UMA RARA FRANQUEZA

Selecção, tradução e introdução por Júlio Marques Mota

Um grande banqueiro, aquele que Obama ainda agora considera um dos mais importantes de todos eles, apertado numa Comissão de inquérito, responde a um eleito do povo sobre as recentes perdas brutais de milhares de milhões com operações conduzidas a partir do maior paraíso fiscal do mundo: Londres.  Respostas que vale a pena ler.

Júlio Marques Mota

6. Uma  rara  franqueza: audição   de  Jamie Damon PDG de JP Morgan  conduzida  por  um deputado  americano, Gary Ackerman,  a 11 de Julho de 2012.

Gary Ackerman, eleito para o Congresso dos Estados Unidos, um membro de longa data da Comissão de Serviços Financeiros, interrogou o Presidente do JP Morgan, Jamie Dimon, e colocou as mãos na lama ao contrário de muitos outros políticos que têm outros objectivos, outros interesses, seja nos Estados Unidos na França em Portugal  ou num outro país   qualquer:

Gary Ackerman: Na sua opinião apostar é a mesma coisa que investir ?

James Dimon: Não. Não é.

GA: Qual é então a diferença com apostar  – se puder, seja rápido.

JD: Eu suponho que se estamos a apostar , em média então  perdemos,  enquanto a casa  , essa ganha..

[…]

GA: Eu estarei de acordo consigo, com o que pensa sobre o assunto. Mas parece-me que nós tratamos as duas pessoas  da mesma maneira. Durante muito tempo  pensei que toda a gente em  Wall Street estava ao mesmo nível, se tratavam de igual para igual.  Que isso facilitaria o investimento. Que isso permitia que as pessoas e empresas colocassem o seu  dinheiro em algo em  que acreditavam e em que acreditavam ser  útil e benéfico e cresceria e daria dinheiro a ganhar e particularmente que iria ajudar a economia e, neste  processo, iria criar muitos postos de trabalho e iria ser bom para o país e para a América.

Agora muito do que nós fazemos é estar a cobrir  as  nossas posições [cobertura] – e você pode chamar a isto  proteger o seu investimento ou o que lhe quiser chamar  – mas trata-se  essencialmente de apostas. Aposta-se pura e simplesmente que pode ter estado errado. Isto não ajuda mais ninguém a ter sucesso. Isto não incentiva mais nada. Isto cria a possibilidade de que as pessoas se interrogarem sobre se os senhores de Wall Street sabem realmente o que estão a  fazer, uma vez que estão a  apostar  contra as suas apostas iniciais. E, em seguida, se o senhor se cobre contra a sua cobertura, isto  significa que o senhor estará a apostar contra a sua segunda aposta que foi feita contra a sua primeira aposta – isto para mim mais  parece estar a lançar dardos a um alvo e a arriscar  muito dinheiro, simplesmente para o caso de o senhor se ter enganado no início.

Não vejo como é que isso cria postos de trabalho para a América. Não vejo como é que isso ajuda a economia americana. Não vejo como é que isso ajuda o mercado de habitação ou o mercado de construção ou o mercado para produtos metálicos  ou que quer que seja. Uma percentagem infinitesimal.

O que ajuda é que, se o senhor tivesse razão na maioria das vezes, então tínha-se enganado em muitas mais vezes enquanto todas as protecções das protecções das protecções que o senhor faz, todas elas significariam um enorme pacote grande de dinheiro para os tipos que teriam apostado contra si e isto não ajuda o negócio, a indústria, a economia ou o país. E se o senhor estivesse errado, colocava sistematicamente tudo em perigo. E quando digo tudo, refiro-me à confiança que o povo americano, o público, a Comunidade de investidores e os outros têm no sistema. E é um risco contra o qual o senhor não é capaz de se poder cobrir. Porque por mais cobertura que faça, cobertura sobre a cobertura que já ela mesma  cobertura  da cobertura…  mais são as questões que suscita  quanto à  credibilidade do seu investimento inicial. […] Não faria o senhor uma melhor coisa, não teria um melhor emprego se o senhor avaliasse esse investimento muito mais claramente mas com um dos seus próprios milhares de milhões?

Jamie Dimon : No caso presente, sim..

——————————————————-

Outro diálogo, que foi a escolha do New York Times

Gary Ackerman: Qual é a diferença entre apostar e investir ?

Jamie Dimon: Penso que quando o senhor aposta, o senhor habitualmente perde a favor da  casa .

G. Ackerman: É a minha experiência com os meus investimentos.

Jamie Dimon:  Eu terei muito prazer em ser o seu conselheiro financeiro .

Rep. Ackerman: ” Onde é que isso é diferente de ir até aos casinos de Las Vegas?”

Jamie Dimon : Nós não jogamos, não cometemos esses erros.”

E o New York Times dá um exemplo de como o investidor perde, de como, por outro lado,  a casa pode  ganhar.

No Verão de 2007, já com os primeiros tremores da crise financeira a sentirem-se  em Wall Street,  os altos quadros de  JPMorgan Chase emitem para a sua direcção sinais de alarme  sobre um veículo especial, Sigma .. Sigma. Mas o banco não quis levantar os 500 milhões em activos de clientes que ele tinha colocado em Sigma, dois meses antes.

O resultado? Sigma faliu.  Os clientes perderam praticamente todo o dinheiro investido e  JP Morgan ganhou aproximadamente 1,9 milhares de milhões, segundo consta de  um processo movido contra o banco. Apesar dos sinais de alarme ou talvez devido a eles ,  Jamie Damon emprestou a Sygma muitos milhões de dólares ficando com activos como colateral, como garantia de muitos mais milhões. E assim se ganhou muito dinheiro enquanto os seus clientes perderam praticamente tudo. Essa história como tantas outra  é bem contada pelo New York Times.

Este é precisamente um exemplo particularmente caro de que os apostadores perdem para a casa, um exemplo ao que se referia possivelmente  Jamie Dimon, o Presidente do JpMorgan.

Leave a Reply