Posts Tagged: guerra

AS VIOLÊNCIAS AUMENTAM por Luísa Lobão Moniz

Todos os Anos desejamos aos nossos amigos e familiares momentos de muita alegria e prazer para os próximos 365 dias. Todos os anos dizemos que temos esperança, e queremos transmiti-la, que a Humanidade lute efectivamente pela Paz, e pelos Direitos

AS VIOLÊNCIAS AUMENTAM por Luísa Lobão Moniz

Todos os Anos desejamos aos nossos amigos e familiares momentos de muita alegria e prazer para os próximos 365 dias. Todos os anos dizemos que temos esperança, e queremos transmiti-la, que a Humanidade lute efectivamente pela Paz, e pelos Direitos

VALENTE HEROIS por Luísa Lobão Moniz

E, como todos os anos, lá se comemoraram o Dia da Criança Desaparecida e o Dia Mundial da Criança. Havia no ar o silêncio das meninas e dos meninos que passo a passo vão tentando chegar ao fim da estrada

VALENTE HEROIS por Luísa Lobão Moniz

E, como todos os anos, lá se comemoraram o Dia da Criança Desaparecida e o Dia Mundial da Criança. Havia no ar o silêncio das meninas e dos meninos que passo a passo vão tentando chegar ao fim da estrada

CONSTRUIR PONTES por Luísa Lobão Moniz

À medida que crescemos, vemos, ouvimos e lemos o que se passa à nossa volta e ao que acontece lá longe. Lembro-me de se dizer às crianças “Come tudo. Há muitos meninos que passam fome e tu a deitares fora….”

CONSTRUIR PONTES por Luísa Lobão Moniz

À medida que crescemos, vemos, ouvimos e lemos o que se passa à nossa volta e ao que acontece lá longe. Lembro-me de se dizer às crianças “Come tudo. Há muitos meninos que passam fome e tu a deitares fora….”

QUE MAIS VAMOS VER? por Luísa Lobão Moniz

Que mais vamos ver? Suspeito que ainda não vimos tudo… Atentados terroristas…gás sarin sobre as populações…mortes de adultos e de crianças acompanhados não pelos seus familiares, mas pelos militares que estão lá para matar, e não para proteger. É o

QUE MAIS VAMOS VER? por Luísa Lobão Moniz

Que mais vamos ver? Suspeito que ainda não vimos tudo… Atentados terroristas…gás sarin sobre as populações…mortes de adultos e de crianças acompanhados não pelos seus familiares, mas pelos militares que estão lá para matar, e não para proteger. É o

AINDA VAMOS A TEMPO por Luísa Lobão Moniz

O mundo é algo de estranho, de belo e de assustador. Aprendemos as guerras e as suas consequências e causas, aprendemos formas de organização social, ditaduras, democracias, sistemas grupais, tribais, sociedades violentas, sociedades tolerantes, sociedades multiculturais, aprendemos revoluções. Mas temos

AINDA VAMOS A TEMPO por Luísa Lobão Moniz

O mundo é algo de estranho, de belo e de assustador. Aprendemos as guerras e as suas consequências e causas, aprendemos formas de organização social, ditaduras, democracias, sistemas grupais, tribais, sociedades violentas, sociedades tolerantes, sociedades multiculturais, aprendemos revoluções. Mas temos

OS MALES DO MUNDO por Luísa Lobão Moniz

O Pai Natal andou toda a noite no seu trenó puxado por quatro renas deixando as prendas nos sapatinhos das crianças e dos adultos. Quem não gosta de receber um presente? Quem não se encanta com o sorriso e o

OS MALES DO MUNDO por Luísa Lobão Moniz

O Pai Natal andou toda a noite no seu trenó puxado por quatro renas deixando as prendas nos sapatinhos das crianças e dos adultos. Quem não gosta de receber um presente? Quem não se encanta com o sorriso e o

FELIZ NATAL por Luísa Lobão Moniz

Feliz Natal! Passe o Natal com a sua família e coma bacalhau da Noruega! Ronaldo pediu às crianças da Síria para não perderem a esperança e entregou um donativo generoso a uma ONG, “save the children” Esta época de Natal

FELIZ NATAL por Luísa Lobão Moniz

Feliz Natal! Passe o Natal com a sua família e coma bacalhau da Noruega! Ronaldo pediu às crianças da Síria para não perderem a esperança e entregou um donativo generoso a uma ONG, “save the children” Esta época de Natal

EDITORIAL – O IÉMEN (A ARÁBIA FELIZ), SOFRE OUTRA GUERRA OCULTA

O Iémen (Yemen, se preferirem), fica no sul da península arábica. Terá cerca de 25 milhões de habitantes, dispersos por uma área de mais de 500 mil quilómetros quadrados. A sua localização estratégica fez com que por ali, ao longo

EDITORIAL – O IÉMEN (A ARÁBIA FELIZ), SOFRE OUTRA GUERRA OCULTA

O Iémen (Yemen, se preferirem), fica no sul da península arábica. Terá cerca de 25 milhões de habitantes, dispersos por uma área de mais de 500 mil quilómetros quadrados. A sua localização estratégica fez com que por ali, ao longo

JÁ BASTA por Luísa Lobão Moniz

Mais uma vez a imagem de uma criança maltratada corre o mundo e todos nós nos comovemos ao ver aquele menino que foi retirado do meio das pedras por um soldado. O menino ficou sentado numa cadeira com os olhos

JÁ BASTA por Luísa Lobão Moniz

Mais uma vez a imagem de uma criança maltratada corre o mundo e todos nós nos comovemos ao ver aquele menino que foi retirado do meio das pedras por um soldado. O menino ficou sentado numa cadeira com os olhos

DIÁSPORA. ESTABA ARDIENDO EL MUNDO, por Moisés Cayetano Rosado

En el 6º Festival Internacional de Poesía y Arte (ver: http://moisescayetanorosado.blogspot.com.es/2016/03/grito-demujer-asisto-al-6festival.html) presenté un poema recién escrito basado en los tremendos acontecimientos que nos están tocando vivir de guerra y exilio, con las horribles consecuencias de dolor e insolidaridad para con

DIÁSPORA. ESTABA ARDIENDO EL MUNDO, por Moisés Cayetano Rosado

En el 6º Festival Internacional de Poesía y Arte (ver: http://moisescayetanorosado.blogspot.com.es/2016/03/grito-demujer-asisto-al-6festival.html) presenté un poema recién escrito basado en los tremendos acontecimientos que nos están tocando vivir de guerra y exilio, con las horribles consecuencias de dolor e insolidaridad para con

REVISTA DA SEMANA por Luís Rocha

Revista da semana De 07/02/ a 13/02/2016 A leitura das notícias que publico esta semana fala por si e por isso me dispenso de comentários: ARTIGOS PUBLICADOS  1 – Economês  2 – Défice estrutural: magia negra  3 – Índice da

REVISTA DA SEMANA por Luís Rocha

Revista da semana De 07/02/ a 13/02/2016 A leitura das notícias que publico esta semana fala por si e por isso me dispenso de comentários: ARTIGOS PUBLICADOS  1 – Economês  2 – Défice estrutural: magia negra  3 – Índice da

REVISTA DA SEMANA por Luís Rocha

Revista da semana De 31/01/ a 06/02/2016 O tema principal da semana foi o do “jogo” Portugal/Bruxelas, sobre o orçamento do Estado português para 2016. De acordo com a comunicação feita ao país na passada sexta-feira pelo Ministro das Finanças

REVISTA DA SEMANA por Luís Rocha

Revista da semana De 31/01/ a 06/02/2016 O tema principal da semana foi o do “jogo” Portugal/Bruxelas, sobre o orçamento do Estado português para 2016. De acordo com a comunicação feita ao país na passada sexta-feira pelo Ministro das Finanças

O MAPA DOS HUMANOS por Luísa Lobão Moniz

Era uma vez uma manta feita aos quadradinhos, círculos, pentágonos….todos diferentes, mas com alguns diferentes iguais. Esta manta era muito colorida, era o orgulho da Natureza. Um dia, um diferente pensou que não precisava de estar sempre ao pé dos

O MAPA DOS HUMANOS por Luísa Lobão Moniz

Era uma vez uma manta feita aos quadradinhos, círculos, pentágonos….todos diferentes, mas com alguns diferentes iguais. Esta manta era muito colorida, era o orgulho da Natureza. Um dia, um diferente pensou que não precisava de estar sempre ao pé dos

MUROS E ARAME FARPADO por Luísa Lobão Moniz

Os refugiados da Síria fogem da guerra, da fome, da falta de escolas, da escassez de recursos médicos, fogem desesperadamente como todos os refugiados…preferem morrer a voltar para trás, mas voltam para trás em troca da entrega dos seus filhos

MUROS E ARAME FARPADO por Luísa Lobão Moniz

Os refugiados da Síria fogem da guerra, da fome, da falta de escolas, da escassez de recursos médicos, fogem desesperadamente como todos os refugiados…preferem morrer a voltar para trás, mas voltam para trás em troca da entrega dos seus filhos

AS CAUSAS DE UMA BANDEIRA por Luísa Lobão Moniz

Os acontecimentos sucedem-se e entrelaçam-se fazendo uma teia que não se consegue romper, criam conexões entre si, como um rizoma, são complexos e  multidimensionais; servem-se de realidades que se entrecruzam, e conforme a pressão exterior podem criar linhas de fuga

AS CAUSAS DE UMA BANDEIRA por Luísa Lobão Moniz

Os acontecimentos sucedem-se e entrelaçam-se fazendo uma teia que não se consegue romper, criam conexões entre si, como um rizoma, são complexos e  multidimensionais; servem-se de realidades que se entrecruzam, e conforme a pressão exterior podem criar linhas de fuga