O CICLO WAGNER VAI TERMINAR COM A APRESENTAÇÃO DE “O ANEL DO NIBELUNGO”

Vamos encerrar o ciclo operático dedicado a Richard Wagner com a apresentação da sua tetralogia O Anel do Nibelungo (Der Ring des Ninbelungen). Começa com O Ouro do Reno (Das Rheingold), seguindo-se A Valquíria (Die Walküre), SiegfriedCrespúsculo dos Deuses (Götterdämmerung). A famosa tetralogia forma, com Tristão e Isolda, com Parsifal e com Os Mestres Cantores de Nuremberga o período mais fecundo do compositor, o que corresponde à maturidade e durante o qual surgiu um esplendor criativo que superou as fases anteriores. A tetralogia baseia-se em lendas da mitologia germânica. Wagner levou vinte e seis anos a compô-la e as quatro óperas demoram cerca de quinze horas a ser executadas. O Crepúsculo dos Deuses, a mais extensa das quatro, será por isso apresentada em três sessões. O Ouro do Reno  foi estreada em 1869 no Teatro de Ópera de Bayreuth. Hoje vamos assistir ao espectáculo filmado em 2002 na Ópera de Estugarda, com a orquestra e o coro dirigidos pelo maestro Lothar Zagrosek e com  Wolfgang Probst,  Motti Kastón,  Bernhard Schneider,  Robert Künzli e  Esa Ruuttunen nos principais papéis.

NA PRÓXIMA SESSÃO DA NOITE – O OURO DO RENO – DE RICHARD WAGNER

Leave a Reply