O PIOR DA CRISE JÁ PASSOU, VEM AÍ O CRESCIMENTO. É O QUE NOS DIZEM! por JÚLIO MARQUES MOTA

PARTE VI
(CONTINUAÇÃO)

Perguntas:

1.  A Holanda aparece descrita como o melhor aluno possível no modelo europeu e da globalização. Um país de referência para o neoliberalismo, quer vista na óptica europeia apenas, quer vista na óptica global. Como se compreende então este endividamento das famílias?

2 .  Se este excedente comercial é real e não o resultado de um trabalho estatístico, porque razão atacar agora a classe média holandesa em vez de lhe fornecer empregos condignos que evitem este massacre? Até se dispõe de excedentes externos a facilitar esta possível tarefa.

3 . Tudo aponta para que a Holanda mais cedo ou mais tarde, mas sempre num espaço de tempo de curto a médio-prazo, seja um dos próximos países a cair. Não podendo ser acusada de ser como os PIIGS, mas começando a reflectir os mesmos problemas, excepto quanto ao défice da balança corrente, mas aí, é um país de transito…, corroborando ENTÃO o puro exemplo do que é o sucesso do modelo neoliberal imposto por Bruxelas. Como consequência, como é então possível que possa ser a resposta a aplicar para os problemas de qualquer dos países membros? Não é verdade que desde há muito tempo a Holanda segue, como uma doutrina, a política de austeridade recomendada actualmente por Bruxelas? Não cortou ela no peso do Estado? Não cortou ela nos salários? Não é ela um modelo de crescimento via exportações? É tudo isto e, sendo assim, como explicam os neoliberais, este resultado final face ao que desta política seria esperado? Não é já tempo de dizer basta ao modelo que país a país nos vai condenando a todos a um retorno de esquemas do final do século XIX em nome da modernização no século XXI para além de que a passos largos pode levar a que Europa venha a ser uma colónia daqueles que se servem da sua política e do seu modelo e que assim a vão cercando, minando, fragilizando, como se pode exemplificar com os grandes países emergentes.

Mas a crise já a largámos ali ao virar da esquina! Dizem-nos.

4. Irlanda: um tratado de elegância, a nota da Moody’s

A agência de rating Moody’s anunciara a subida de um nível na notação atribuída à Irlanda para Baa3, justificando tal ato com a aceleração do crescimento económico e o lançamento do plano de ajuda internacional.

Todavia, esta também levantara a possibilidade desta nota passar de estável a positiva. “O potencial de crescimento da economia irlandesa e a consolidação orçamental em curso devem fazer baixar o rácio da dívida pública que tinha atingido recentemente o seu valor máximo,” argumentou a Moody’s.

O analista responsável da Moody’s para a Irlanda, Kristin Lindow, declarou à APF, que a perspectiva positiva concedida incita ao optimismo. “A melhoria na notação reflete o potencial de crescimento da economia irlandesa, que, com a consolidação orçamental deverá continuar a ser aplicada durante nos próximos anos, o que irá facilitar a redução dos níveis da dívida, que estão muito altos”. A Agência também cita a saída “a tempo” do plano internacional de ajuda fornecido pela Troika, com base num país restaurado “com um melhor poder de solvabilidade e o seu acesso aos mercados”. O ministro de Finanças irlandês, Michael Noonan, considerou que a melhoria do rating surge como uma confirmação da política seguida desde o eclodir da crise financeira global em 2008 e do marasmo económico a que ficou sujeito o antigo “tigre celta”. Como contraponto deste discurso, observe-se a Figura XII) e percebemos que entre os discursos dos políticos submetidos à ditadura dos princípios impostos por Bruxelas, sejam eles de direita ou de esquerda, e a realidade sobre a qual falam, não há nada de comum

Eis, uma “bela imagem” da Irlanda

Figura XII) – Evolução do rácio da Dívida Publica/PIB da Irlanda

Tabela III) Dados Macroeconómicos

piordacrise - XX

Quem perceber a lógica do comunicado da agência de rating que o explique então.

Repita-se: Mas a crise já a largámos ali ao virar da esquina! Dizem-nos

(continua)

______

Para ler a Parte V deste trabalho de Júlio Marques Mota, publicada ontem em A Viagem dos Argonautas, vá a:

http://aviagemdosargonautas.net/2014/02/17/o-pior-da-crise-ja-passou-vem-ai-o-crescimento-e-o-que-nos-dizem-por-julio-marques-mota-5/

About joaompmachado

Nome completo: João Manuel Pacheco Machado

One comment

  1. Pingback: O PIOR DA CRISE JÁ PASSOU, VEM AÍ O CRESCIMENTO. É O QUE NOS DIZEM! por JÚLIO MARQUES MOTA | A Viagem dos Argonautas

Leave a Reply

%d bloggers like this: