INFORMAÇÃO E UM ALERTA AOS 1,3 MILHÕES DE BENEFICIÁRIOS DA ADSE PARA NÃO SE DEIXAREM ENGANAR, por EUGÉNIO ROSA

 

Em estudos anteriores, que estão disponíveis na pasta “SNS e saúde” no site www.eugeniorosa.com para quem estiver interessado em os ler,  expliquei os objetivos das novas Tabelas do Regime convencionado da ADSE, que são nomeadamente os seguintes: (a) Introduzir um controlo  de preços nas cirurgias, próteses e medicamentos, cujos preços estavam sem qualquer controlo o que permitia aos prestadores faturar à ADSE o preços que quisessem (a variação de preços entre prestadores pela mesma cirurgia, prótese ou medicamentos era enorme atingindo 100%, 200%, 500% e mesmo mais); (b) Garantir sustentabilidade e continuidade da ADSE; (c) Assegurar aos prestadores preços justos; (d) Para isso era necessário atualizar os preços que se mantinham inalteráveis há muitos anos para assim garantir um melhor acesso dos beneficiários aos cuidados de saúde. É evidente que o controlo de preços não agradou à totalidade dos prestadores, embora a ADSE tivesse mantido uma continua política de diálogo para fazer os ajustamentos que fossem justos e que não pusessem em risco a sustentabilidade da ADSE.

No entanto, verificou-se por parte de alguns prestadores (poucos), alguns comportamentos inaceitáveis para os quais, como representante dos beneficiários no conselho diretivo da ADSE, quero alertar e esclarecer os beneficiários para não se deixarem enganar.

Entre em contacto com a ADSE através: ADSE – direta (https://www.adse.pt/ar/) e exponha o seu caso. No caso de concluir que foi enganado comunique à ADSE da mesma forma e queixe-se também à Entidade Reguladora da Saúde (ERSE) no link:  https://www.ers.pt/pt/utentes/reclamacoes/

www.adse.pt/pesqmed/ 

 

Eugénio Rosa – membro do conselho diretivo da ADSE eleito pelos representantes dos beneficiários no Conselho Geral de Supervisão da ADSE.

10-10-2021

Leave a Reply