Posts Tagged: antónio oliveira

CARTA DE BRAGA – “abelhas, pardais e biodiversidade” por António Oliveira

‘Dos oito milhões de espécies estimadas para todo o planeta – das quais cinco milhões e meio são insectos – entre meio milhão e um milhão estão à beira da extinção, a maioria na próxima década’ Cento e cinquenta peritos

CARTA DE BRAGA – “abelhas, pardais e biodiversidade” por António Oliveira

‘Dos oito milhões de espécies estimadas para todo o planeta – das quais cinco milhões e meio são insectos – entre meio milhão e um milhão estão à beira da extinção, a maioria na próxima década’ Cento e cinquenta peritos

CARTA DE BRAGA – “snooker e eleições” por António Oliveira

Ali, bem à minha frente, dois contendores competiam serena e calmamente, por um título mundial. Não percebi qualquer gesto de animosidade para o antagonista, esperava cada um a sua vez de entrar no jogo e, quando terminava, por ter falhado,

CARTA DE BRAGA – “snooker e eleições” por António Oliveira

Ali, bem à minha frente, dois contendores competiam serena e calmamente, por um título mundial. Não percebi qualquer gesto de animosidade para o antagonista, esperava cada um a sua vez de entrar no jogo e, quando terminava, por ter falhado,

CARTA DE BRAGA – “Tolkien e o hipersujeito” por António Oliveira

As eleições europeias estão já aí e o problema maior parece ser a dissolução dos vínculos que marcaram a vida política nas últimas dezenas de anos! A hipermodernidade comandada pelos ecrãs, deu lugar a um ‘hipersujeito’ arredado e desligado da

CARTA DE BRAGA – “Tolkien e o hipersujeito” por António Oliveira

As eleições europeias estão já aí e o problema maior parece ser a dissolução dos vínculos que marcaram a vida política nas últimas dezenas de anos! A hipermodernidade comandada pelos ecrãs, deu lugar a um ‘hipersujeito’ arredado e desligado da

CARTA DE BRAGA -“de Abelaira e Victor Hugo” por António Oliveira

Uma, talvez a maior das minhas frustrações, é nunca ter estado em Florença! O ‘culpado’ deste desgosto, que talvez me vá acompanhar até partir, é Augusto Abelaira, por se ter ‘atrevido’ a escrever e a publicar o admirável ‘A cidade das

CARTA DE BRAGA -“de Abelaira e Victor Hugo” por António Oliveira

Uma, talvez a maior das minhas frustrações, é nunca ter estado em Florença! O ‘culpado’ deste desgosto, que talvez me vá acompanhar até partir, é Augusto Abelaira, por se ter ‘atrevido’ a escrever e a publicar o admirável ‘A cidade das

CARTA DE BRAGA – “Murphy, Bauman e o universo” por António Oliveira

  Robert Mathews é um cientista e investigador britânico, bem conhecido também por ser um popular divulgador da ciência, através da tv, livros e artigos em órgãos de comunicação diversos. Mathews saltou para a fama quando lhe foi atribuído o

CARTA DE BRAGA – “Murphy, Bauman e o universo” por António Oliveira

  Robert Mathews é um cientista e investigador britânico, bem conhecido também por ser um popular divulgador da ciência, através da tv, livros e artigos em órgãos de comunicação diversos. Mathews saltou para a fama quando lhe foi atribuído o

CARTA DE BRAGA – “Complemento oblíquo”por António Oliveira

No dia do ‘fazedor de mundos’, um curto e triste lamento sobre o ‘desfazer’ da língua’ Aqui há tempos, ao lado de uma jovem estudante e ouvindo a conversa com uma colega e amiga, percebi estarem a trocar dúvidas sobre

CARTA DE BRAGA – “Complemento oblíquo”por António Oliveira

No dia do ‘fazedor de mundos’, um curto e triste lamento sobre o ‘desfazer’ da língua’ Aqui há tempos, ao lado de uma jovem estudante e ouvindo a conversa com uma colega e amiga, percebi estarem a trocar dúvidas sobre

CARTA DE BRAGA – “de eleições, de trilemas e de remos” por António Oliveira

As mudanças havidas no meio ambiente e as alterações climáticas que os ‘poderosos’ não querem ver, serão a grande discussão e, se calhar, a guerra do século XXI. Tais ‘donos do poder’ olham-nos com condescendência, muito mais quando alguém se

CARTA DE BRAGA – “de eleições, de trilemas e de remos” por António Oliveira

As mudanças havidas no meio ambiente e as alterações climáticas que os ‘poderosos’ não querem ver, serão a grande discussão e, se calhar, a guerra do século XXI. Tais ‘donos do poder’ olham-nos com condescendência, muito mais quando alguém se

CARTA DE BRAGA –“de muros, catedrais e opiniões” por António Oliveira

Os primeiros dias de Abril ficaram marcados por dois acontecimentos que, à partida, nada terão a ver um com o outro – a prisão de Assange na embaixada do Equador em Londres e o incêndio de Notre-Dame, a catedral de

CARTA DE BRAGA –“de muros, catedrais e opiniões” por António Oliveira

Os primeiros dias de Abril ficaram marcados por dois acontecimentos que, à partida, nada terão a ver um com o outro – a prisão de Assange na embaixada do Equador em Londres e o incêndio de Notre-Dame, a catedral de

CARTA DE BRAGA -“de escrúpulos e contextos” por António Oliveira

  Este ano parece marcar um novo ponto de partida para esta inquieta e conturbada Europa, ou um outro semelhante mas para a chegada a uma quase irrecusável e dramática paralisação. O maior desafio talvez seja o de encontrar a

CARTA DE BRAGA -“de escrúpulos e contextos” por António Oliveira

  Este ano parece marcar um novo ponto de partida para esta inquieta e conturbada Europa, ou um outro semelhante mas para a chegada a uma quase irrecusável e dramática paralisação. O maior desafio talvez seja o de encontrar a

CARTA DE BRAGA – “de rendas e Brecht” por António Oliveira

  ‘Não só aumenta o fosso que separa ricos e pobres, mas também o que separa os ricos dos muito ricos’ Era um dos títulos de um jornal europeu, saído três dias depois deste outro, num jornal nacional, título a

CARTA DE BRAGA – “de rendas e Brecht” por António Oliveira

  ‘Não só aumenta o fosso que separa ricos e pobres, mas também o que separa os ricos dos muito ricos’ Era um dos títulos de um jornal europeu, saído três dias depois deste outro, num jornal nacional, título a

CARTA DE BRAGA – “e transmite-se!” por António Oliveira

  Bastaram duas notícias dos primeiros dias de Abril, para ficar bem mais consciente dos ingentes perigos das botas cardadas já dentro de portas nesta Europa tremebunda. Logo no dia 1, o diário digital ‘Publico.es’ salienta em título na primeira

CARTA DE BRAGA – “e transmite-se!” por António Oliveira

  Bastaram duas notícias dos primeiros dias de Abril, para ficar bem mais consciente dos ingentes perigos das botas cardadas já dentro de portas nesta Europa tremebunda. Logo no dia 1, o diário digital ‘Publico.es’ salienta em título na primeira

CARTA DE BRAGA – “orfandade geriátrica” por António Oliveira

    Saí do quiosque depois de ter apostado outra vez na hipótese de enricar com o beneplácito da Fortuna, uma amiga que já me proporcionou algumas mas raríssimas surpresas, mas não aquela com que sonhávamos os que estávamos na fila,

CARTA DE BRAGA – “orfandade geriátrica” por António Oliveira

    Saí do quiosque depois de ter apostado outra vez na hipótese de enricar com o beneplácito da Fortuna, uma amiga que já me proporcionou algumas mas raríssimas surpresas, mas não aquela com que sonhávamos os que estávamos na fila,

CARTA DE BRAGA – “das pessoas concretas” por António Oliveira

A cena passa-se no Jornal ‘Público’ do dia 18 de Março. ‘O que é preciso é uma aproximação às pessoas concretas’, a frase de Marcelo lida pelo cliente sentado num banco ao balcão do Bartoon. O dono do bar responde de

CARTA DE BRAGA – “das pessoas concretas” por António Oliveira

A cena passa-se no Jornal ‘Público’ do dia 18 de Março. ‘O que é preciso é uma aproximação às pessoas concretas’, a frase de Marcelo lida pelo cliente sentado num banco ao balcão do Bartoon. O dono do bar responde de

CARTA DE BRAGA – ‘Quo usque tandem abutere, trumpa, patientia nostra? O tempora, o mores! por António Oliveira

Não tenho qualquer pretensão em presumir erudições! Esta citação pertence a uma das quatro catilinárias, os discursos proferidos por Cícero no Senado e contra Catilina, o filho de nobres que queria derrubar a república. Discursos que levaram Catilina a afastar-se

CARTA DE BRAGA – ‘Quo usque tandem abutere, trumpa, patientia nostra? O tempora, o mores! por António Oliveira

Não tenho qualquer pretensão em presumir erudições! Esta citação pertence a uma das quatro catilinárias, os discursos proferidos por Cícero no Senado e contra Catilina, o filho de nobres que queria derrubar a república. Discursos que levaram Catilina a afastar-se

CARTA DE BRAGA – “O PROBLEMA DOS ESPELHOS” por António Oliveira

Se procurarmos o termo ‘cultura’ mas evocando os clássicos, logo nos acode a conhecida proposição de Aristóteles ‘todos os homens, por natureza, desejam saber’ Recorrendo depois aos modernos, ‘devemos definir cultura como o esforço da aquisição de um saber maior,

CARTA DE BRAGA – “O PROBLEMA DOS ESPELHOS” por António Oliveira

Se procurarmos o termo ‘cultura’ mas evocando os clássicos, logo nos acode a conhecida proposição de Aristóteles ‘todos os homens, por natureza, desejam saber’ Recorrendo depois aos modernos, ‘devemos definir cultura como o esforço da aquisição de um saber maior,