NO TEATRO CARLOS ALBERTO, PORTO, “HETEROTOPIA”, DE 26 DE JUNHO A 5 DE JULHO

De 26 Junho a 5 Julho –, no Teatro Carlos Alberto.

As utopias consolam, as heterotopias inquietam. É a advertência de Michel Foucault, que formulou o conceito de heterotopia partindo de “um texto de Jorge Luis Borges que me fez rir durante muito tempo, não sem um verdadeiro mal-estar difícil de vencer”. É a performatividade desta noção – que designa espaços de crise e de desvio ou a sobreposição de lugares incompatíveis e tempos heterogéneos – que Emanuel de Sousa explora em cena, partindo de textos de Tiago Patrício e do derradeiro livro da Bíblia, o Apocalipse. Seguindo-se a u to piaTM e a dystopia, estreados em 2013 e 2014, heterotopia encerra a Trilogia do Lugar, na qual o Ponto Teatro experimentou o cruzamento de textos dramáticos e não-dramáticos, clássicos e contemporâneos, e a contaminação de várias linguagens artísticas, como o teatro, o movimento e o vídeo.

Heterotopia_ L_460-252

É a performatividade da noção de heterotopia – que designa espaços de crise e de desvio ou a sobreposição de lugares incompatíveis e tempos heterogéneos – que Emanuel de Sousa explora em cena, partindo de textos de Tiago Patrício e do derradeiro livro da Bíblia, o Apocalipse.

direcção artística, encenação, dispositivo cénico, desenho de luz – Emanuel de Sousa

textos – Tiago Patrício, Emanuel de Sousa

dramaturgia (em colaboração com os intérpretes) – Emanuel de Sousa 

banda sonora original – João Dorminsky

figurinos e adereços – Patrícia Sousa

assistência de movimento – André Mendes

interpretação – André Mendes, Daniela Gonçalves, Olinda Favas, Rita Vieira

participação especial – José da Silva Fernandes

coprodução – Ponto Teatro, TNSJ

apoios – O Espaço do Tempo, Companhia Instável

Espetáculo em língua portuguesa, legendado em inglês.

Teatro Carlos Alberto – Rua Oliveiras 43  – 4050-449 PORTO

Leave a Reply