Posts Tagged: ética

TEXTOS DE FILOSOFIA DEDICADOS À MINHA NETA ALÍCIA – selecção e tradução de JÚLIO MARQUES MOTA – TEXTO 3. QUATRO FRUTOS DA FILOSOFIA, de RACHEL ANNE WILLIAMS

Rachel Anne Williams, Four fruits of Philosophy Medium.com, 12 de Abril de 2018   Alguns cientistas de elevado renome dizem-nos que a filosofia é inútil – apresentamos aqui quatro razões pelas quais a filosofia ainda é importante source: wikicommons Está

TEXTOS DE FILOSOFIA DEDICADOS À MINHA NETA ALÍCIA – selecção e tradução de JÚLIO MARQUES MOTA – TEXTO 3. QUATRO FRUTOS DA FILOSOFIA, de RACHEL ANNE WILLIAMS

Rachel Anne Williams, Four fruits of Philosophy Medium.com, 12 de Abril de 2018   Alguns cientistas de elevado renome dizem-nos que a filosofia é inútil – apresentamos aqui quatro razões pelas quais a filosofia ainda é importante source: wikicommons Está

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 9. O que significará para a Europa o corte na ‘Quantitative Easing’? Entrevista a Heiner Flassbeck.

Seleção de Júlio Marques Mota, tradução de Francisco Tavares   9. O que significará para a Europa o corte na ‘Quantitative Easing’? Entrevista a Heiner Flassbeck conduzida por Sharmini Peries do The Real News Network em 1 de Novembro de

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 9. O que significará para a Europa o corte na ‘Quantitative Easing’? Entrevista a Heiner Flassbeck.

Seleção de Júlio Marques Mota, tradução de Francisco Tavares   9. O que significará para a Europa o corte na ‘Quantitative Easing’? Entrevista a Heiner Flassbeck conduzida por Sharmini Peries do The Real News Network em 1 de Novembro de

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 8. Aumento dos impostos pode diminuir a desigualdade sem afetar o crescimento económico (2ª parte-conclusão), por Júlio Marques Mota

8. Aumento dos impostos pode diminuir a desigualdade sem afetar o crescimento económico (2ª parte-conclusão) De Blanchard, a Constâncio, a Vítor Gaspar, a mesma mistificação para tudo poder ficar na mesma. Por Júlio Marques Mota em 31 de outubro de

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 8. Aumento dos impostos pode diminuir a desigualdade sem afetar o crescimento económico (2ª parte-conclusão), por Júlio Marques Mota

8. Aumento dos impostos pode diminuir a desigualdade sem afetar o crescimento económico (2ª parte-conclusão) De Blanchard, a Constâncio, a Vítor Gaspar, a mesma mistificação para tudo poder ficar na mesma. Por Júlio Marques Mota em 31 de outubro de

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 8. Aumento dos impostos pode diminuir a desigualdade sem afetar o crescimento económico (1ª parte), por Júlio Marques Mota

8. Aumento dos impostos pode diminuir a desigualdade sem afetar o crescimento económico (1ª parte) De Blanchard, a Constâncio, a Vítor Gaspar, a mesma mistificação para tudo poder ficar na mesma. Por Júlio Marques Mota em 31 de outubro de

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 8. Aumento dos impostos pode diminuir a desigualdade sem afetar o crescimento económico (1ª parte), por Júlio Marques Mota

8. Aumento dos impostos pode diminuir a desigualdade sem afetar o crescimento económico (1ª parte) De Blanchard, a Constâncio, a Vítor Gaspar, a mesma mistificação para tudo poder ficar na mesma. Por Júlio Marques Mota em 31 de outubro de

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 7. A franqueza dos banqueiros centrais tarda a ouvir-se. Por James Grant

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota    7. A franqueza dos banqueiros centrais tarda a ouvir-se  Por James Grant (*), em julho de 2017   __________________________________________________________________________________________ Quando é que alguém já ouviu os mandarins falarem claramente acerca da política

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 7. A franqueza dos banqueiros centrais tarda a ouvir-se. Por James Grant

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota    7. A franqueza dos banqueiros centrais tarda a ouvir-se  Por James Grant (*), em julho de 2017   __________________________________________________________________________________________ Quando é que alguém já ouviu os mandarins falarem claramente acerca da política

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 6. Crescimento: boom ou bolha? Por Jean-Luc Gréau

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota    6. Crescimento: boom ou bolha?     Por Jean-Luc Gréau (*)   em 24 de outubro de 2017 Em todo o mundo, o crescimento vai bem, muito bem mesmo, dopado por políticas monetárias

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 6. Crescimento: boom ou bolha? Por Jean-Luc Gréau

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota    6. Crescimento: boom ou bolha?     Por Jean-Luc Gréau (*)   em 24 de outubro de 2017 Em todo o mundo, o crescimento vai bem, muito bem mesmo, dopado por políticas monetárias

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 5 – O sistema financeiro é uma fraude absoluta(3ª parte-conclusão), por Paul Hellyer.

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 5. O sistema financeiro é uma fraude absoluta (3ª parte-conclusão)     Por Paul Hellyer(*), em fevereiro de 2011    (3ª parte-conclusão) A profissão de economista O que é que tudo isto nos

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 5 – O sistema financeiro é uma fraude absoluta(3ª parte-conclusão), por Paul Hellyer.

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 5. O sistema financeiro é uma fraude absoluta (3ª parte-conclusão)     Por Paul Hellyer(*), em fevereiro de 2011    (3ª parte-conclusão) A profissão de economista O que é que tudo isto nos

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 5 – O sistema financeiro é uma fraude absoluta(2ª parte), por Paul Hellyer.

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 5. O sistema financeiro é uma fraude absoluta     Por Paul Hellyer(*), em fevereiro de 2011  (2ª parte) Catástrofes futuras Um sistema global onde todo o dinheiro é criado sob a forma

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 5 – O sistema financeiro é uma fraude absoluta(2ª parte), por Paul Hellyer.

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 5. O sistema financeiro é uma fraude absoluta     Por Paul Hellyer(*), em fevereiro de 2011  (2ª parte) Catástrofes futuras Um sistema global onde todo o dinheiro é criado sob a forma

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 5 – O sistema financeiro é uma fraude absoluta(1ª parte), por Paul Hellyer.

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 5. O sistema financeiro é uma fraude absoluta (1ª parte)     Por Paul Hellyer(*), em fevereiro de 2011     Uma opinião sobre os economistas emitida em 2011  “O que é que tudo

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 5 – O sistema financeiro é uma fraude absoluta(1ª parte), por Paul Hellyer.

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 5. O sistema financeiro é uma fraude absoluta (1ª parte)     Por Paul Hellyer(*), em fevereiro de 2011     Uma opinião sobre os economistas emitida em 2011  “O que é que tudo

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 4 – O euro e o princípio da autoridade, por Roberto Perotti

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota     4. O euro e o princípio da autoridade      Por Roberto Perotti (*) Publicado por lavoce.info em 12 de maio de2017 O princípio da autoridade nunca é um argumento convincente,

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 4 – O euro e o princípio da autoridade, por Roberto Perotti

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota     4. O euro e o princípio da autoridade      Por Roberto Perotti (*) Publicado por lavoce.info em 12 de maio de2017 O princípio da autoridade nunca é um argumento convincente,

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 2 – O FMI e o multiplicador da Grécia. Por Alberto Bagnai

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 2. O FMI e o multiplicador da Grécia     Por Alberto Bagnai (*) Publicado por goofynomics.blogspot em 1 de abril de 2015 A economia existe porque há trocas, cada troca supõe a

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 2 – O FMI e o multiplicador da Grécia. Por Alberto Bagnai

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota 2. O FMI e o multiplicador da Grécia     Por Alberto Bagnai (*) Publicado por goofynomics.blogspot em 1 de abril de 2015 A economia existe porque há trocas, cada troca supõe a

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 1 – Fumos negros sobre os nossos olhos, fumos tóxicos sobre as nossas ideias (2ª parte-conclusão). Por Júlio Marques Mota

  1. Fumos negros sobre os nossos olhos, fumos tóxicos sobre as nossas ideias. Imagens da crise europeia. (2ª parte-conclusão) Por Júlio Marques Mota   2ª Parte (conclusão) – Fumos tóxicos sobre as nossas ideias       Mas sente-se

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 1 – Fumos negros sobre os nossos olhos, fumos tóxicos sobre as nossas ideias (2ª parte-conclusão). Por Júlio Marques Mota

  1. Fumos negros sobre os nossos olhos, fumos tóxicos sobre as nossas ideias. Imagens da crise europeia. (2ª parte-conclusão) Por Júlio Marques Mota   2ª Parte (conclusão) – Fumos tóxicos sobre as nossas ideias       Mas sente-se

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 1 – Fumos negros sobre os nossos olhos, fumos tóxicos sobre as nossas ideias (1ª parte). Por Júlio Marques Mota

1. Fumos negros sobre os nossos olhos, fumos tóxicos sobre as nossas ideias. Imagens da crise europeia. (1ª parte) Por Júlio Marques Mota     Razões de uma dedicatória Hoje, a Universidade de Coimbra está engalanada. Está em festa, com

Sobre os nossos dirigentes internacionais: da falta de ética à incapacidade de compreender a realidade económica. 1 – Fumos negros sobre os nossos olhos, fumos tóxicos sobre as nossas ideias (1ª parte). Por Júlio Marques Mota

1. Fumos negros sobre os nossos olhos, fumos tóxicos sobre as nossas ideias. Imagens da crise europeia. (1ª parte) Por Júlio Marques Mota     Razões de uma dedicatória Hoje, a Universidade de Coimbra está engalanada. Está em festa, com

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – NÃO HÁ UVAS SEM PARRAS – UM FIM-DE-SEMANA PARA CONTRIBUIR PARA A CASA DA ACHADA

NÃO HÁ UVAS SEM PARRAS um fim-de-semana para contribuir para a Casa da Achada De 15 a 18 de Dezembro vamos ter vendas diferentes das habituais. As nossas edições vão estar em destaque, mas podem também encontrar objectos raros, obras

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – NÃO HÁ UVAS SEM PARRAS – UM FIM-DE-SEMANA PARA CONTRIBUIR PARA A CASA DA ACHADA

NÃO HÁ UVAS SEM PARRAS um fim-de-semana para contribuir para a Casa da Achada De 15 a 18 de Dezembro vamos ter vendas diferentes das habituais. As nossas edições vão estar em destaque, mas podem também encontrar objectos raros, obras