O IMPACTO DA RECESSÃO OU MESMO DA DEPRESSÃO PROLONGADA DA ECONOMIA, CAUSADA PELO “CORONAVÍRUS” QUE A PARALISOU, VAI SER DESIGUAL A NÍVEL DO PAÍS, DEVIDO ÀS PROFUNDAS ASSIMETRIAS REGIONAIS EXISTENTES, E TAMBÉM PARA OS PORTUGUESES DEVIDO ÀS DESIGUALDADES SOCIAIS QUE SE AGRAVARAM APÓS A CRISE DE 2008 – por EUGÉNIO ROSA

AS PROFUNDAS ASSIMETRIAS (desigualdades) REGIONAIS QUE CONTINUAM A EXISTIR NO NOSSO PAÍS DETERMINARÃO QUE OS EFEITOS DA CRISE, EMBORA ENORMES PARA TODOS, SEJAM DESIGUAIS A NIVEL DE CADA REGIÃO E PARA CADA CLASSE SOCIAL

A QUEBRA SIGNIFICATIVA DAS REMUNERAÇÕES DOS TRABALHADORES EM “LAY-OFF” E O PLANO E AS EXIGÊNCIAS OBSCENAS DA CIP

PORTUGAL, UM PAÍS COM 1,7 MILHÕES DE PORTUGUESES JÁ A VIVEREM NO LIMIAR DA POBREZA (com rendimentos até 429,57€/mês) E EM QUE 42% DOS DESEMPREGADOS JÁ ESTÃO NA POBREZA

UMA ENORME SUBUTILIZAÇÃO DO TRABALHO EM PORTUGAL JÁ ANTES DA CRISE

Leave a Reply