A DEGRADAÇÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE (SNS) EM PORTUGAL – por EUGÉNIO ROSA – I

O ESTRANGULAMENTO FINANCEIRO DO SNS E A DEGRADAÇÃO INEVITÁVEL DA SAÚDE EM PORTUGAL EM 2014

A OCDE acabou de divulgar o “Panorama da saúde em 2013- Indicadores da OCDE”, do qual retiramos o gráfico 1 que mostra a despesa com saúde em Portugal e nos países da OCDE.

 Gráfico 1- Despesas de saúde por habitante 2011 nos países da OCDE

Saúde - IFONTE: Statistiques de l’OCDE sur la santé 2013, OCDE

Segundo a OCDE, em 2011, a despesa por habitante com a saúde em dólares PPA, portanto anulando o efeito das diferenças de preços entre países, era apenas de 2.619 dólares PPA em Portugal, quando a média os países da OCDE atingia 3.312 dólares PPA por habitante. Mas mais grave era o facto da parcela de despesa pública em Portugal ser muito mais baixa do que a media dos países da OCDE, o que obrigava os portugueses a suportarem, através do seu orçamento familiar, uma parcela maior dos custos com a saúde. A despesa publica por habitante em Portugal era de 1.703 dólares PPA, ou seja, representava apenas 65% da despesa total de saúde por habitante em Portugal, quando a média nos países da OCDE era de 72,7%. Como consequência, segundo a OCDE, Portugal era um dos países onde a percentagem da população adulta que declara estar com boa saúde era mais baixa.

Gráfico 2 – População com mais de 15 anos que declara estar com boa saúde em 2011

Saúde - II

Como mostra o gráfico 2 constante da mesma publicação da OCDE, em 2011, Portugal era precisamente o 3º país a contar do último (depois do Japão e da Coreia) onde os seus habitantes adultos declaravam “estar em bom estado de saúde”. Apenas 49,7% da população do nosso país com mais de 15 anos declarou “estar em bom estado de saúde”, quando a média nos países da OCDE atingia 69,6%, o que não deixa de ser preocupante já que tem efeitos não só no seu bem estar e felicidade mas também a nível da sua capacidade de trabalho e produtividade.

(continua)

1 Comment

Leave a Reply