IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (96)

O MEU ESTAR

 

É isso aí,

Meu amor,

Eu não sei parar

O saber

De te olhar

Desde o momento em que te vi,

Nem vou parar

De te querer

E de te amar

Mesmo que seja para o outro lado

Que se vire o teu olhar,

Ou mesmo que nem por um milagre

Ou por uma palavra mais suave

Tu os dirijas para mim,

O teu estado e o teu olhar.

É isso aí,

Sabes?

És a minha janela

E com a canção ou sem ela

Tenho preso a ti

O meu estar.

 

 

1 Comment

Leave a Reply