

Mais amores tenho eu,

Ai, quantos mais tenho mais quero,

Ai, foi no que a vida me deu.

Já me esqueceram…

Venham cá amores novos

Ai, que os velhos já me esqueceram!

Foram penas que voaram,

Folhas secas que arderam.

Ai, venham cá amores novos

Ai, que os velhos já me esqueceram!

Uma menina mais eu…

Ai, esta noite andei ao fado

Ai, uma menina mais eu.

Uma menina mais eu,

Ai, como ela não sabia

Ai, todo o trabalho foi meu.

De vos ouvir tocar…

Tocai lo fado batido

Que eu gosto de o ouvir tocar!

Ai, o fado é muito lindo

Mas agora vai-se acabar.

Ai, tocai lo fado batido

Que eu gosto de o ouvir tocar!

[instrumental]

Letra e música: Popular (ilha Terceira, Açores)

Intérprete: Ronda dos Quatro Caminhos* (in LP “Fados Velhos”, Contradança, 1986, reed. Movieplay, 1998)

[instrumental]

Meu delicado pezinho…

Quando toca no caminho

Logo toca o meu também;

Depois vamos conversando,

Nossos pezinhos tocando

Mais felizes que ninguém.

[instrumental]

Esse pé que é o teu

Deve estar ao pé do meu

Namorando a vida inteira;

O meu pé não se acomoda,

Quer ir com o teu à roda

De toda a ilha Terceira.

[instrumental]

Nossos pezinhos rodando,

Passo a passo caminhando

Só ouvindo a tua voz;

E então um pouco a medo

Me disseste um segredo

Que ficou só entre nós.

[instrumental]

Leave a Reply