REVISTA DA SEMANA por Luís Rocha

revista semana

Revista da semana

 De 01/11 a 07/11/2015

NA PRÓXIMA SEMANA QUE GOVERNO TEREMOS?

 A nível nacional as negociações do “ACORDO DA ESQUERDA” dominaram as notícias da semana e animaram os comentadores dos vários quadrantes jornalísticos e políticos. Na quinta feira Ricardo Costa no Expresso diário comentava com o título Assim se vê a força do PCP”

Puxo para título uma palavra de ordem que todos conhecem. Não porque seja nova ou se ouça muito na rua, mas porque está no centro das discussões políticas, dos reluzentes corredores parlamentares ao mais simples café de Portugal. A pergunta é simples: então, vai ou não haver acordo à esquerda?

Nos últimos dias a análise política portuguesa desenvolveu cursos rápidos de semiótica marxista. Há quem veja no sobrolho de Jerónimo Sousa um sim, mas há quem vislumbre no seu sorriso um não. Há quem discorra profundas reflexões sobre as diferenças de comportamento e linguagem do PCP e do Bloco. Perdoem-me, mas só quem não percebe patavina da extrema-esquerda é que fica espantado com essas diferenças. Basta ter lido um livro de história do séc. XX ou ter lido jornais nos anos 80 e 90.

Nas publicações que fiz (nas duas semanas anteriores) da Revista da Semana, referi sempre que o PCP seria o decisor do “acordo”. Chamei-lhe até “O Vencedor das eleições de 4 de Outubro”.

Como se viu António Costa fez a entrevista na SIC sobre a situação do acordo e o PCP remeteu para hoje (domingo) a decisão final.

Parte técnica está fechada. Falta o acordo político entre PS e PCP

Octávio Lousada Oliveira e Miguel Marujo/DN (07/11/2015)

FILIPE AMORIM/GLOBAL IMAGENS – Costa desiste da TSU. Já há acordo para repor os quatro feriados extintos. O salário mínimo vai aos 600 euros, mas só em 2019

Quarenta anos depois de Álvaro Cunhal atirar o seu “olhe que não, olhe que não” a Mário Soares, o PCP respondeu ontem – no exato dia em que se realizou, em 1975, o debate histórico entre os dois políticos – sim a uma “posição conjunta” com o PS para uma governação de esquerda em Portugal.

E foi esse entendimento que António Costa, secretário-geral socialista, foi explicar à televisão, um pouco antes da hora em que Francisco Assis reunia os críticos desta opção do PS.

O líder assegurou, na SIC, que “está fechada a parte mais difícil e importante do acordo, que tem que ver com as partes programáticas”, ficando a faltar a “garantia” de que “haja estabilidade ao longo da legislatura”, de que os socialistas possam “governar para quatro anos”. “Essa dimensão não está garantida”, admitiu. Mas, depois de conhecida a proposta do PCP, Costa diz que este documento “é um sinal de confiança de que, até segunda-feira de manhã”, haverá o texto final.[…]

Fim de semana alucinante

A parte técnica está fechada, mas o acordo político continua ao lume, uma vez que a proposta que o PCP enviou ontem para o Largo do Rato não satisfez por completo o PS. Costa quer ver preto no branco uma vinculação dos comunistas a alguns compromissos internacionais, a posicionamentos comuns em moções de censura e confiança, algo que na Soeiro Pereira Gomes não é propriamente pacífico.

Os partidos terão 48 horas a todo o gás. Além da Comissão Nacional de hoje (07/11/2015), o PS reúne amanhã a Comissão Política Nacional, o mesmo dia em que Jerónimo de Sousa “enfrenta” o Comité Central e expõe as linhas do acordo. No BE, Marisa Matias apresenta a sua candidatura a Belém. Afinal, este é também o tempo das presidenciais.

Segunda e terça-feira será rejeitado o programa do governo PSD–CDS – não se sabe quantas moções serão apresentadas – e aí volta a ser o tempo do ainda Presidente da República. O que fará Cavaco?

Ler todo o artigo em: http://www.dn.pt/portugal/interior/parte-tecnica-esta-fechada-falta-o-acordo-politico-entre-ps-e-pcp-4874025.html

Ontem (7/11/2015) o Partido Socialista apresentou o programa de governo, noticiado pelo DN/Lusa

PS já divulgou programa de governo

TIAGO PETINGA/LUSA – Veja aqui as principais medidas negociadas com BE, PCP e Verdes. PS acredita que défice ficará já este ano nos 2,8% […]

Veja as principais medidas

Privatizações

– TAP fica nas mãos do Estado.

– Defende-se o reforço das competências das autarquias locais são anuladas as concessões e privatizações nos transportes coletivos de Lisboa e Porto.

PS mantém que maioria do capital da TAP fica no Estado

Salário Mínimo

– Em quatro anos será colocado nos 600 euros

– 530 euros é o valor prometido para 2016 e 557 euros para 2017

PS compromete-se a aumentar salário mínimo para os 600 euros em 2019

Feriados

-5 de outubro e 1 de dezembro voltam a ser feriados. Os religiosos serão negociados com o Vaticano.

PS compromete-se a repor em 2016 feriados que foram eliminados

Ciência

– Relançar investimento na área, para “devolver visão de futuro ao país”

Combate ao desemprego científico e uma nova avaliação

Segurança e Justiça

– São várias as promessas, nomeadamente libertar o maior número de elementos das forças de segurança para trabalho operacional ou a aplicação um “choque de gestão” ao sistema judicial.

Saúde

– Taxas moderadoras vão baixar

– Alteração é Lei do Aborto será revogada

Pensionistas

– Pensões serão actualizadas

– Complemento Solidário será aumentado.

Crédito à habitação

– São proibidos juros “desproporcionados” a quem demore a fazer os pagamentos.

– Famílias endividadas não perdem a casa. Acabam-se as penhoras e execuções fiscais

IMI

– Valor dependerá dos rendimentos de casa pessoa. Obejtivo é tornar este imposto progressivo e travar aumentos/ano que excedam os 75 euros.

IVA da eletricidade

– 500 mil famílias vão ter direiro a tarifa social.

IVA da restauração

– Passa para os 13%.

TSU

– Redução até 4% nos salários inferiores a 600 euros

– Não desce nas empresas.

IRS

– Mais escalões para aumentar a progressividade (forma final depende de grupo de trabalho a criar)

– Aumento dos benefícios fiscais

– É eliminada a regra do “quociente familiar” e criada a regra da dedução por filho.

Abono de família

– São repostos os valores de 2011

RSI

– São repostos os valores de 2011

Sobretaxa

– Valor de 3,5% é cortado em 50% no próximo ano. Em 2017 já não existirá.

Função Pública

– A promessa é a de devolver a cada três meses 25% do que foi cortado nos salários até à reposição integral no final do próximo ano.

– Descongelar as carreiras em 2018

– Consagrar, de novo, regime das 35 horas de trabalho por semana.

Artes e Cultura

PS garante manutenção da coleção Berardo em Portugal

– Intenção de “integrar o audiovisual, imprensa, rádio e novos media na esfera da cultura”. E, dentro deste ítem, cabe a valorização da RTP em todas as suas vertentes;

– “Redefinir” as regras e procedimentos de concessão de apoios, por exemplo transferindo “para o nível de decisão regional competências de tutela patrimonial e de apoio à criação de âmbito territorial local”;

– “Instituir a gratuitidade de acesso aos museus e monumentos nacionais para jovens até aos 30 anos, durante os fins de semana e feriados”.

Ler todo o artigo em: http://www.dn.pt/portugal/interior/ps-ja-divulgou-programa-de-governo-4874590.html

Costa remete para a Comissão Política de domingo última palavra sobre executivo do PS

Diário Digital (07/11/2015)

O secretário-geral do PS afirmou hoje que a Comissão Política dos socialistas, no domingo, avaliará as condições políticas de estabilidade ainda em negociação com PCP, Bloco e «Os Verdes» para a existência de um Governo de legislatura.

António Costa falava na reunião da Comissão Nacional do PS, em que está em apreciação o programa de um Governo socialista com apoio parlamentar do PCP, Bloco de Esquerda e «os Verdes» – um documento que o secretário-geral do PS caraterizou como «coerente, com medidas consistentes» e que «respeitam os compromissos internacionais de Portugal, designadamente no quadro da zona euro.

Mas António Costa salientou também que nem tudo está fechado nas negociações e deixou uma advertência clara: »Não estou disponível, o PS não está disponível, para formar um Governo que não tenha reais condições de poder ser um Governo de legislatura«.

Diário Digital / Lusa

Ler o artigo em: http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=797884

Ao mesmo tempo e, tal como para as eleições, foram feitas sondagens que na sexta feira (06/11/2015), antes da entrevista de António Costa na SIC o Expresso, com texto de Bernardo Ferrão e infografia de Ana Serra Sondagem publicou com o título:

“maioria acha que Governo de esquerda vai avançar”

De acordo com os dados da Eurosondagem, 55,7% dos portugueses acredita que vai haver um governo de esquerda

HÁ GOVERNO DE ESQUERDA?

A maioria dos inquiridos, 55,7%, diz que sim. Pode até não concordar com essa solução, mas acha que depois de tudo o que se está a passar, acabará por existir um governo de esquerda — esta sondagem foi feita antes de ser conhecido o entendimento com o BE. Ainda assim, os portugueses estão literalmente partidos ao meio sobre o que deve fazer Cavaco Silva perante a rejeição do programa de Governo de Passos Coelho e Paulo Portas. Metade quer que a direita fique em gestão e a outra metade — com mais 1,1% — considera que António Costa deve ser indigitado pelo Presidente da República.

A profunda divisão dos inquiridos volta a sentir-se na resposta à pergunta sobre se acreditam que é possível conciliar os programas dos três partidos à esquerda. Pelo sim estão 41,2%, pelo não 42,7%. Um ponto em que a direita e alguns socialistas, com Francisco Assis à cabeça, têm batido com força questionando como pode o PS aliar-se a partidos que defendem a saída do euro, o fim do tratado orçamental e o virar de costas à NATO. Preocupações também expressas pelo Presidente nos seus dois últimos discursos, o da indigitação de Passos e mais tarde na cerimónia de tomada de posse do Governo.

IMPACTOS NOS PARTIDOS

Neste capítulo as opiniões são mais desfavoráveis para os socialistas. É verdade que as respostas positivas superam as negativas quando se pergunta se o PS faz bem em unir-se ao BE e ao PCP, mas a diferença é de menos um ponto percentual. Ou seja, os portugueses mostram muitas dúvidas sobre a atuação do líder socialista e receiam os impactos que estas negociações poderão ter no Largo do Rato. Prova disso é que, na pergunta seguinte, 41,8% consideram que este entendimento à esquerda é negativo para o partido de Costa, 11,4% acham que é indiferente e 38,1% veem-no como positivo. Bem diferente são os reflexos para o BE e PCP. Nestes dois casos, o estudo mostra que a haver acordo será benéfico. O que vem ao encontro da opinião de muitos socialistas e não só que acreditam que estas negociações são também um desafio de ‘vida’ para os dois partidos (sempre excluídos do arco da governação) que terão de fazer uma opção: manter-se no lado da crítica e da oposição ou jogar na frente do compromisso. Os portugueses mostram de forma evidente, que tanto BE como PCP só têm a ganhar com este entendimento. A prova dos nove virá com a governação. Isto, claro, se chegaram lá.

Estudo de opinião efetuado pela Eurosondagem S.A. para o Expresso e SIC, de 29 de outubro a 3 de novembro de 2015. Entrevistas telefónicas, realizadas por entrevistadores selecionados e supervisionados. O universo é a população com 18 anos ou mais, residente em Portugal Continental e habitando lares com telefone da rede fixa.[…]

Ler o artigo em: http://expresso.sapo.pt/dossies/diario/2015-11-06-Sondagem-maioria-acha-que-Governo-de-esquerda-vai-avancar

Seja qual for o governo que venhamos a ter a realidade poderá sobrepor-se às aspirações desejadas. Portugal estará sempre numa situação dependente da evolução económica e financeira da União Europeia e do Mundo. De momento há, entre as várias realidades, a do crescimento económico e a do desemprego, como se pode ver nos artigos que se seguem:

Mapa: Portugal a meio da tabela do crescimento numa Zona Euro liderada pela Irlanda

Texto de Nuno Carregueiro e Nuno Teixeira – Infografia de Rui Santos /jornal negócios (05/11/2015)

Só dois países do euro crescem menos de 1% em 2016

A economia portuguesa vai crescer em linha com a Zona Euro em 2015 e 2016, com a Grécia e a Irlanda a surgirem nos pólos opostos do crescimento na região. Veja o mapa com as perspectivas de crescimento e défice para todos os países do euro.

As previsões da Comissão Europeia apontam para que a economia da Zona Euro cresça 1,8% em 2016, sendo Portugal um dos oito países que apresentará uma expansão abaixo da média, enquanto a Irlanda lidera o grupo de Estados-membros que registará um crescimento superior.

Nas previsões de Outono divulgadas esta quinta-feira, Bruxelas aponta para que o PIB português cresça 1,7% este ano e em 2016. Trata-se de uma diferença de uma décima superior à Zona Euro este ano e uma décima inferior em 2016.[…]

No que diz respeito às contas públicas, a Comissão Europeia vê apenas três países com défices acima de 3%: França, Grécia e Espanha.

 Portugal cresce 1,7% em 2015 e 2016[…]

Zona Euro cresce menos que o previsto

A economia da Zona Euro vai registar um crescimento de 1,6% este ano, de 1,8% em 2016 e 1,9% em 2017. As previsões da Comissão Europeia representam uma revisão em ligeira alta das estimativas para este ano e em baixa para 2016. Nas previsões de Primavera, a Comissão Europeia apontava para um crescimento de 1,5% este ano e 1,9% em 2016.[…]  

Ler todo o artigo em: http://www.jornaldenegocios.pt/economia/europa/uniao_europeia/zona_euro/detalhe/mapa_portugal_a_meio_da_tabela_do_crescimento_numa_zona_euro_liderada_pela_irlanda.html

Desemprego na UE em níveis de 2009 – Telmo Fonseca/Dinheiro Vivo (2015/11/02)

Taxa de desemprego em Portugal desce 0,1% em relação a agosto

A taxa de desemprego média no conjunto dos países da União Europeia em setembro de 2015 foi de 9,3%.[…]

Comparando com os valores de há um ano, 23 dos 28 estados membros registam uma descida na taxa, com destaque para Espanha (24% para 21,6%), Estónia (8% para 5,7%, no mês de agosto), Bulgária (11,3% para 9,4%) e Eslováquia (12,9% para 11%). Finlândia, França, Roménia e Bélgica foram os únicos países que registaram um aumento em relação a Agosto de 2014. Já comparando com os valores do mês anterior, a maior parte dos países da UE registaram uma descida na taxa, não tendo sido observada nenhuma subida

Portugal acompanhou a descida, embora em apenas uma décima, tendo o valor de agosto sido ainda revisto em baixa pelo Instituto Nacional de Estística. Ainda segundo o INE, Portugal registou “um decréscimo mensal na população desempregada em todos os grupos analizados”.

A estimativa provisória da população desempregada para setembro de 2015 foi de 621,8 mil pessoas, o que representa um decréscimo de 1,1% face a agosto deste ano, ou seja, 6,8 mil pessoas.

No total, estima-se que em setembro de 2015, em portugal existiam

Em relação ao desemprego jovem, estima-se que existiam em setembro 4,5 milhões de jovens com menos de 25 anos sem emprego por toda a União Europeia, ainda assim menos meio milhão que há um ano atrás. A taxa média no conjunto dos estados membros cifrou-se em 20,1%, e os melhores desempenhos foram registados na Alemanha (7%) e na Áustria (11%). No extremo oposto, na Grécia praticamente metade dos jovens do país estavam desempregados (48,6%), sendo que esta foi seguida de perto pela nossa vizinha Espanha, onde a taxa de desemprego jovem cifrou-se nos 46,7%.

Depois de, em Agosto, Portugal ter registado o maior agravamento de toda a UE neste indicador, com uma subida de 0,6 pontos percentuais, o número de jovens desempregados cairam agora 0,4% para um total de

Apesar de se terem registado menos três milhares de jovens desempregados que no mês passado, o valor total estimado foi de

Ler todo o artigo em:

http://www.dinheirovivo.pt/economia/desemprego-na-ue-em-niveis-de-2009/

Euro desce para 1,074 USD e fixa novo mínimo de seis meses – Diário digital (06/11/2015)

A moeda única europeia continuou a depreciar-se face ao dólar dos EUA, sexta-feira, tocando novos mínimos desde abril passado ao oscilar em torno de 1,074 dólares (USD).[…]

Ler o artigo em: http://dinheirodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=239119

Petróleo acumula perda semanal de 5% na Nymex e Brent desvaloriza 4,2% – Diário Digital (06/11/2015)

A cotação do petróleo terminou a jornada a descer nos mercados internacionais, com o contrato de dezembro para o crude leve negociado em Nova Iorque a recuar cerca de 5% no acumulado da semana enquanto o brent de referência para Portugal desceu em torno de 4,2% na primeira semana de novembro.[…]

O barril negociado na plataforma ICE (InterContinental Exchange Futures) cedia 0,95%, para os 47,53 dólares, descontando 4,2% ao último preço da semana anterior.

Ler o artigo em: http://dinheirodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=239131

BCE publica lista de 39 bancos da zona euro que vão responder a testes de stress em 2016 – Diário digital (05-11-2015) às 12:50

O Banco Central Europeu (BCE) publicou hoje uma lista de 39 bancos de 10 países da zona euro que vão responder a testes de stress conduzidos pela instituição em 2016, na qual Portugal não consta.[…]

A operação, de acordo com o BCE, irá ajudar a perceber o nível de resiliência das instituições, “nomeadamente a sua capacidade para absorver choques e responder às necessidades de capital em condições macroeconómicas adversas”.

Da lista de bancos, constam, entre outros, o Deutsche Bank e o Commerzbank, na Alemanha, o Banco Santander, o Banco Bilbao Vizcaya Argentaria, o Banco Popular Espanhol e o Banco Sabadell, em Espanha, o BNP Paribas e o Crédit Agricole, em França, e o Banco Nacional da Grécia.

No Reino Unido, os testes serão aplicados no HSBC Holdings, no Barclays, no The Royal Bank of Scotland Group e no Lloyds Banking Group.

Os resultados desta operação serão conhecidos no final de fevereiro de 2016.[…]

Ler o artigo em: http://dinheirodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=239027

Em Portugal a situação do NOVO BANCO continua sem solução e

Banqueiros recusam dar mais dinheiro ao Novo Banco – Tiago Figueiredo Silva/DN (2015/11/05)

O fundo de resolução já pôs 4900 milhões de euros no Novo Banco  |  PEDRO NUNES/LUSA

BCP, BPI e Totta opõem-se à participação do fundo de resolução, para o qual contribuem, num aumento de capital[…]

…A CGD, até agora, ainda não tomou posição.

O fundo de resolução já pôs 4900 milhões de euros no Novo Banco. Injetar mais dinheiro na instituição implica engordar a fatura para os bancos, que financiam este instrumento – apesar de não terem poder de decisão. Será o Banco de Portugal, que gere o fundo de resolução – acionista único do Novo Banco -, que decidirá o caminho a tomar. No documento em que dá conta do adiamento da venda, o regulador explica há “argumentos que justificam a extensão do prazo de dois anos junto da Comissão Europeia, o que é compatível com o regime criado pela diretiva relativa à recuperação e resolução de instituições.”[…]

O Santander pode voltar à corrida pelo Novo Banco. “Estamos atentos, gostamos de ver o que se passa, as operações que possam ser integradas. Podemos ir a jogo dentro da nossa política, mas nunca deixaremos de estar interessados”, garantiu Vieira Monteiro. “O importante é que [a venda] seja suficiente para pagar o valor investido. Com pressa ou não, não interessa. As autoridades estarão a pensar num novo esquema que não conhecemos, deverão mudar a política e reestruturar o banco.”

Questionado sobre a situação política portuguesa, o banqueiro não vê problemas num governo “com dois partidos, que podem fazer alianças quer à esquerda quer à direita”. “Mas é fundamental que haja estabilidade política.”

Ler todo o artigo em: http://www.dn.pt/dinheiro/interior/banqueiros-recusam-dar-mais-dinheiro-ao-novo-banco-4870512.html

INDEPENDÊNCIA DA CATALUNHA

Tribunal Constitucional permite votação sobre independência catalã – Catarina Marques Rodrigues/Observador (5/11/2015)

Os partidos contra a independência da Catalunha pretendiam travar o debate sobre o texto de resolução apresentado pelos partidos a favor da independência. O pedido foi chumbado pelo TC espanhol.

O Tribunal Constitucional espanhol rejeitou esta tarde, por unanimidade, o pedido de suspensão da votação do texto independentista da Catalunha, feito pelos partidos que estão contra a independência — PP, PSC e Ciudadanos. A notícia é avançada pelo El País.[…]

Os principais partidos que defendem a independência acordaram e apresentaram um texto de resolução que inicia o processo de “criação do Estado catalão independente” e que será discutido e votado, na próxima segunda-feira, no parlamento catalão.[…]

Ler o artigo em: http://observador.pt/2015/11/05/tribunal-constitucional-permite-votacao-independencia-catala/

Croácia vota no domingo (hoje) enquanto migrantes entram no país e economia esmorece – Agência Lusa/Observador (6/11/2015)

Os croatas votam no domingo(hoje)  em eleições gerais, enquanto o país enfrenta um afluxo contínuo de refugiados. Uma crise que campos políticos adversários tentaram explorar.

Os croatas votam no domingo em eleições gerais, enquanto o país enfrenta um afluxo contínuo de refugiados — uma crise que campos políticos adversários tentaram explorar, quando faltam políticas concretas para iniciar a retoma da estagnada economia.

Após quatro anos de um Governo de coligação centro-esquerda e seis anos de recessão, a oposição de direita tenta regressar ao poder nas primeiras eleições gerais na Croácia desde que aderiu à União Europeia, em 2013[…].

Algumas vozes sustentam que a entrada no país, desde meados de setembro, de mais de 300.000 migrantes que se dirigem ao norte da Europa, forneceu a Milanovic uma distração bem-vinda, após um mandato dececionante em que falhou na criação de reformas muito aguardadas.[…]

Com uma campanha rica em retórica nacionalista, a oposição, liderada pelo ex-diretor dos serviços de informações Tomislav Karamarko, também contribuiu para a crise, primeiro exigindo controlos fronteiriços mais rígidos e, depois, criticando o tratamento dado pelo Governo aos migrantes.[…]

Mas os problemas são agudos: a economia da Croácia tem um dos piores desempenhos da União Europeia, com a dívida pública em quase 90% do Produto Interno Bruto (PIB) e 16,2% de desemprego em setembro, 43,1% do qual entre jovens.

 Embora se espere o retorno ao crescimento de quase 1% este ano, analistas dizem que faltaram à campanha eleitoral propostas reformistas sólidas.

Ler todo o artigo em: http://observador.pt/2015/11/06/croacia-vota-no-domingo-enquanto-migrantes-entram-no-pais-e-economia-esmorece/

Entretanto chegaram a Portugal os primeiros migrantes

A vida de 22 refugiados cabe em nove carrinhos de aeroporto – Raquel Moleiro/Expresso (07/11/2015)

PEDRO NUNES/ LUSA – Chegaram este sábado a Portugal cinco famílias da Síria e Sudão. Durante dez meses vão morar em Lisboa, Sintra e Penela

Já estão em Portugal os 22 refugiados sírios e sudaneses que aguardaram nove meses no Egito pela reinstalação em Portugal, sob mandado do ACNUR. Deviam ser 44 mas a greve de pessoal de cabine da companhia aérea Lufhtansa obrigou ao cancelamento do voo que trazia os restantes 23. Este sábado chegaram 13 adultos, sete crianças e dois bebés. Uma família síria ficou em Lisboa, a cargo do Serviço Jesuíta aos Refugiados (JRS), outra deslocou-se para Sintra sob orientação do Conselho Português para os Refugiados (CPR) e a três restantes viajaram até Penela, onde serão integradas pela Fundação Assistência, Desenvolvimento e Formação Profissional (FADFP).

Fouad Ahmed, sírio, 44 anos, com quem o Expresso falou quando estava ainda no Cairo, foi o primeiro a sair da porta das chegadas do Aeroporto da Portela. A liderança fez-se notar ainda durante a viagem. Por ser o único que fala inglês ajudou a mediar conversas e dúvidas. A passagem do grupo pela gare aeroportuária foi rápida e silenciosa. Estava combinado que não haveria conversas com os jornalistas e a captação de imagens estava limitada a planos amplos.[…]

Os refugiados beneficiam do estatuto de refugiado e terão direito a autorização de residência por um período de 5 anos, renovável. Os programas de acolhimento e de integração terão uma duração de dez meses após o que, em caso de insuficiência económica, continuarão a ser apoiados em condições idênticas às dos cidadãos nacionais.

Ler todo o artigo em:  http://expresso.sapo.pt/sociedade/2015-11-07-A-vida-de-22-refugiados-cabe-em-nove-carrinhos-de-aeroporto

Europa pode esperar cinco mil migrantes por dia este inverno – Patrícia Viegas/DN (2015/11/06)

Polícia turca escolta refugiados para autocarros, tentando impedi-los de irem por mar para a ilha grega de Quios, a partir de uma praia da zona costeira de Cesme, na província de Izmir   |  REUTERS/UMIT BEKTAS

ACNUR admite chegada de mais 600 mil pessoas à Europa até fevereiro. Comissão Europeia refere que, até 2017, três milhões de migrantes e refugiados chegarão ao continente

Migrantes e refugiados vão continuar a chegar a solo europeu durante este inverno a uma razão de cinco mil pessoas por dia, vindas sobretudo através da Turquia, alertou ontem o ACNUR, agência da ONU para os refugiados, liderado por António Guterres. Esta previsão significa que pelo menos 1 milhão de pessoas terá fugido este ano para o continente europeu. No mesmo dia, outras previsões, as da Comissão Europeia, estimaram que, até ao ano de 2017, deverão chegar à Europa três milhões de migrantes e refugiados.[…]

Noutro sentido apontaram ontem também as previsões do Banco Europeu de Reconstrução de Desenvolvimento – BERD – que sublinharam a forte pressão que esta crise migratória está a provocar sobre os países da linha da frente ou de trânsito, como a Turquia, a Grécia, a Hungria, a Sérvia, a Croácia ou a Eslovénia. “O fluxo maciço gerou tensão sobre os serviços públicos, sobre as finanças governamentais e os mercados laborais”, refere o banco, cujas previsões foram citadas pela AFP.

Ler todo o artigo em: http://www.dn.pt/mundo/interior/europa-pode-esperar-cinco-mil-migrantes-por-dia-este-inverno–4871979.html

Caixa negra confirma caráter “violento e rápido” do que provocou a queda – Lusa (2015/11/06)

EPA/MAXIM GRIGORIEV – Análise determinou que estava tudo “absolutamente normal durante o voo, e de repente não há mais nada”

Os testes a uma das caixas negras do avião da companhia russa MetroJet que se despenhou na península egípcia do Sinai confirmaram o caráter “violento e rápido” dos acontecimentos que levaram à queda do aparelho, foi hoje divulgado. A informação é avançada por uma fonte próxima deste dossiê em Paris, citada pela agência francesa AFP.[…]

O Airbus A321 da companhia Metrojet caiu no sábado no Sinai, após ter descolado da estância balnear egípcia Sharm el-Sheikh com destino à cidade russa de São Petersburgo, causando 224 mortos. A autoria do desastre foi reivindicada pelo grupo radical Estado Islâmico (EI)[…].

Ler todo o artigo em: http://www.dn.pt/mundo/interior/caixa-negra-confirma-carater-violento-e-rapido-do-que-provocou-a-queda-4873557.html

Em contraste com a guerra “make love not war”

“Fontana di Trevi”: uma fonte de inspiração para os amantes de Roma – Euronews (03/11/2015)

A “fontana di Trevi”, a mais célebre das fontes de Roma reabre esta terça-feira após mais de dois anos e meio de trabalhos de restauro.

Uma fonte de águas “virginais”

Edificada no ano 19 d.c., durante a era romana, a fonte assinalava o final do aqueduto batizado “Aqua Virgo”. Uma homenagem à lenda, segundo a qual, uma jovem teria salvo um grupo de soldados romanos da sede, ao guiá-los até esta fonte, situada hoje no centro histórico de Roma.

Um Galileu afastado do projeto

Nicola Salvi foi o arquiteto escolhido pelo Papa Clemente XII, em 1730, para reconstruir a instalação, com o aspeto imponente que atrai hoje milhares de turistas todos os dias. Salvi, natural de Roma, teria arrebatado o projeto ao primeiro vencedor do “concurso público”, Alessandro Gallilei, um familiar do famoso Galileu, afastado da obra, por ser natural de Florença. A obra só foi inaugurada em 1743, 11 anos após a morte de Salvi, que nunca chegou a ver o aspeto final do monumento.

A lotaria, o Jackpot e “D’artagnan

A fonte edificada no século XVIII foi paga com o dinheiro arrecadado pela Igreja Católica após a reintrodução do jogo da lotaria em Roma. Hoje em dia, as moedas lançadas por curiosos ou por apaixonados (três moedas para um bom casamento, segundo a tradição) totalizam todos os dias cerca de 3.000 euros. Um rendimento recolhido todos os dias e entregue à associação religiosa Caritas. Cerca de 36 mil euros por ano que fazem do roubo de moedas um crime punido pela lei. Uma câmara de videovigilância instalada nos últimos anos permitiu deter pelo menos três ladrões de moedas, entre os quais, “D’Artagnan”, em 2002, depois de mais de 34 anos de atividade sem ser detido pela polícia.

Uma reconstrução de dois milhões

As obras terminadas hoje iniciaram-se na primavera de 2013, quase um ano após a queda de alguns painéis ter originado protestos contra a Câmara da cidade. A crise económica levou as autoridades a adiar sucessivamente o restauro até que uma conhecida marca de roupa de luxo aceitou pagar a fatura, orçada em dois milhões de euros.

O regresso à “Dolce Vita”

A fonte é também um local de referência para os cinéfilos do mundo inteiro, depois de se tornar no “terceiro personagem”, na famosa cena noturna de “culto” entre Marcello Mastroianni e Anika Ekberg, no filme “La Dolce Vite” de Fellini.

Curiosamente, a tradição de lançar três moedas na fonte foi iniciada por Frank Sinatra, no filme de 1954 “A fonte dos desejos” (“Three coins in the Fountain”), que também deu nome à famosa canção interpretada também por Sinatra.

Um ano antes, a fonte de Trevi era tambéma a estrela numa das cenas de “Férias em Roma”, de Willaim Wyler.

Ler todo o artigo em: http://pt.euronews.com/2015/11/03/fontana-di-trevi-uma-fonte-de-inspiracao-para-os-amantes-de-roma/

O homem que gostava das mulheres – Jorge Leitão Ramos/Expresso sapo (2015/11/01)

MARCOS BORGA – José Fonseca e Costa faleceu este domingo, dia 1, de manhã, no Hospital de Santa Maria onde estava internado. Deixa uma obra cinematográfica ímpar no moderno cinema português

Na sua primeira longa-metragem (“O Recado”, 1971), uma mulher servia-lhe de alter ego para uma reflexão magoada sobre uma geração que aprendera que se devia resistir ao salazarismo, mas que sofrera um dolorido processo de acomodação[…].

Era natural de Angola de onde veio no fim da 2ª Guerra Mundial para se tornar um cidadão de Lisboa, cidade que amava. Nos anos 50/60 andou pelos cineclubes, pela luta política, militou no Partido Comunista, conheceu, por duas vezes, os cárceres da PIDE. Entrou pelo cinema com a geração do Cinema Novo que havia de mudar tudo – mantendo-se ferozmente individualista[…]. “O Recado”, “Os Demónios de Alcácer-Kibir”, “Kilas”, “Sem Sombra de Pecado”, “Balada da Praia dos Cães, “Cinco Dias, Cinco Noites”, “Viúva Rica Solteira Não Fica” – a lista de filmes memoráveis de Fonseca e Costa é longa e não se esgota nos títulos citados, apesar de ter deixado alguns dos melhores sonhos por fazer (“O Anjo Ancorado”, logo nos anos 60, “O Senhor Ventura”, o mais doloroso, no final da década de 80) – e por completar um filme derradeiro, “Axilas”, com 2/3 já rodados e que o produtor Paulo Branco garante ir ter bom termo. Filmou até 9 de Outubro, data em que teve uma homenagem, a que compareceu, em Linda-a-Velha. Depois, uma pneumonia cavalgou a leucemia com que vinha lutando há muitos meses e o seu estado tornou-se irreversível. Tinha 82 anos.

Ler todo o artigo em: http://expresso.sapo.pt/cultura/2015-11-01-O-homem-que-gostava-das-mulheres

Por último e para avivar memórias Sara Rodrigues/Visão, fez buscas e publicou (7/11/2015) o seguinte artigo

O que eles diziam…

Fotomontagem VISÃO

Quando Paulo Portas disse que nunca faria política, Passos Coelho era contra a AD e outras pérolas da política à portuguesa

Fomos ao “baú” dos jornais – o mesmo é dizer ao arquivo – e andámos a esgravatar entrevistas e declarações de vários políticos. Aqui ficam algumas (ex)citações:

PEDRO PASSOS COELHO

“Nova Aliança Democrática [AD] não, porque faria ressuscitar novos velhos sentimentos negativos de que a AD correspondia a um espaço político-sociológico de um foro partidário. […] A AD enquanto espaço político é uma aberração. Não existe. Os as pessoas do CDS e do PSD estão todas enganadas e devem formar outro partido, porque os que têm não representam os seus interesses. […] Se não tiver maioria absoluta defendo que o PSD deve tirar as devidas conclusões e dar a vez a outro.

O Independente, 8 de fevereiro de 1991

“Já ouvi dizer que vamos cortar muitas coisas, incluindo o 13º mês, mas nós nunca falámos disso, e isso é um disparate. É um disparate”

1 de abril de 2011 (a dois meses das eleições)

“[O PSD é] um partido que não diz uma coisa hoje e outra amanhã”

Comício em Barcelos, 28 de maio de 2011

MARCELO REBELO DE SOUSA

“Não, não e não. Nem que Cristo desça à Terra [serei candidato a líder do PSD]”

Público, 3 de fevereiro de 1996 (um mês depois candidatou-se e foi eleito)

“Não tenho perfil para o cargo [de Presidente da República]”

Expresso, 30 de outubro de 1999

JOÃO SOARES

«O PS sempre se sentiu melhor na oposição do que no poder»

Expresso, 3 de fevereiro de 1996

PAULO PORTAS

“Os partidos são uma maçada e ser militante é uma grande maçada. Os quadros dos partidos são muito medíocres, porque acham que aquela é a forma natural de subir na vida. […] Se há coisas definitivas na minha vida uma delas é esta: nunca farei política”

RTP 1, em 1991

“Com a apresentação do pedido de demissão, que é irrevogável, obedeço à minha consciência e mais não posso fazer”

Carta de demissão de 2 de julho de 2013

MANUELA FERREIRA LEITE

«Pedro Passos Coelho vai desculpar-me, mais uma vez digo, eu não ando à procura de um outro primeiro-ministro, eu ando à procura que o engenheiro Sócrates saia de primeiro-ministro. E ele só sairá no dia em que o PSD tiver mais votos do que o PS»

Comício de campanha de Passos Coelho, em Barcelos, 28 de maio de 2011

“Estou para ver como reagem os deputados [do PSD] perante o OE para 2013. Porque se não aceitam devem ficar mal com a sua consciência. Há disciplina partidária, mas há formas de, quanto mais não seja, abandonar o mandato»

TVI, 12 de setembro de 2012

CAVACO SILVA

“Só se a Assembleia da República não conseguir gerar um Governo minimamente estável é que um presidente deve usar esse instrumento [dissolução da AR]”

O Independente, 30 de novembro de 1995

FRANCISCO ASSIS

“Não vejo nenhuma razão para o PS ter uma atitude em meu entender exageradamente fechada que é a de dizer: coligações com o PCP só em Lisboa. Porquê só em Lisboa? Deveríamos pelo menos equacionar a possibilidade de realizar acordos com o PCP noutras zonas do país. […] Não temos hoje nenhuma razão para não fazermos acordos com o PCP. Acho mais, acho que há vantagens tendo em vista abrir as portas para entendimentos mais vastos […] Senão corremos o risco de daqui a alguns anos continuarmos a dizer que não há condições para uma coligação e a direita estará reorganizada”

Público, 25 de março de 2001

ANTÓNIO COSTA

“Não é possível acumular a liderança do PS e a presidência da câmara de Lisboa. O PS precisa de um secretário-geral a tempo inteiro e a cidade de Lisboa de um presidente com dedicação exclusiva” (acumulou os cargos durante quatro meses)

Discurso na Comissão Nacional, 7 de junho de 2011

ALBERTO JOÃO JARDIM

“Eu sou uma pessoa calada em relação ao Continente”. […] Quando, no ano 2000, der o meu lugar ao novo líder do PSD/Madeira até posso andar o dia todo de calções de banho, ao pé do mar, que é o que gosto de fazer”

O Independente, 17 de janeiro de 1997

Ler o artigo em: http://visao.sapo.pt/actualidade/portugal/2015-11-07-O-que-eles-diziam

Ainda sobre os políticos e a politica em Portugal, entendi ser interessante o artigo de análise

Luta de egos – Adriano Freire/Sapo (07/11/2015)

Sabia que a personalidade de Passos Coelho é parecida com a de Jerónimo de Sousa? E que Paulo Portas tem muito em comum com Catarina Martins? Já António Costa tem um posicionamento muito invulgar E é por isso que a luta pelo poder está ao rubro!

Quer compreender realmente a atual situação política em Portugal? Comece por conhecer melhor os seus protagonistas. Afinal de contas, são os líderes partidários que conduzem o jogo do poder. E prepare-se para ficar muito surpreendido. Porque na política, as aparências enganam mesmo.

Para entender bem as jogadas dos políticos, é necessário conhecer primeiro o tabuleiro onde se posicionam as suas personalidades, o Mapa EGOS, mais abaixo.[…]

Portanto, a par das suas características do perfil Empreendedor, os dirigentes partidários também costumam assumir características típicas das ideologias que promovem. Assim se compreende que os líderes políticos em Portugal tenham posicionamentos diferentes no Mapa EGOS:

Passos Coelho: personalidade EG, mediamente introvertida, que combina características liberais (E) com algum sentido regulatório (G), como é habitual num partido social-democrata europeu.

Paulo Portas: personalidade ES, bastante extrovertida, que combina características individualistas (E) com alguma preocupação social (S), como é habitual num partido de direita com inspiração católica.

Catarina Martins: personalidade SE, bastante extrovertida, que combina características coletivistas (S) com alguma orientação competitiva (E), como é habitual num partido de esquerda gerado pela fusão de várias doutrinas.

Jerónimo de Sousa: personalidade GE, mediamente extrovertida, que combina características normativas (G) com algum pendor de luta revolucionária (E), como é habitual num partido comunista de raízes soviéticas.

O posicionamento das personalidades destes quatro líderes partidários no Mapa EGOS reflete bem as suas semelhanças e diferenças. Na realidade, apesar de Passos Coelho e Paulo Portas partilharem a predominância do perfil Empreendedor, contrastam na abordagem às questões políticas: Passos Coelho é bastante mais estruturado (G) e Paulo Portas muito mais impulsivo (S). Por isso, poucos acreditavam que a coligação conseguisse durar os 4 anos da legislatura, e o episódio da demissão irrevogável pareceu dar razão a todos os céticos. Porém, para surpresa geral, a rutura não aconteceu e ambos os líderes passaram mesmo a ser mais flexíveis e convergentes na condução do Governo: Passos Coelho passou a ser mais comunicativo (S) e menos controlador (G), enquanto Paulo Portas passou a ser mais regrado (G) e menos emotivo (S). E dessa forma a rivalidade inevitável entre as suas personalidades Empreendedoras também ficou muito atenuada.[…]

António Costa: personalidade EO, mediamente introvertida, que combina características de ambição (E) com um sentido prático e improvisador (O), o que é pouco habitual num partido socialista europeu.

Na realidade, António Costa tem poucas características dos perfis Social ou Governador evidenciadas pela maioria dos líderes do PS (Mário Soares, Vítor Constâncio, Jorge Sampaio, António Guterres e António José Seguro), e apenas revela algum do forte pendor Empreendedor de José Sócrates. O que torna António Costa único é mesmo o elevado peso das características do perfil Operacional na sua personalidade. E isso ajuda a compreender melhor a sua atuação política antes e depois das eleições[…]

Na realidade, Passos Coelho e Paulo Portas desconfiam da indecisão do líder do PS e criticam a sua hesitação em assumir plenamente os compromissos europeus, não se revendo portanto nas suas características mais Operacionais. Por seu lado, Catarina Martins e Jerónimo de Sousa desconfiam da necessidade de protagonismo do líder do PS e criticam a sua argumentação economicista, não se revendo portanto nas suas características mais Empreendedoras.

Ainda assim, a análise do Mapa EGOS revela sem qualquer margem para dúvidas com quem é que António Costa se prefere aliar:

Enquanto numa aliança à direita António Costa fica numa posição subalterna e em competição permanente com Passos Coelho e Paulo Portas, numa aliança à esquerda António Costa assume a desejada liderança e ainda se posiciona como o elemento agregador de Catarina Martins e Jerónimo de Sousa. Nesta opção, a aproximação ao Bloco de Esquerda é obviamente a mais fácil, uma vez que as características Sociais de Catarina Martins propiciam um rápido entendimento. O problema é a aproximação ao PCP, uma vez que Jerónimo de Sousa é um líder bastante mais rígido e prefere partir a torcer.

Não admira pois que o futuro político de Portugal passe pela eventual flexibilização de Passos Coelho ou de Jerónimo de Sousa na interação com António Costa. Quem conseguir atenuar as suas características Empreendedoras ou Governadoras e reforçar as suas características Operacionais, estará em melhores condições para criar uma aliança parlamentar com o PS. Depois só terá de se preocupar com a sua manutenção ao longo do tempo[…]

Adriano Freire é Professor da Universidade Católica e autor do livro Mapa EGOS.

Ler todo o artigo em: http://24.sapo.pt/article/sapo24-blogs-sapo-pt_2015_11_07_788917362_luta-de-egos

 

 

Leave a Reply