PALCO 109 – EPHEMERA – OU O PAÍS QUE NÃO CONHECI (Afortunadamente!) – Ainda o 25 de Abril e as comemorações do Dia da Liberdade

 

 

Estreia da peça de teatro “A excepção e a regra”

“PROIBIDO POR INCONVENIENTE” – EXPOSIÇÃO REVELA O QUE A CENSURA ESCONDEU – 

08.04.2022

(*) … “Mas o debate nas reuniões da Comissão (de censura) manteve-se e no mês de Abril o estado da questão em relação a “O inferno” era o seguinte: Seguidamente, foram trocadas impressões acerca da peça “O inferno” (peça de Bernardo Santareno), salientando a Exmª. Senhora D. Mafalda Vaz Pinto que o novo final proposto pelo Sr. Bernardo Santareno é absolutamente absurdo, até porque o facto de ser afirmado que se trata de tarados de nascença, implica desde logo a sua irresponsabilidade e, consequentemente a criação de um ambiente odioso para a justiça que os vem a condenar. Julga por isso que a Comissão, embora lhe não caiba alterar os textos que lhe são submetidos, poderá, no entanto, sugerir a introdução de uma modificação que dê ao texto o sentido que a Comissão considera indispensável para a peça poder passar. Monsenhor Moreira das Neves, pronunciando-se em seguida, manifestou os maiores receios de que a peça – aliás, muitíssimo bem feita – venha a levantar sérios problemas, tal como está, acrescentando o Reverendo Padre Teodoro que, entre outras, uma das principais reacções é a que resulta do facto de o público, em face de toda a explicação, acabar por ter pena e absolver os criminosos, odiando o tribunal que os condena.”

*http://fabricadesites.fcsh.unl.pt/polocicdigital/wp-content/uploads/sites/8/2017/03/n12-a-censura-ao-teatro-no-perodo-marcelista.pdf

 

 

Leave a Reply