JUNHO 2014: BILDERBERG EM COPENHAGA, por AURAN DERIEN

02

Selecção e tradução por Júlio Marques Mota

Bilderberg

JUNHO  2014 : BILDERBERG em Copenhaga

 Un avenir radieux pour la finance mondialiste et la mort de l’Europe

Um futuro brilhante para a finança mundializada  e a morte da Europa

Auran Derien. Revista Metamag, 26 de Junho de 2014

O muito secreto grupo Bilderberg reuniu-se de quinta-feira 29  a terça-feira 3 de Junho de 2014 em Copenhaga, onde  trouxe   grande parte  da nata   dos  políticos,  das grandes empresas e das universidades  mundiais. No que diz respeito  aos franceses, foram  sete, incluindo o Presidente da conferência, Henri de Castries (Presidente da Axa), Fleur Pelerin, a actual Secretária de Estado responsável pelo turismo, desenvolvimento e comércio exterior, François Baroin, deputado saído da UMP e ex-ministro da economia, Christine Lagarde, directora-geral do FMI,  Nathalie Nougareyde, ex-directora do Le Monde  recentemente saída, especializada em questões internacionais,  Nicolas Baverez, colunista do  semanário Le Point, e que actualmente faz parte do comité organizador da conferência e Emmanuel Macron que é uma individualidade francesa, banqueiro no  Rothschild desde 2008 e que ocupou  de Maio  2012 a Junho de 2014, as funções de secretário-geral adjunto da Presidência da República para François Hollande.

Bilderberg - II

O diktat já terá sido ratificado pela Europa?

Desde o mês de Abril,  que o governo tem a possibilidade de fazer adoptar, por simples determinação,  todas as reformas legislativas que desejar. É necessário compreender que ele vai alterar o direito dos contratos, por simples decisão sua, em função a partir de ordens recebidas pela “genialstein” de Washington. É então compreensível que os membros de Bilderberg  tenham querido aliciar uma flor do mal encarregada das questões do comércio,  para que esta saiba  arredondar  as arestas para com  os negociadores de Washington.

A morte da Europa

Bilderberg - III

É provável que os membros de Copenhaga não estejam   sempre conscientes do que fazem. Existe leis comportamentais que se aplicam ao qualquer grupo e, por conseguinte, também se aplicam a este. Quando se encontram nos salões do hotel Marriott, descobrem que são diferentes e mesmo desiguais sob algumas relações, para além do cinismo. Formam-se panelinhas, adoptam-se  ideias patéticas  para marcar estas diferenças. No fundo, esforçam-se por  melhorar as suas posições no seio do grupo, ou de enfraquecer a posição de um terceiro. Quando desapareceu todo o verniz civilizacional, toda a alta cultura, toda a formação  filosófica face à vida boa e bonita, então as leis comportamentais primitivas assumem uma importância decisiva. A globalização ocidental, é a destruição de todos os produtos da civilização. Devem por conseguinte alimentar e desenvolver  o aparelho mundializado  que funciona assim em benefício  de  uma parte não negligenciável dos inimigos da Europa e do Ocidente. No mundo dos bilderberg, tudo isto cheira ao mais puro oportunismo. As palhaçadas dos homens dos meios de comunicação social que se convidam  são fundamentais para esconder esta tragédia.

É necessário também convidar os representantes da NATO  deixando  que as suas ideias se infiltrem  por toda a parte. Colocarem em funcionamento simultaneamente  um sistema de arbitragem conclui o panorama do Ocidente num futuro próximo: o pedantismo sem limites  para fascinar os homens de Estado, com a prática das purgas  permanentes, das penalizações usurários fixadas de acordo com o bom grado  de um soviete supremo da finança. Fim da  partida.

________

Ver original em:

http://metamag.fr/metamag-2142-JUIN-2014—BILDERBERG–A-COPENHAGUE-Un-avenir-radieux-pour-la-finance-mondialiste-et-la-mort-de-l’Europe.html

 

Leave a Reply