OBAMA VISTO DO INTERIOR. OBAMA FACE À EVOLUÇÃO DA REPARTIÇÃO DO RENDIMENTO – IVª Parte A GRANDE MENTIRA DOS TEMPOS MODERNOS – por LES LEOPOLD

02

 

Selecção, tradução e introdução por Júlio Marques Mota

Map_of_USA_with_state_names_svg

Obama visto do interior, Obama face à evolução da repartição do rendimento

 

IVª Parte  A GRANDE MENTIRA DOS TEMPOS MODERNOS

 

Les Leopold, Big Lie: America Doesn’t Have #1 Richest Middle-Class in the World: We’re Ranked 27th! | Alternet

Alternet.org, 18 de Junho de 2013

Parte II

(conclusão)

É isto a principal causa face a todas outras que é responsável pelo colapso da classe média?

Sim.  A Organização Internacional do Trabalho publicou um estudo notável, (Global Wage Report 2012-13) que classifica as causas devido às quais os  salários permaneceram estagnados, enquanto os rendimentos das elites  subiram fortemente . O relatório compara as principais  chaves explicativas  como a diminuição do  poder de negociação dos sindicatos, a porosidade das  redes de segurança social, a globalização, as novas tecnologias e a financeirização da economia.

Na sua  opinião qual destas causas teve o maior impacto sobre o profundo alargamento da desigualdade  entre os 1% da população mais rica e os restantes 99%?  e a 99 por cento?

A financeirização!

Esta financeirização o que é?  O economist Gerald Epstein  dá-nos uma definição prática e clara:

” Financeirização significa o papel crescente das motivações financeiras, dos mercados financeiros, dos agentes financeiros e das instituições financeiras a trabalharem  nas  economias nacionais e internacionais.”

Isto inclui tendências tais como:

  • A mudança de comportamento das grandes empresas verificada , durante a década de 1980, em que se passaram a reger como tendo principal objectivo o valor accionista.

  • A desregulação de Wall Street que permitiu a criação de uma vasta gama de novos instrumentos financeiros para a prática de jogos de casino.

  • Os fundos de investimento, private equity, a quem permitiram a  compra de  empresas, que as  carregassem  com dívidas, de lhes extrair retornos enormes e depois  que as abandonassem.

  • O crescimento dos hedge fundos que sugam a riqueza produtiva e a colocam fora da economia.

  • A miríade dos mercados financeiros mal regulados por todo o mundo que financiam a globalização da produção, combinando tudo isto com os acordos chamados de “livre comércio”.

  • O crescimento da parte de todos os lucros das grandes empresas que vão para o sector financeiro.

  • A dimensão crescente dos bancos que os tornam grandes demais para poderem falir.

  • O facto de que muitos dos nossos melhores alunos se andarem a preparar e a escolher cursos de modo a poderem ir trabalhar em Wall Street, em vez de prosseguirem carreiras nas  ciências, na medicina ou na educação.

Em suma, a financeirização verifica-se  quando fazer dinheiro através do  dinheiro se torna mais  importante que o fornecimento de serviços e bens. Abaixo temos um gráfico que é sobre isto bem claro.  Uma vez que nós deixámos desregular  Wall Street, os seus salários subiram em flecha, enquanto os salários de toda a outra gente estagnaram.

Obama - interior - XXVII

Ainda sabemos como lutar contra tudo isto?

O  trabalho citado da OIT fornece mais uma prova que os Occupy  Wall Street têm razão na sua análise quanto ao dinheiro. O movimento OWS teve sucesso   (temporariamente), em grande parte, porque ele assentou no grande  e profundo  reservatório da raiva contra  Wall Street e que se estava a sentir   por pessoas de  todo o mundo. Todos sabemos que os financiadores nos andam a  despejar os bolsos.

Então, porque é que OWS não se tornou então um movimento sustentado, um movimento de massas  para levar ao controlo de  Wall Street?

Uma razão para que ele não tenha crescido  foi que a restante população ficou assente no respeito e consideração pelos  originais manifestantes em vez de o tomarmos todos nós como o nosso próprio  movimento. Como resultado, não construímos um movimento maior com as estruturas necessárias para assumir o poder contra as nossas oligarquias  financeiras. E até descobrir como fazer isso, a riqueza do nosso país vai continuar a ser capturada,  canalizada e desviada para longe. .

A nossa esperança, creio eu, reside nos jovens que estão envolvidos diariamente na luta pelos direitos humanos básicos para todos os tipos de pessoas que trabalham..—trabalhadores temporários, imigrantes, sindicalizados, não sindicalizados, os gays, as lésbicas, os transgéneros.–bem como aqueles que estão a lutar  para salvar o planeta da destruição ambiental. Tudo está ligado.

Nalgum  momento do tempo estes activistas profundamente empenhados  também vão compreender que a financeirização  tanto aqui como no exterior dificulta a acção da  justiça e coloca o nosso planeta em risco. Quando virem a besta, claramente, estou confiante de que irão descobrir como a irão matar.

Quanto mais cedo, melhor.

________

 (This article was originally posted on Alternet.org)

Les Leopold is the director of the Labor Institute in New York and the author of How to Make a Million Dollars an Hour: How Hedge Funds get away with Siphoning off America’s Wealth (Wiley 2013)

Ver o original em:

http://www.alternet.org/economy/americas-middle-class-27th-richest

________

Ver a Parte I deste artigo de Les Leopold, publicada ontem em A Viagem dos Argonautas, em:

http://aviagemdosargonautas.net/2014/10/08/obama-visto-do-interior-obama-face-a-evolucao-da-reparticao-do-rendimento-iva-parte-a-grande-mentira-dos-tempos-modernos-por-les-leopold/

Leave a Reply