IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (121)

 

OU O QUE QUER QUE SEJA

 

 

Tenho

Atravessado na garganta

O desejo melodioso da flauta

O sereno silêncio do assobio

E o sabor gracioso de uma cereja.

.

Tenho-te a ti, rosa branca

Água da manhã, bebida santa,

Telhado, pinhal, peixe de rio,

Calmo murmúrio de uma igreja.

.

Tenho

Deitados na minha manta,

O mudo sabor de um arrepio,

Um grito, um pássaro, um pouco de frio,

O cheiro do pomar, ou o que quer que seja.

.

.

.

 

About José Fernando Magalhães

Escrevo e fotografo pelo imenso prazer que daí tiro

3 comments

  1. Pingback: IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (121) | joanvergall

  2. Adriano Silva

    Parabéns!

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: