OS DESEMPREGADOS DO NOSSO PAÍS DE QUE NINGUÉM FALA, por EUGÉNIO ROSA

 

OS DESEMPREGADOS DO NOSSO PAÍS DE QUE NINGUÉM FALA

 A redução do desemprego em Portugal, embora conseguida também à custa da criação de empregos com salários muito baixos e da emigração que continua, é um fator positivo. No entanto, os números oficiais de desemprego das estatísticas publicadas pelo INE, que os órgãos de comunicação social habitualmente referem, não traduzem a verdadeira dimensão do desemprego atual em Portugal, e estão muito longe de revelar a situação real que continuam a viver centenas de milhares de portugueses que não encontram trabalho apesar das declarações em contrário dos patrões e que são ignorados perante a “euforia” da redução da taxa de desemprego de que apenas se fala esquecendo o resto.

 

623,3 MIL PORTUGUESES NO DESEMPREGO MAIS 200,1 MIL A VIVER DE BISCATES

 

35.000 MILHÕES € ANUAL DE RIQUEZA NÃO PRODUZIDA DEVIDO À SUBUTILIZAÇÃO DO TRABALHO EM PORTUGAL

Se se tiver presente que cada empregado produz em média anualmente, em Portugal,  cerca de 42.000€ de riqueza a preços correntes, é fácil de concluir que a perda para o país, em riqueza não produzida, deverá atingir os 35.000 milhões € por ano, o que corresponde a 18% do PIB, devido à subutilização do trabalho. Mas as perdas não se limitam apenas a estas. E isto porque, só em ordenados e salários perdidos por estes trabalhadores que continuam a não encontrar um emprego digno o montante deverá ultrapassar os 12.000 milhões € por ano. Se juntarmos a tudo isto, os impostos que não são pagos porque a riqueza não é criada pelo trabalho subutilizado e os subsídios que se pagam aos desempregados, a perda para os portugueses e para o país é enorme.

A TAXA DE COBERTURA DO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO CONTINUA A SER MUITO BAIXA E O SUBSÍDIO MÉDIO É MUITO INFERIOR AO SALÁRIO MÍNIMO

Um aspeto grave da situação em que vivem os desempregados no nosso país é a reduzida  percentagem daqueles que recebem o subsidio de desemprego, que não melhorou mesmo com este governo como revelam os dados oficiais do quadro 2:

Quadro 2 – Taxa de cobertura do subsídio de desemprego em relação ao desemprego oficial e ao desemprego real – 2015/2017

O DESEMPREGO É A PRINCIPAL CAUSA DA POBREZA EM PORTUGAL

Os dados do quadro 3, divulgados em Novembro de 2017 pelo INE sobre a pobreza em Portugal, revelam que os baixos salários e o desemprego são causas importantes da pobreza no nosso país.

 

Em 2016/2017, 10,8% dos trabalhadores empregados viviam com um rendimento abaixo do limiar da pobreza que era, em 2016,  de apenas 388,7€/mês (14 meses).

Mas a situação mais grave de pobreza no nosso país é a dos desempregados em que 44,8% viviam no limiar ou abaixo do limiar de pobreza e, como revelam os dados do INE, a situação tem-se agravado mesmo com o atual governo. É a consequência da insuficiente cobertura do subsidio de desemprego que urge alterar. Uma questão grave e importante que atinge cerca de 623 mil portugueses que continua a ser ignorada e era necessário que não fosse pois ela é a causa da pobreza em que vivem atualmente mais de 623.000 portugueses segundo o próprio INE.

Eugénio Rosa

24-2-2018

edr2@netcabo.pt

 

About joaompmachado

Nome completo: João Manuel Pacheco Machado

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: