SOBRE A EUROPA, SOBRE PORTUGAL E TALVEZ TAMBÉM SOBRE O SPORTING – 1. Pior que em 2008? Eis o que nos mostram os números dos mercados emergentes. Por Enda Curran e Cormac Mullen

nuvens negras

 

Nuvens bem negras sobre a Europa, sobre o mundo, enquanto lhe vendem a esperança dos amanhãs que cantam

 

 

 

 

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota

1. Pior que em 2008? Eis o que nos mostram os números dos mercados emergentes

Por Enda Curran e Cormac Mullen

Publicado por  bloomberg, em 17 de maio de 2018

Texto 1 1

Um operador reage à medida que monitoriza informação financeira nos écrans da sala de transações. (Fotógrafo: Chris Ratcliffe/Bloomberg)

 

(Bloomberg) – A economista de Harvard, Carmen Reinhart, chamou a atenção sobre si nesta semana com os seus comentários sobre os mercados emergentes, dizendo que estão em pior situação agora do que estavam durante a crise financeira global de 2008.

A sua avaliação ocorre num momento em que os investidores estão a tornar-se mais cautelosos sobre as classes de ativos – e francamente pessimistas em mercados como os da Argentina, Indonésia e Turquia. Mas as opiniões divergem sobre se a recente turbulência é apenas um pequeno sinal ou se é o começo de algo maior. O quadro também varia de economia para economia, com algumas em melhor forma do que outras.

Abaixo, veja como alguns dos principais indicadores de mercados emergentes evoluíram desde 2008.

Balanças correntes

Os saldos saudáveis das balanças correntes são a linha de frente da defesa para os mercados emergentes. Embora o grupo tenha tido um grande excedente de balança corrente em 2008, agora tem um pequeno défice – em grande parte devido a uma queda significativa no excedente da China. Mas o quadro não é uniforme. Alguns países, como a Tailândia, são notáveis pelos seus fortes saldos positivos.

Texto 1 2

 

Crescimento económico

A economia mundial está a desfrutar do seu maior crescimento desde 2011, e o crescimento nos mercados emergentes e nas economias em desenvolvimento tende a acelerar ainda mais antes de estabilizar nos próximos anos, de acordo com o Fundo Monetário Internacional. Isso está a proporcionar um amortecedor contra os ventos contrários, tal como o aumento das taxas de juros, mesmo que as taxas de crescimento não sejam tão altas quanto na véspera da crise financeira global.

Texto 1 3

 

Dívida

Os governos dos mercados emergentes contraíram empréstimos de forma constante ao longo da última década, no meio de taxas de juros baixíssimas. As empresas também apostaram: o crédito em dólares dos Estados Unidos a tomadores de fundos não bancários nos países em desenvolvimento atingiu US $ 3,7 milhões de milhões no final do ano passado, acima dos US $ 1,5 milhão de milhões da década anterior, segundo o Banco de Pagamentos Internacionais.

Texto 1 4

 

Volatilidade cambial

O Índice de Volatilidade dos Mercados Emergentes do JPMorgan, uma medida das flutuações cambiais, permanece bem abaixo dos níveis observados em 2008, apesar das bolsas de turbulência na Argentina e na Turquia. O yuan da China destaca-se pela sua estabilidade nos últimos meses.

Texto 1 5

 

Avaliações de ações

O MSCI Emerging Markets Index está a ser negociado em torno de 12 vezes o lucro estimado para os próximos 12 meses. Embora esteja ligeiramente acima da média histórica, isso não é uma leitura extrema. O indicador alcançou cerca de 15 vezes os lucros projetados em 2007, antes que a queda no mercado do ano seguinte enviasse a taxa para pouco menos de 6.

Texto 1 6

 

Mercados de obrigações

Os rendimentos dos títulos emitidos em dólares dos mercados emergentes estão abaixo da média histórica, um sinal de que os níveis de esforço dos investidores ainda estão baixos. O rendimento atual do índice agregado Bloomberg Barclays EM USD é de cerca de 5,6%, contra 4,5% no início do ano. Em 2008, a taxa subiu de 6,6% em janeiro para 14,3% em outubro, quando os investidores correram para a saída desses mercados.

Texto 1 7

 

Reservas cambiais

Vale a pena notar novamente que há muita variação dentro do mundo emergente, e isso é particularmente verdade quando se trata de reservas cambiais. Enquanto a China tem um enorme volume de reservas, as reservas em países como a Argentina e a Indonésia estão a diminuir depois dos seus bancos centrais terem intervido para defender as suas moedas.

Texto 1 8

Texto 1 9

Texto 1 10

 

Texto original em https://www.bloombergquint.com/markets/2018/05/17/worse-than-2008-here-s-what-the-emerging-market-numbers-show#gs.0yxUK8U

 

 

 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: