Espuma dos dias – As voltas que o mundo dá — “Perdendo na linha da frente do Donbass, Kiev lança batalha diplomática”. Por Southfront

Seleção e tradução de Francisco Tavares

5 m de leitura

 

Perdendo na linha da frente do Donbass, Kiev lança batalha diplomática

 

Por  em 7 de Junho de 2022 (original aqui)

 

 

Enquanto as linhas da frente de Donbass estão inflamadas por batalhas posicionais e ambos os lados reivindicam alguns sucessos tácticos, a batalha diplomática internacional continua. Kiev e Moscovo parecem aderir a planos diferentes sobre como exportar milhões de toneladas de cereais ucranianos dos portos bloqueados e salvar o mundo de uma crise alimentar.

Mais recentemente, os principais desenvolvimentos nos campos de batalha na Ucrânia tiveram lugar na área de Svyatogorsk. A 6 de Junho, forças lideradas pela Rússia reivindicaram o controlo do último reduto ucraniano na cidade. A operação de limpeza continua nas áreas próximas.

As forças lideradas pela Rússia estão também a expandir a sua zona de controlo na área de Krasny Liman. A aldeia de Illyichevka situada a sul da cidade ficou sob o controlo da República Popular de Donetsk.

Alguns avanços da Milícia Popular da República Popular de Donetsk foram confirmados perto de Avdeevka. As Forças Armadas da Ucrânia foram repelidas de algumas das suas posições a norte da cidade.

As linhas da frente ucranianas do sul nas regiões de Kherson e Nikolaev foram também marcadas por alguns sucessos tácticos do exército russo. Após as Forças Armadas da Ucrânia terem lançado uma contra-ofensiva e conseguido tomar o controlo da cidade de Davidov Brod, não conseguiram desenvolver mais nenhum avanço. Como resultado, as unidades ucranianas foram repelidas das suas posições e a cidade voltou a estar sob controlo russo.

O início de Junho foi marcado por alguns progressos nos processos diplomáticos entre os dois países, que se mantiveram parados durante meses.

A 7 de Junho, a delegação russa deslocou-se a Turkiye para realizar negociações sobre o tema da exportação de cereais a partir dos portos da Ucrânia. Moscovo e Ancara esperam estabelecer um mecanismo seguro para a exportação durante a reunião dos Ministros dos Negócios Estrangeiros russo e turco no dia 8 de Junho.

Anteriormente, a agência estatal turca Anadolu informou que a Rússia, Ucrânia e Turkiye, com a assistência das Nações Unidas, desenvolveram um “roteiro” que permitirá que cerca de 20 milhões de toneladas de grãos e sementes de girassol sejam exportadas e entregues no mercado internacional. As partes deverão discutir os detalhes nas reuniões em Ancara.

Segundo a Bloomberg, alguns acordos “preliminares” implicam a participação da marinha turca na operação de desminagem no Mar Negro. No entanto, Kiev ainda deu o seu acordo.

A retórica bélica de Kiev coloca dúvidas sobre a implementação do plano turco. Vladimir Zelensky chamou à implantação de sistemas anti-navegação na Ucrânia a “melhor garantia” da exportação de cereais. O primeiro-ministro britânico afirmou anteriormente que estava disposto a enviar mísseis anti-navio Harpoon para a Ucrânia. A Dinamarca deveria também fornecer à Ucrânia estes mísseis e lançadores para os mesmos.

Assim, as reais intenções da política de Kiev levada a cabo de acordo com os interesses americanos e britânicos são confirmadas pelos esforços de Zelensky para prolongar e intensificar as hostilidades na Ucrânia.

 

 

 

Leave a Reply