SINAIS DE FOGO – DINIS FAZ CHECK-IN – por Soares Novais

sinais de fogo

 

Apesar do título inglesado, não vou falar do Brexit. Deixo essa tarefa para os sábios. Como o Dr. Rangel ou o conselheiro Xavier. Eles é que sabem tudo sobre a Europa, o Reino Unido e o sentido de voto dos súbditos de sua majestade. Prova-o o resultado final do referendo que, como se sabe, confirmou as suas sábias previsões.

O título serve para referenciar a ida de um ex-assessor do ex-maoista Barroso, até há pouco o grande líder da União Europeia (UE), para director do “Público” – o jornal que custa milhões a Belmiro, mas que o patrão dos “hiper” teima em manter como arma de influência e de ataque. Sempre convenientemente travestido como diário de “referência” e “independente”.

O personagem em causa é Dinis. David Dinis, que se apresenta profissionalmente como jornalista e é apresentado como comentador independente, sempre que os canais televisivos o convidam para dar a conhecer as suas luminosas ideias sobre os mais diversos assuntos.

Segundo se sabe, Dinis passou por diversos jornais tão independentes como o “Público”, que agora vai dirigir. “Diário de Notícias” e “Sol” são dois deles.

Dinis fundou também o mais independente de todos: o “Observador”. Jornal online onde pontifica outro exemplo de opinador independente: José Manuel Fernandes.

O “Observador” disse logo ao que vinha: servir de suporte ao governo chefiado por Coelho e Portas; e ser porta-voz da Direita mais conservadora e reaccionária, pois é para isso que é pago pelos cavaquistas Alexandre Relvas, Luís Amaral e António Carrapatoso, ex-patrão da Vodafone que se celebrizou por dever milhares de euros ao “Fisco”.

Em Março passado, Dinis, que integra o restrito número de escolhidos que a Maçonaria, a Opus Dei, o patrão Balsemão, o patrão Proença e o patrão Belmiro querem ao seu serviço e não raramente trocam entre si, bateu com a porta digital e passou a dirigir a TSF. Por escassos 100 dias.

Agora, segue-se o “Público”. E Dinis já disse que “confia no jornalismo independente”. Francisco Assis, Paulo Rangel, Passos Coelho, Paulo Portas, Relvas e Carrapatoso também…

Leave a Reply