CONTOS & CRÓNICAS – CARLOS REIS – OS ARTIGOS IMPUBLICÁVEIS – ESPÉCIE

É uma coisa que me faz (que sempre me fez) espécie. E todavia subsiste. Donde se conclui que só faz espécie a alguns – minorias a que pareço pertencer, mesmo sem querer.

Eu explico, tenham calma. Não há pressa.

Vão sendo fechados balcões de Bancos, um pouco por todo o país, desde a “crise” (eufemismo de roubalheira e desastrosa, criminosa, cobiçosa e fraudulenta prática mais ou menos internacional) concebida, encenada e a começar algures por 2008 – vão sendo despedidas pessoas (trabalhadores, uma expressão desagradável, que a Direita felizmente nunca usa, ou evita usar) sendo que já vamos em 7000 (sete mil) e se prevêm para breve alguns 10.000 (dez mil) contando, não tarda, com a Caixa Geral de Depósitos, um Banco “nosso”, isto é, do povo e do país, mas que pelos vistos aderiu a esta interessante, honesta, digna e capitalística forma de estar na vida.

Qual vida? Aquela dos fins (deles, capitalistas, fascistas e restantes membros da Direita) justificarem os meios, quaisquer meios, que apaziguem estas chatices, estas maçadas, estes momentâneos problemas, mesmo que com alguns infelizes danos colaterais.

Algo que “incha, desincha e passa” – no dizer de um antigo alferes meu contemporâneo, mesmo nos piores momentos daquela merda.

Parece (enfim, talvez, quem sabe) que apenas os visados (eufemismo de lixados, despedidos, fecundados) bancários, que perderam os seus empregos e não sabem como gerir a família e a subsistência – se revoltam. Com alguma justiça, aliás atenção, sem precipitações.

Ora, isso que interessa? Trata-se de uma migalha, uma coisa numericamente sem importância, relativamente aos “superiores interesses do país” –  frase fundamental e recorrente daquele atrasado mental, arquétipo dos atrasados mentais, que foi em tempos nosso presidente.

(cosp, fedss, conh,%$&7 klinkch!!merd?&5!! Dasse, argh! Bard!98/(6#4!)

Mas o que me faz (realmente) espécie é ninguém se revoltar contra isto. É ninguém se revoltar (revoltar) contra este estado de coisas. Como se já tudo estivesse escrito (como naquela imensa telenovela, aquele foleiro romance de cordel mal escrito, sem gramática nem sintaxe, chamada Bíblia, em que tudo “estava escrito” e havia que ter paciência – para lá da fé, da fèzada e do conformismo de um beato povo de merda) –  e portanto nada a fazer.

Senão aceitar. E continuar a  acreditar que a culpa é dos comunistas. E da Esquerda. E da Extrema Esquerda. E do PREC. E essas coisas.

Sou parvo. A culpa é dos trabalhadores bancários, é mais que evidente.

São eles, foram eles que não souberam gerir, que abandalharam, que desorganizaram todo um Sistema óptimo, funcional, bondoso, eficaz e benevolente. É pois bem feita que vão para a rua e que desapareçam. Que das cinzas nascerá a fénix, as fénixes, as fezes, a merda perfumada, os dejectos cultivados, o cagalhão emérito!

Felizmente – e estou de tal convencido – que em Portugal haverá sempre loureiros, cavacos, caldeiras, mexias, granadeiros, bavas e espíritos mais ou menos santos ou santificados, que olharão pelo país, sob a égide, devoção e amor deste bom e querido povo que lavas no rio e gostas do Botas.

Disse. Dasse.

carlos

About joaompmachado

Nome completo: João Manuel Pacheco Machado

One comment

  1. Maria de sa

    Felizmente – e estou de tal convencido – que em Portugal haverá sempre loureiros, cavacos, caldeiras, mexias, granadeiros, bavas e espíritos mais ou menos santos ou santificados, que olharão pelo país, sob a égide, devoção e amor deste bom e querido povo que lavas no rio e gostas do Botas.”

    *Excelente -Maria *

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: