ISTO É MATEMÁTICA por clara castilho

9349741_b7nul3[1]

A matemática é uma das áreas nas quais as crianças das nossas escolas maiores dificuldades apresentam. Nas crianças com que trabalho na instituição onde trabalho deparamos nos muitas vezes com situações desesperantes. Ainda há uns dias uma professora nos contava as falhas de um criança de 8 anos: dia de nascimento não era o mesmo que dia de anos, dias da semana baralhados, noção de cronologia do tempo inexistente .. como perceber a numeração e tudo o resto que na escola é preciso saber?

 João dos Santos debruçou-se sobre este assunto, tendo escrito alguns textos. É matéria de grande interesse. E ele põe no mesmo bolo a aprendizagem da matemática e a da escrita:

 “A escrita é basicamente sinalização e simbolização. Nos tempos modernos – da escola convencional que herdamos de gregos e romanos – a aprendizagem faz-se através do falar ligado à escrita dos sinais que integram nos signos (palavras), os SINAIS  e os SÍMBOLOS  A base sinalética da cultura escrita implica o conhecimento matemático elementar e “espontâneo” do que se chama matemática moderna na sua forma mais elementar. Ler é basicamente reconhecer o valor qualitativo e quantitativo dos sinais, é basicamente matemática.

B+A = BA    B+A = 4

2 +2 = 4        2 + 2 = BA”

(in “A Casa da Praia – O psicanalista na escola”, livros Horizonte, Lisboa, 1988, pag. 46)

DIGITAL CAMERA

A este propósito vem a informação de que o Museu Nacional de História Natural e da Ciência tem patente uma exposição sobre Matemática, com a chancela da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, com o nome “Formas & Fórmulas” que pode ser vista até  28 de Abril de 2013.

O seu preâmbulo é : Em 1795, Lagrange referia que “Enquanto a Álgebra e a Geometria estiveram separadas, o seu progresso foi lento e o seu uso limitado, mas uma vez que estas ciências se uniram, elas deram uma à outra um apoio mútuo e rapidamente avançaram juntas para a perfeição”.

“Formas & Fórmulas” pretende fazer uma leitura desta citação à luz dos avanços científicos e tecnológicos do século XXI. Ligando modelos geométricos, objectos de uso comum e formas de arquitectura com fórmulas matemáticas, mostra-se como os mundos da Geometria (formas) e da Álgebra (fórmulas) se apoiam e completam.

Através da experiência expositiva, os visitantes serão estimulados a conhecer as respostas a algumas das questões mais relevantes sobre este tema:

O que é uma superfície de revolução? Como é que alterando uma fórmula se obtém uma outra forma? Porque é que um buraco complica uma superfície? O que é uma singularidade?

 No mesmo Museu permanecem ainda os elementos da exposição “Jogos Matemáticos através dos Tempos” onde são apresentados ao público 11 réplicas dos jogos de tabuleiro mais antigos que se conhecem (desde o Stomachion do séc. III a.C. ao Hex do séc. XX, passando pelo Ouranomachia do séc. XVI). Alguns desses jogos só existem em manuscritos antigos e foram construídos pela primeira vez para esta exposição. Cada um dos jogos é individualmente explicado, tanto do ponto de vista das regras como no que diz respeito ao contexto histórico e social em que se inserem.

A exposição resulta do trabalho de investigação do historiador e divulgador de Matemática Jorge Nuno Silva como este vídeo explica :

 A Sociedade de Matemática tem feito alguns vídeos, alguns dos quais tem sido vistos na SIC Notícias. Não gostei muito de ver alguns, achei que eram muito rápidos, não se percebia bem o que queriam dizer. Mas este que aqui deixo é bem explícito. Vamos mostrá-los às nossas crianças e reflectir com elas depois.

 

Leave a Reply