Posts Tagged: palavras

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (135)

. CONSERVADOS EM SAL-GEMA . . Se me acontece escrever Pensamentos, ideias, palavras movediças e soltas E com eles formar versos, e mais tarde um poema Só eles, os versos, sabem o que me querem dizer, Que caminho me indicam,

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (135)

. CONSERVADOS EM SAL-GEMA . . Se me acontece escrever Pensamentos, ideias, palavras movediças e soltas E com eles formar versos, e mais tarde um poema Só eles, os versos, sabem o que me querem dizer, Que caminho me indicam,

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (110)

  PROCURO O DESTINO DAS PALAVRAS   Procuro a vida secreta Que entrevejo nas palavras Na rima Na imagem No sabor e no cheiro E não sei qual a minha meta. Ignoro por onde vou Que letras virão ao meu

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (110)

  PROCURO O DESTINO DAS PALAVRAS   Procuro a vida secreta Que entrevejo nas palavras Na rima Na imagem No sabor e no cheiro E não sei qual a minha meta. Ignoro por onde vou Que letras virão ao meu

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (101)

CONSERVADAS EM SAL-GEMA     Se me acontece escrever Pensamentos, ideias, palavras movediças e soltas E com eles formar versos, e mais tarde um poema Só eles, os versos, sabem o que me querem dizer, Que caminho me indicam, que

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (101)

CONSERVADAS EM SAL-GEMA     Se me acontece escrever Pensamentos, ideias, palavras movediças e soltas E com eles formar versos, e mais tarde um poema Só eles, os versos, sabem o que me querem dizer, Que caminho me indicam, que

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (176)

JANTAR LITERÁRIO NA FOZ DO DOURO, PORTO   ACONTECEU no DIA 3 de ABRIL, na TASCA DO BAIRRO   Por iniciativa da Associação Cultural “O PROGRESSO DA FOZ” e da “FOZ LITERÁRIA”, realizou-se, na passada Segunda-feira, mais um jantar literário excelentemente

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (176)

JANTAR LITERÁRIO NA FOZ DO DOURO, PORTO   ACONTECEU no DIA 3 de ABRIL, na TASCA DO BAIRRO   Por iniciativa da Associação Cultural “O PROGRESSO DA FOZ” e da “FOZ LITERÁRIA”, realizou-se, na passada Segunda-feira, mais um jantar literário excelentemente

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (72)

BEM QUE PODIA SER MAIS TARDE     São agora nevoeiro As nuvens Faz um pouco de frio E como um rio O meu pensamento Feito de palavras certas Arde E voa e flui como um lamento Amanheceu cedo, o

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (72)

BEM QUE PODIA SER MAIS TARDE     São agora nevoeiro As nuvens Faz um pouco de frio E como um rio O meu pensamento Feito de palavras certas Arde E voa e flui como um lamento Amanheceu cedo, o

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (59)

  PROCURO O DESTINO DAS PALAVRAS     Procuro a vida secreta Que entrevejo nas palavras Na rima Na imagem No sabor e no cheiro E não sei qual a minha meta. Ignoro por onde vou Que letras virão ao

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (59)

  PROCURO O DESTINO DAS PALAVRAS     Procuro a vida secreta Que entrevejo nas palavras Na rima Na imagem No sabor e no cheiro E não sei qual a minha meta. Ignoro por onde vou Que letras virão ao

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (6)

O OUTRO EU   Não sou eu quem pensa o que escrevo. Os pensamentos que transformo em palavras E me levam para outros pensamentos E outras palavras, e outros lamentos Não são meus São do outro eu, em mim. Esse

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (6)

O OUTRO EU   Não sou eu quem pensa o que escrevo. Os pensamentos que transformo em palavras E me levam para outros pensamentos E outras palavras, e outros lamentos Não são meus São do outro eu, em mim. Esse

CONTOS & CRÓNICAS – “POIS É” – Por José Magalhães (17)

POIS É! . Quand il ne disait rien il observait le silence . Parávamos todos os dias no mesmo local para descontrair e tomar um café. Olhei-a de longe, mais tempo do que deveria. Nem sei porquê. Naquele dia havia

CONTOS & CRÓNICAS – “POIS É” – Por José Magalhães (17)

POIS É! . Quand il ne disait rien il observait le silence . Parávamos todos os dias no mesmo local para descontrair e tomar um café. Olhei-a de longe, mais tempo do que deveria. Nem sei porquê. Naquele dia havia