IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (23)

imagenspoesia1

A PAISAGEM CORRE DEVAGAR

DSC02390-1000x

A paisagem corre devagar
Vidro embaciado, chuva miudinha
Sorrateira, instalas-te no meu colo
Vieste não sei de onde, és bela.
Quase sem querer, começo a amar
A correr o teu corpo, sabendo-te minha.
Esqueço de tudo, tu és meu consolo
És a minha égua, montada sem sela
E, extremo gozo,
Ninguém suspeita de ti,
Nua, comigo, aqui,
Neste eléctrico de cor amarela.

 

(In Uma, Duas Vezes e Três)

4 Comments

  1. Bons tempos…dos eléctricos – sempre repletos, os putos agarrados nas grades e os “picas” a tentarem sacudi-los
    ….liam-se livros e jornais, rabiscavam-se pequenos poemas – escrevi alguns nos bilhetes coloridos da Carris,
    assim era a minha cidade – de reboliço, trabalho e muita malandrice…hoje, passam sozinhos ou cheios
    de turistas…

  2. Muito viajei de eléctrico e “adorava” o 500 que fazia, a dada altura, a linha 20 (eu fazia o trajecto S.Lázaro/Ramada Alta, nos anos 60…. ). E os que vinham pela R.D,Afonso Henriques, com os atrelados onde os ciclistas se agarravam para terem “boleia”….
    Como era bom viajar naqueles benditos eléctricos, rumo ao Castelo do Queijo, quando ainda menina, a praia era uma miragem de sonho!!
    Recordações………………………..

Leave a Reply