CELEBRANDO SOPHIA – 2 – por Álvaro José Ferreira

Nota prévia:

Para ouvir os poemas de Sophia (os recitados e os cantados), há que aceder à página http://nossaradio.blogspot.com/2014/07/celebrando-sophia-de-mello-breyner.html e clicar nos respectivos “play áudio/vídeo”.

Celebrando Sophia de Mello Breyner Andresen

 

 

Imagem1Sophia fotografada em 1940.

Capa do livro “Sophia de Mello Breyner Andresen: Uma Vida de Poeta” (Editorial Caminho, 2011), catálogo da exposição que esteve patente na Biblioteca Nacional, de 26 de Janeiro a 30 de Abril de 2011. «Na minha infância, antes de saber ler, ouvi recitar e aprendi de cor um antigo poema tradicional português, chamado Nau Catrineta. Tive assim a sorte de começar pela tradição oral, a sorte de conhecer o poema antes de conhecer a literatura. Eu era de facto tão nova que nem sabia que os poemas eram escritos por pessoas, mas julgava que eram consubstanciais ao universo, que eram a respiração das coisas, o nome deste mundo dito por ele próprio.» Sophia de Mello Breyner Andresen (excerto inicial de “Arte Poética V”, in “Ilhas”, Lisboa: Texto Editora, 1989)

<nbsp;

 

Na efeméride dos 10 anos da morte de Sophia de Mello Breyner Andresen (http://purl.pt/19841/1/), registamos com agrado que a Antena 1 tenha transmitido alguns dos seus poemas em voz própria, depois dos noticiários, e feito a cobertura em directo da cerimónia solene ocorrida no Panteão Nacional, da qual o momento mais emocionante foi aquele em que ecoou nas paredes do monumento a voz de Sophia (gravada em finais da década de 1950) dizendo a sua poesia.

No entanto, temos de apontar o dedo à ‘playlist’ por não incluir uma única das mais de quarenta canções com poemas de Sophia que até à data foram gravadas em disco. O blogue “A Nossa Rádio” faz o serviço público de apresentar muitas delas (num grande eclectismo de géneros e estilos), complementadas com poemas recitados.

Leave a Reply