A VELOCIDADE ABSURDA E INDIGNA COM QUE SE DIZ “SOU PASSAGEIRO”, por ORLANDO MAÇARICO

 

_______________

Nota de A Viagem dos Argonautas:

O autor escreveu esta nota antes de Eduardo Cabrita ter apresentado a sua demissão.

1 Comment

  1. A tardia demissão de Eduardo Cabrita(EC) não torna inútil nem inadequado este texto de Orlando Maçarico. EC pede a demissão quando já não é acusado. Assim deixa no ar a ideia de que sendo considerado inocente (?!?) já pode ir para casa descansado. E o PS (o chefe Costa) tentarão passar a mensagem de que ninguém do PS fugiu às suas responsabilidades.

    Pobre vítima! Pobre família! E pobre motorista! Este cometeu uma falha grave, sem dúvida. Destruiu a vida de outro homem e desgraçou a família deste, e também desgraçou a sua própria vida e, provavelmente, a dos seus familiares. Mas resistir ao superior hierárquico em Portugal, e isto não acontece exclusivamente na função pública, é considerado um dos pecados maiores, senão o maior.

    EC escolhe um momento oportuno para sair, esperemos que ao menos tenha uma réstia de bom senso e o faça definitivamente. Não só pelo caso da morte do Nuno Santos (julgo que assim se chamava a vítima do atropelamento) mas também pelo assassinato do ucraniano Ihor Homeniuk. Este crime medonho quantos encobridores teve? Mas que fez EC para apurar responsabilidades? E como ministro da AI não sabia dos graves problemas que afectavam, e de certeza que continuam a afectar o SEF?

Leave a Reply