EM TORNO DA PANDEMIA – O DESABAFO DE JÚLIO MARQUES MOTA

Depois de sabermos que  “O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) terá comprado fatos de pintor numa grande superfície para proteger as equipas que estão na linha da frente do atendimento a casos possíveis de infeção pelo Covid-19″, depois de assistirmos ao espectáculo da conferência de ontem com a ministra da Saúde que nos fala dos milhões já gastos, depois de sabermos que a praia de Carcavelos ficou  cheia de estudantes dispensados de aulas por causa da pandemia,  depois de sabermos que algures neste país um diretor de escola  foi ameaçado de levar um processo em cima por estar a querer contrariar a decisão soberana dos estudantes de querem fazer a sua viagem de finalistas do 12º ano, ( e sobre isto talvez eu tenha sonhado), depois de podermos prever que  largos milhares de estudantes do 12º ano se irão enfrascar em verdadeiras bebedeiras colectivas para os lados da vizinha  Espanha sem que um dedo do poder tenha até agora sido levantado,  deixando a ideia que se trata de decisão individual de cada um dos estudantes e dos seus pais, como se a sociedade como um todo nada tenha a dizer, informo, de fonte segura,  que o livro mais vendido em Itália nestas últimas semanas é o livro cuja capa abaixo  reproduzo. E  a todos desejo boa leitura em companhia deste livro.

P. S: O exemplo de Carcavelos mostra bem que gente estamos a formar, é o que penso. Ainda sobre educação, vejamos dados oficiais franceses sobre a evolução dos custos públicos em educação, que admito representar o  quadro geral a nível europeu, para termos uma ideia como esta é encarada a nível europeu :

Daqui somos levados a concluir que a educação, em  França e algures, é afinal um parente pobre, muito pobre mesmo, da financeirização da economia levada a cabo ao longo das últimas décadas a partir de Bruxelas..

Diz-se agora que a crise de pandemia que estamos a atravessar  será um teste para os serviços nacionais de saúde dos Estados membros da UE. Vejamos ainda com o caso francês como exemplo  como é que, em face  da Troika e de todos os mecanismos que a antecederam e  se lhe seguiram depois , de modo  a garantir -se a austeridade, evoluiu o sistema de saúde público e privado em termos de investimento público e privado em França:

 

 

Seremos levados a concluir que os sistemas de saúde responderão mal, como se tem estado a ver, porque estarão carentes de recursos materiais  e humanos, independentemente do esforço heróico que os profissionais de saúde estarão a desenvolver.

Peço desculpa pelo desabafo.

Cumprimentos

Júlio Mota

About joaompmachado

Nome completo: João Manuel Pacheco Machado

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: