ELEIÇÕES NOS ESTADOS UNIDOS EM 2020 – O QUE NOS ESPERA – II – O QUE REPRESENTARAM TRUMP E SANDERS NAS ELEIÇÕES AMERICANAS DE 2016: A REUNIÃO MUITO SECRETA ANTI-DONALD TRUMP DE ELON MUSK, LARRY PAGE ET TIM COOK , por RYAN GRIM, NICK BAUMANN e MATT FULLER

 

A reunião muito secreta anti-Donald Trump de ’Elon Musk, Larry Page e Tim Cook, por Ryan Grim, Nick Baumann et Matt Fuller

The HuffingtonPost, 9 de Março de 2016

Selecção e tradução de Júlio Marques Mota

 

EUA – Bilionários, Diretores de empresas de tecnologia e os principais executivos do establishment  republicano entraram num hotel de luxo numa ilha privada na costa da Geórgia no fim de semana de 5 de março para participar do fórum anual do American Enterprise Institute, de acordo com fontes próximas ao misterioso encontro.

O assunto principal deste encontro  que foi fechado à imprensa? Como barrar o caminho ao republicano Donald Trump. O CEO da Apple, Tim Cook, o co-fundador do Google, Larry Page, o fundador da Napster, Sean Parker, que investiu no Facebook, e Elon Musk, chefe da Tesla Motors, e da SpaceX, todos participaram dos debates. Assim como o senador Mitch McConnell, líder da maioria republicana no Senado do Kentucky, o guru político Karl Rove, o presidente da Câmara Republicana Paul Ryan, os senadores republicanos Tom Cotton (Arkansas), Cory Gardner (Colorado), Tim Scott (Carolina do Sul), Rob Portman (Ohio) e Ben Sasse (Nebraska), que recentemente foi tema de grandes caixas nos media a dizer  que “não podia apoiar Donald Trump”.

Alguns, como Elon Musk, negaram ter discutido a ascensão meteórica de Trump e só vieram para falar de temas relacionados com a sua profissão. “Só fiquei algumas horas para falar sobre Marte e energia sustentável. Não teve nada a ver com Donald  Trump”, disse no Twitter o chefe da Tesla Motors e da SpaceX.

Elon Musk

@elonmusk

The AEI meeting wasn’t secret and I was only there for a few hours to talk about Mars and sustainable energy. Nothing to do with Trump.

1 267 personnes parlent à ce sujet

Esperanças elevadas quanto à sua derrota  final

“Um espectro assombrou o fórum – o espectro de Donald Trump”, escreveu Bill Kristol, um conhecido editorialista conservador, num relatório por e-mail da conferência, usando as palavras de abertura do Manifesto do Partido Comunista. “O seu aparecimento  provocou grande tristeza, muita discussão, alguma visão e reflexão, sobre o porquê do seu sucesso, e muitas expressões de esperança sobre a sua  final derrota”.

“O objetivo, para parafrasear  novamente Karl Marx, não é tanto entender Trump, mas sim  barrar-lhe o caminho”, escreve Bill Kristol. “De uma maneira  geral, há um pouco de lamento a mais, carrancas e fatalismo à sua volta e não há determinação suficiente para poupar ao partido a nomeação ou ao país a eleição de alguém que simplesmente não deveria ser presidente. »

Um dos destaques da reunião foi a apresentação por Karl Rove dos resultados do grupo de trabalho que discutiu  sobre Trump. A maior fraqueza do magnata imobiliário, segundo Karl Rove, é que os eleitores têm dificuldade em ver a sua dimensão “presidencial” e em imaginá-lo como alguém que os seus filhos poderiam admirar. Eles também o encaram  como um personagem errático, que não deve deixar poisar os seus (pequenos) dedos deitados ao redor do botão nuclear.

“Como é que se chegou a isto?”

Fontes conhecedoras da reunião – que pediram para permanecer anónimas porque o fórum é confidencial – relataram que grande parte da discussão em torno do caso Trump concentrou-se em “como aconteceu, e não como será interrompido”, nas palavras de um participante.

Trump, que já conseguiu um terço dos delegados que precisa para garantir a nomeação republicana, passará por dois grandes testes na próxima semana nas primárias da Flórida e de Ohio. Se ele ganhar esses dois estados, só precisará ganhar metade dos delegados restantes para garantir a nomeação.

No entanto, não foi o único tema desta ampla conferência. O Senador Tom Cotton e o CEO da Apple, Tim Cook, confrontaram-se  em torno da criptografia de telemóveis, de acordo com uma fonte que participou no encontro. “Cotton foi  bastante duro  para Cook”, disse a mesma fonte, e “todos ficaram um pouco incomodados  com a hostilidade de Cotton”. (A Apple está atualmente no meio de uma batalha com o Departamento de Justiça e o FBI sobre um iPhone criptografado que pertencia a um dos autores do atentado  de San Bernardino).

Uma reunião ultra-secreta

O American Enterprise Institute (AEI) tem realizado o seu fórum nesta ilha desde há anos. O evento está tão envolto em segredo que a agência de notícias Bloomberg reclamou em 2015 que ninguém sequer relataria se tinha nevado ou não. Dados da Administração Federal de Aviação, disponíveis emFlightAware.com, mostram que uma nuvem de jactos particulares chegou e partiu de dois pequenos aeroportos perto da Sea Island no fim de semana passado. Cinquenta e quatro aviões descolaram da ilha Saint Simons, Geórgia, no domingo – cerca de quatro vezes o número de partidas do mesmo aeroporto no domingo anterior.

Muitas destas aeronaves são registadas por empresas de leasing de aeronaves como a NetJets e a Flexjet ou por empresas privadas de serviços aéreos como a Jetsetter. No domingo, pelo menos duas aeronaves voaram diretamente para San Jose, Califórnia, lar de muitos dos novos gigantes da tecnologia.

Um balé de jactos privados

Outro avião, que chegou quarta-feira de Eaton, Colorado, onde retornou domingo, foi registado pela Monfort Aviation LLC, um trust isento de impostos. Os dados da Administração Federal de Aviação não determinam quem controla a Monfort Aviation, mas o seu nome vem de Dick e Charlie Monfort, herdeiros de uma grande fortuna ligado à exploração de gado do Colorado e agora proprietários da equipa de basebol Colorado Rockies. A aeronave, uma Raytheon Hawker 800XP, pode transportar 15 passageiros. Philip Anschutz, o bilionário cuja empresa é parcialmente proprietária da Sea Island, também é nativo do Colorado.

Outro avião privado, um Canadair Challenger, atravessou o país no domingo, decolando de Saint Simons e aterrando  em Van Nuys, no sul da Califórnia. O aeroporto de Van Nuys está de tal modo  associado a milionários e bilionários que as suas quezílias em torno  de questões ligadas ao asfalto, por vezes, transbordam para a imprensa. Outro avião, um Dassault Falcon 900 tri-jet, chegou a Saint Simons na quinta-feira, vindo de Westchester County, Nova York, e retornou no domingo. Foi registado na Northwood Investors LLC, dirigida  por John Kukral, cuja biografia oficial diz que ele esteve envolvido em projetos imobiliários no valor de mais de 40 mil milhões de dólares.

“Este é um evento privado e confidencial, por isso não partilhamos os procedimentos nem os participantes”, disse Judy Stecker, porta-voz do American Enterprise Institute. Ela descreve o fórum como “um encontro informal de importantes pensadores de todas as esferas ideológicas para discutir as questões económicas, de segurança e sociais enfrentadas pelos Estados Unidos e pelo mundo livre”.

Isolados do mundo

Concebido pelo ex-presidente Gerald Ford, o fórum atrai líderes políticos e económicos de todo o mundo. O Sea Island Resort – que possui 3 campos de golfe e um spa e centro de fitness que, com os seus   6.000 metros quadrados, encheria dois terços de um hipermercado – é conhecido por estar isolado do mundo. Está rodeado de pântanos e os principais aeroportos mais próximos são facilmente acessíveis. Quando o Presidente George W. Bush organizou a cimeira do  G8 de 2004 nesta ilha, o centro de imprensa montado para o evento estava localizado a 130 quilómetros de Savannah, na Geórgia.

Anschutz Corp, Starwood Capital Group Global, Avenue Capital Group e Oaktree Capital Management compraram o resort – que cobre toda a ilha – em 2010 por $212,4 milhões enquanto este estava  em falência. “Não é bem o sítio para onde se vai para  conhecer o americano médio”, escreveu o New York Times sobre Sea Island, em 2004. “Mas é um bom lugar para se isolar do resto do mundo, testemunhar exposições arquitetónicas e passear em praias que têm pouco ou nenhum acesso público”.

Beautiful pictures from Sea Island: “American Enterprise Inst” secret meeting to stop Trump. https://t.co/TEKmgiec2Spic.twitter.com/TgY0FMt7wJ

— Bilal Raza Rizvi (@bilalraza) 9 Mars 2016

 

Até 2015, a gala da AEI em Sea Island tinha atraído a maioria dos futuros candidatos republicanos às primárias, de acordo com um programa que a Bloomberg tinha obtido  na altura. Entre os oradores estavam o ex-governador da Flórida, Jeb Bush, o governador de Nova Jersey, Chris Christie, o senador do Texas, Ted Cruz, a senadora da Carolina do Sul, Lindsey Graham, o governador da Louisiana, Bobby Jindal e o senador da Pensilvânia, Rick Santorum. (É possível que  alguns possam  não ter comparecido à reunião; uma tempestade de neve perturbou o transporte através da Costa Leste nesse fim-de-semana).

A AEI pagou $32.490,97 pela participação de 11 membros do Congresso apenas para o ano de 2015, de acordo com as informações declaratórias disponíveis no Legistorm.com. Autoridades democráticas, incluindo o senador Cory Booker, de Nova Jersey, Jason Furman, presidente do Comité de Conselheiros Económicos de Barack Obama, Gene Sperling, outro dos principais conselheiros económicos de Obama, e Larry Summers, ex-secretário do Tesouro, também constavam da lista de participantes de 2015, informou a Bloomberg na época. No ano passado, Chris Christie também estava agendado para fazer o discurso de abertura na conferência. Há algumas semanas, ele deu o seu apoio a Donald Trump.

Cet article, initialement publié sur le Huffington Post américain, a été traduit de l’anglais par Mathieu Bouquet.

http://www.huffingtonpost.fr/2016/03/09/reunion-secrete-contre-donald-trump-patrons-republicains_n_9415888.html

 

Para ler este artigo no original francês clique em:

https://www.huffingtonpost.fr/2016/03/09/reunion-secrete-contre-donald-trump-patrons-republicains_n_9415888.html

 

Leave a Reply