REFLEXÕES SOBRE A MORTE DA ZONA EURO, SOBRE OS CAMINHOS SEGUIDOS NA EUROPA A CAMINHO DOS ANOS 1930

Uma viagem pelos países da Europa atingidos  pelo  escândalo  da carne de cavalo

Por Júlio Marques Mota

Uma peça dedicada ao meu amigo Gama, à sua égua, às crianças que a montaram

(CONCLUSÃO)

Parte VII

europe_pol_1993

——

Na Alemanha, a carne de  cavalo encontrada em lasanha sobrecongelada

Carne de cavalo - V

Foi encontrada carne de cavalo pela primeira vez num  lote de lasanhas sobrecongeladas que estavam à venda na Alemanha , disse na quinta-feira o distribuidor em causa, a rede de supermercados Real. Real tinha já retirado da venda,  por precaução,  muita lasanha da sua marca  de   baixo  preço   e os testes laboratoriais encomendados  evidenciaram a presença de carne de cavalo esta quarta-feira, reconheceu o grupo num seu  comunicado publicado no  seu site.

O grupo de distribuição, que tem 316 lojas na Alemanha, assegurou trabalhar  em colaboração com as autoridades, os seus fornecedores e o Ministério da agricultura e do consumidor   para  “tomar todas as medidas que se considerem  necessárias para garantir que os clientes  tenham a certeza de que de que apenas compram produtos irrepreensíveis”. “As autoridades devem verificar a quantidade de carne de cavalo que se encontra  nestes produtos,” disse o ministro do consumo  Ilse Aigner  na ,manhã de quinta-feira, ao  canal de televisão pública ZDF. No entanto, ela enfatiza que “as empresas já responderam”, retirando todos os seus produtos suspeitos do mercado.

A cadeia de supermercados Edeka, o maior  distribuidor alemão de produtos alimentares lançou também uma série de testes sobre os seus produtos, bem como o vendedor de sobrecongelados ao domicilio, Eismann ou a cadeia de lojas Kaiser – Tengelmann.

A Suíça retira a lasanha sobrecongelada das  vendas

O grupo de distribuição suíço Coop anunciou no seu site que as lasanhas sobrecongeladas foram retiradas do mercado na terça-feira, uma vez que as análises mostraram que os produtos à venda  continham  carne de cavalo.

Os  funcionários do matadouro romeno Com-Doly, a 12 de fevereiro, em Roma.

GhirdaCoop retirou   da venda “como medida de precaução” lasanhas  fabricadas  pela empresa francesa Comigel .   Uma análise dos produtos tinha sido decidida  para saber  “se e em que medida as entregas Comigel estão a ser acusadas por uma declaração injusta”, noticiou terça-feira um seu porta-voz.

Os Países Baixos e o trader incriminados

Os controles  foram realizados em cerca de cento e quarenta talhos  e de supermercados. A actividade duma dessas empresas foi suspensa. As autoridades estão a investigar o possível envolvimento da empresa holandesa, em que um dos seus traders teria feito transitar  a carne encontrada na  lasanha Findus.

Chipre, 16 toneladas de carnes picadas foram destruída

As autoridades cipriotas  na quinta-também anunciaram  que um supermercado local tinha destruído, por medida cautelar,  16 toneladas de carne para bifes picado. Mas estas   afirmaram que não havia  ” nenhuma presença de carne de cavalo na cadeia alimentar em Chipre”.

Uma peça feita na base de vários artigos do Le Monde e não só.

——–

Texto enviado pelo meu amigo Gama a propósito da sua égua,  da minha neta e da crise que nos assola.

 

Boa noite, Júlio.
Obrigado por esta peça, que acabei de ler. Fiquei a saber tudo sobre processo.
A Oblisca ainda não foi feita em lazanha. Aliás, ficas a saber que não querem os cavalos brancos pois estes têm tendência a criar um tecido esponjoso que cria mais desperdício no aproveitamento da carne.
A crise, como referes, levou-me a fazer a doação da égua à fundação do Jaime Ramos, em Miranda do Corvo. É bastante longe para levarmos a Alícia a montar.
Podemos passar sem uma égua para andar a cavalo, mas começa a ser muito difícil viver num Portugal a desmoronar-se.
Hoje fui ver “Django”. Precisávamos cá de um “Django Libertado”.

About joaompmachado

Nome completo: João Manuel Pacheco Machado

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: