ANA DE CASTRO OSÓRIO por Luísa Lobão Moniz

Nome de Rua.

Nome de Biblioteca.

Foram duas maneiras simbólicas de prestar homenagem a Ana de Castro Osório.

Quem é essa pessoa que tem “direito” a nome de rua, em Carnide, e de Biblioteca especializada, em Belém?

A Biblioteca pretende contribuir para promover a consciência crítica no domínio da igualdade e da liberdade dando continuidade a Ana de Castro Osório.

Começou por escrever num jornal semanal A Mala da Europa.

São vários os motivos que me levaram a falar sobre uma mulher que sempre lutou pela defesa dos Direitos Humanos, centrando-se nas crianças e nas mulheres.

Publicou “A Mulher no Casamento e no Divórcio” e colaborou com Afonso Costa, ministro da Justiça, na elaboração da Lei do Divórcio.

Escritora, feminista, activista republicana, pedagoga é considerada a fundadora da literatura infantil no nosso país.

Traduziu autores estrangeiros de literatura para a Infância.

Os seus livros foram lidos como manuais escolares. Um dos mais conhecidos, é uma colectânia “Para as Crianças”.

Escreveu vários livros para a Infância

A Comédia de Lili (teatro, 1903) e OPríncipe das Maçãs de Oiro (1935).

A Ana de Castro Osório não lhe era indiferente o papel da mulher na sociedade, publicou A Minha PátriaAs Mulheres Portuguesas em que o feminismo e o patriotismo eram aliados.

Publicou ainda A Mulher no Casamento e no Divórcio. O divórcio era uma questão muito problemática para a qual Ana de Castro Osório quis dar o seu contributo na legislação com Afonso Costa.

O seu emblemático livro Para as Crianças é uma colectânia de contos populares portugueses transmitidos oralmente por um pastor e uma rendeira da sua terra natal, Mangualde.

Era uma defensora da transmissão oral do imaginário dos povos.

Ana de Castro Osório foi uma das pioneiras em Portugal na luta pela igualdade de direitos entre homem e mulher. Escreveu Mulheres Portuguesas, o primeiro manifesto feminista português.

“Ser feminista é apenas ser justo e lógico”. (A mulher portuguesa, nº3, 1912)

Ana de Castro Osório é uma figura de relevância no Movimento feminista em Portugal, colaborou com Partido Republicano Português, assim como é de grande importância na literatura para a Infância.

“Já é coisa sabida: quanto melhor é uma pessoa mais inimigos tem; e quanto maior é o seu merecimento maior o ódio dos ignorantes e dos maus.”

 

Ana de Castro Osório –  “História do Príncipe encantado no palácio de ferro no reino da escuridão”, Contos Maravilhosos (2ª série).

Num mundo em que todos os dias se matam mulheres e crianças é sempre bom lembrar que a sociedade, homens e mulheres, tem voz que luta pela liberdade e pela igualdade através do seu pensamento crítico.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: