Dos conhecimentos básicos em finança à opacidade e complexidade do mundo financeirizado – Uma exposição e uma análise crítica. Parte III – A finança ao serviço da sociedade e não a sociedade ao serviço da finança – 3. Investir não é andar a apostar (8ª parte). Por Finance Watch

Jan Brueghel the Younger Satire on Tulip Mania c 1640

Jan Brueghel the Younger, Satire on Tulip Mania, c. 1640

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota

Parte III – A finança ao serviço da sociedade e não a sociedade ao serviço da finança.

Parte III texto 3 1 investing not betting

3. Investir não é andar a apostar (8ª parte)

Colocando os mercados financeiros ao serviço da sociedade. Tomada de posição sobre MiFID 2/MiFIR, a Diretiva relativa aos mercados de instrumentos financeiros

 

Por Finance Watch, 24 de abril 2012

Autor: Benoît Lallemand. Editores: Thierry Philipponnat, Greg Ford, Emily McCaffrey

(8ª parte)

II. Os mercados de hoje e o impacto de MiFID 1 (continuação)

(…)

C. Terá a MiFID 1 contribuído para a existência de mercados mais eficazes?

A MiFID 1 incrementou a concorrência…

A questão que abordaremos agora é: como é que o paciente (a economia da UE) se está a comportar seis anos depois de se ter iniciado o tratamento? Vamos limitar o nosso exame à doença identificada na época: uma menor dependência do financiamento baseado no mercado. Para complicar as questões, o paciente sofreu entrementes uma importante crise – e ainda se encontra em estado de choque – pelo que não é nada fácil isolar a evolução dessa doença e a eficácia dos medicamentos da MiFID 1. No entanto, podemos tirar algumas conclusões.

Parece haver um consenso público para considerar a MiFID 1 uma Diretiva de sucesso, à medida que a concorrência se tornou uma realidade e os custos por transação diminuíram. A própria Comissão decidiu não questionar a lógica fundamental da MiFID 1 descrita acima quando elaborou a MiFID2, mas apenas para se concentrar nas “falhas visíveis”.[32] Como o desenvolvimento recente da economia da UE fala por si próprio, observamos que o que é chamado de “sucesso” é apenas a evidência de que o medicamento tem estado a ser aplicado – não há nenhum sinal de que a doença está a desaparecer.

Usaremos como quadro para a avaliação (não exaustiva) dos valores de função e fundamentais dos mercados financeiros definidos no capítulo I.

Canalização da poupança e alocação de capital

Embora esta seja uma função fundamental dos mercados financeiros, o texto da MiFID 1 não contém disposições específicas para o funcionamento dos mercados primários. Também referimos que a concorrência ao nível das bolsas de valores tem sido o centro de foco de atenção na apreciação dos resultados da MiFID 1. E não há dúvida de que se conseguiu, com sucesso, administrar o medicamento. Infelizmente, os seus efeitos foram contrários aos esperados nesta área, como o Financial Times escreveu numa sua peça de análise no ano passado:

… mas não as empresas cotadas

Na Europa e nos EUA, o número de novas empresas a serem cotadas, ou a flutuação de novas ações nas bolsas de valores em ofertas públicas iniciais, diminuiu acentuadamente nos últimos cinco anos – em Londres, caiu mais da metade. Ao mesmo tempo, as empresas que apoiam a entrada em bolsa e a negociação de ações transformaram-se num ecossistema complexo. As bolsas lucrativas, por exemplo, mudaram a sua atenção para a fusão com as seus rivais, além de criarem novas fontes de rendimentos, como produtos derivados e operações de “alta frequência” realizadas num piscar de olhos usando algoritmos sofisticados… [33]

O declínio de novas empresas cotadas em bolsa é anterior à crise

Claramente, a crise financeira desempenhou um papel significativo nesta anemia dos mercados primários, mas a questão é mais antiga do que a crise. Um estudo realizado pela Autorité des Marchés Financiers da França (AMF), publicado em 2005, demonstrou que as bolsas de valores não foram de grande ajuda na captação de capital na primeira metade da última década. De facto, nos EUA, os mercados de ações levaram mais capital para fora da economia do que aquele que trouxeram para dentro dela (impacto negativo líquido), tendo em conta os programas de recompra de ações.

Parte III texto 3 10

Isto também demonstra que o fraco desempenho dos mercados primários era óbvio antes da implementação da MiFID 1 – isto é, quando a Diretiva estava a ser elaborada e negociada. Isso tem a ver com a relação entre empresas e investidores e o apetite das sociedades de investimento em apoiar e defender os processos de oferta pública inicial (IPO). Mas parece razoável concluir que a MiFID não contribuiu para melhorar a situação.

O modelo de negócio das bolsas de valores

O modelo de negócios das bolsas de valores passando de instituições de propriedade mútua para o de empresas cotadas, põe em causa a sua função de utilidade pública. Pode-se argumentar que, enquanto as antigas bolsas de valores nacionais obtinham uma renda resultante “do monopólio nas transações” concedido (em alguns Estados-Membros), na verdade, esta renda “subsidiou” atividades menos lucrativas, incluindo IPOs e a vigilância do mercado. Embora isto exigisse uma análise mais aprofundada, o raciocínio poderia levar-nos à ideia de que taxas de transação mais elevadas não apenas desincentivam as estratégias especulativas (ver Keynes acima), mas também podem ajudar a financiar certas funções de uma bolsa de valores que tenham uma vertente de interesse público.

(continua)

“Investing not betting”, disponível em  http://www.finance-watch.org/press/press-releases/328-investing-not-betting-fw-position-paper/

Notas

[32]  “Uma análise exaustiva dos preceitos subjacentes e os elementos constitutivos fundamentais da MiFID não é nem necessária nem adequada apenas alguns anos depois da sua entrada em vigor. Uma vez que a experiência no meio da crise e dos desenvolvimentos tecnológicos em anos recentes nem justificaram nem invalidaram os seus preceitos básicos e disposições, propõe-se uma abordagem dirigida à reparação das falhas visíveis.” MiFID Impact Assessment, p. 6.

[33]  The Financial Times, ‘A Market less efficient’, 13/11/2011.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: