Posts Tagged: manoel de oliveira

CINEMATECA – ESTE FIM DE SEMANA – SÁBADO, 26 de JANEIRO, 15.30 e 21.30

26/01/2019, 15H30 | SALA M. FÉLIX RIBEIRO DOUBLE BILL THE FOUNTAINHEAD | COLUMBUS THE FOUNTAINHEAD Vontade Indómita de King Vidor com Gary Cooper, Patricia Neal, Raymond Massey, Kent Smith Estados Unidos, 1949 – 112 min / legendado em português COLUMBUS

MUSEU DO NEO-REALISMO – CICLO DE CINEMA REALISMOS CONTEMPORÂNEOS – “O CINEMA, MANOEL DE OLIVEIRA E EU”, de JOÃO BOTELHO – SEXTA-FEIRA, 10 de NOVEMBRO, pelas 21.30, em VILA FRANCA DE XIRA.

  Integrado no Ciclo de Cinema Realismos Contemporâneos, no próximo dia 10 de novembro, pelas 21h30, o MNR apresenta ao público o documentário “O Cinema, Manoel de Oliveira e Eu” de João Botelho. “Uma fotografia velha, de 36 anos. A mão

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – PASSEIO: A LISBOA DE MÁRIO DIONÍSIO – OFICINA DE RETRATO: DESENHO – A PALETA E O MUNDO – CINEMA: A CARTA

Sábado, 15 de Outubro, 15h Ser livre em pleno salazarismo não era nada fácil: o controlo asfixiante, a censura, havia a PVDE/PIDE e qualquer voz contra era logo calada, reduzida ao silêncio. Mário Dionísio era um espírito livre, atravessou toda

“VISITA OU MEMÓRIAS E CONFISSÕES”, FILME PÓSTUMO DE MANUEL DE OLIVEIRA, DIA 4 DE MAIO, ÀS 18:30, NO PORTO E DIA 5, ÀS 21:30, EM LISBOA

Realizado no início dos anos oitenta para ser visto como filme póstumo, VISITA OU MEMÓRIAS E CONFISSÕES levou Manoel de Oliveira a filmar a casa da Rua Vilarinha, no Porto, projectada pelo arquiteto José Porto, que fez construir e foi

A NOSSA RÁDIO – Em Memória de Manoel de Oliveira – Adenda e Rectificação – por Álvaro José Ferreira

– Andando no Google Videos a ver se entretanto foi carregado algum dos filmes de Manoel de Oliveira em falta, tropecei num documentário que achei muito interessante e tratei de introduzir no ‘post’. Uma vez que data de 1981, e

Capa da edição videográfica (VHS) do filme “‘Non’, ou a Vã Glória de Mandar” (Atalanta Filmes, 1992)

38 Bem vês as Lusitânicas fadigas, Que eu já de muito longe favoreço, Porque das Parcas eu sei, minhas amigas, Que me hão-de venerar e ter em preço; E, porque tanto imitam as antigas Obras de meus Romanos, me ofereço

A NOSSA RÁDIO – Em Memória de Manoel de Oliveira – 4 – por Álvaro José Ferreira

— 30 Muitos destes meninos voadores Estão em várias obras trabalhando: Uns amolando ferros passadores, Outros, hástias de setas delgaçando. Trabalhando, cantando estão de amores, Vários casos em verso modulando; Melodia sonora e concertada, Suave a letra, angélica a soada.

A NOSSA RÁDIO – EM MEMÓRIA DE MANOEL DE OLIVEIRA – 2 – por Álvaro José Ferreira

Na hora da despedida a Manoel de Oliveira [>> filmografia no IMDB e dossier no “Público”], a rádio pública rendeu-lhe a devida homenagem, com a emissão de alguns programas consagrados ao cineasta, o que é motivo de satisfação. Tratar de

A NOSSA RÁDIO – Em memória de Manoel de Oliveira (1908-2015) – por Álvaro José Ferreira

———– «Manoel de Oliveira era mais novo do que o próprio cinema, mas não muito. Treze anos, para sermos precisos, o que é isso diante de vidas que duraram mais de um século e, em comum, mais do que qualquer