É a notícia desta terça-feira: dois anos e meio depois o Ministério Público decidiu acusar 18 agentes da PSP dos crimes de tortura, sequestro, injúria e ofensa à integridade física qualificada. A acusação aos polícias envolvidos – toda a esquadra de Alfragide – é agravada pelos crimes de ódio e discriminação racial relativamente ao que aconteceu no dia 5 de fevereiro de 2015 (ver notícia aqui).

Neste caso, também uma sub comissária e a Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) ocultaram os factos para proteger os polícias criminosos; foi racismo institucional. Relembremos ainda que a versão dos polícias criminosos foi propalada pela comunicação social sem filtro.

A Associação de Combate à Precariedade – Precários Inflexíveis assinala a importância desta acusação pioneira do Ministério Público e estende a sua solidariedade a todas as pessoas que neste e noutros casos foram vítimas de violência policial e de racismo.

Facebooktwittergoogle_plusredditlinkedintumblrmailby feather