QUANDO SE FALA EM VIOLÊNCIA por Luísa Lobão Moniz

Quase todos os dias se fala em violência, seja ela colectiva (guerras sociedades não democráticas) ou individuais como a violência no seio da família, destacando-se ultimamente a violência sobre as mulheres.

E o que é a Violência?

Quando se fala em Violência pensa-se em agressão, tortura, guerra, massacre, criminalidade, terrorismo, mulheres assassinadas, crianças maltratadas e, percebe-se que não há uma só Violência, há tantas violências quantas as realidades observadas.

Perante a Violência os membros da família vão-se adaptando e criam determinadas habilidades que vão inscrevendo dia-a-dia para poderem sobreviver num ambiente que lhes é hostil.

Foi sendo passada a imagem de que a família deveria ser um espaço de amor e de segurança, também por isso se tornam submissos.

Actualmente a família é o lugar mais violento da sociedade.

O homem é quem manda, quem detém o poder, baseado numa ideia fascizante, ainda no inconsciente de muitos, o chefe de família.

O chefe pode tudo ser tolerante ou violento conforme as regras sociais, mas principalmente, conforme as regras que ele próprio construiu para que a sua “figura de marido, companheiro ou pai” não seja nunca posta em causa.observa a família em casa e fora de casa se for possuído de ciúmes, se estiver em causa a continuidade da sua pessoa naquele agregado familiar. Há poucos dias um homem tentou matar a mulher de quem se ia separar, na véspera de assinar a separação.

A violência sempre existiu, não são as sociedades actuais que a criaram, mas são elas que a perpetuam.

A sanção social, tão importante para a regulação de comportamentos, durante muito tempo não olhou para a vida privada dos indivíduos devido ao devido respeito que cada indivíduo merecia. Criou-se o mito que “entre marido e mulher não se mete a colher”, se “ bateu é porque ela fez alguma” numa associação inconsciente da mulher ao diabo, à bruxa má.

Hoje há cartazes pela cidade de Lisboa a dizer “Homem que é homem não vê só futebol”, o que vê não sei, não fixei…

Quem não associa o futebol à violência? Extrapolando, a mensagem subliminar poderá estar a legitimar a violência ao homem. E a mulher, e as crianças, e os idosos não vêem futebol?

A violência é um comportamento multidimensional e forjado por muitos estímulos conscientes e inconscientes e de fácil manipulação

É necessária uma grande mudança de mentalidades e de conhecimento para que todos possam descortinar onde nasce e onde é incentivada a violência.

Nas famílias existem muitas regras e normas criadas para a sua sobrevivência. Quem inspira essas regras e normas?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: