UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (203)

O PORTO EM IMAGENS (39)

 

BANCOS DE PEDRA

 

 

TELHADOS

 

 

 

 

 

EMA

 

.

.

.

AINDA VENS A TEMPO, TAP?

FRANCESINHA, PAULA, MICHELIN, MOTA, REIS, TASTE, PORTO, TERMINAL DE CRUZEIROS.

CHARME(!!!???)

E tripas, Sr. Fernando Pinto, esqueceu-se? E literatura, e música, e, e, e, …!

Achas que vens a tempo, TAP, agora que não precisamos de ti para nada? Ou lembraste-te que a EMA até pode ser que venha para cá? Ou que afinal nós somos mesmo um destino interessante e importante? Ou simplesmente estás a perder dinheiro por teres dado tiros nos pés e queres arrepiar caminho?

Bem, de qualquer forma, mais vale tarde do que nunca. Sê bem-vinda, se vieres por bem!

.

.

 

RUTH ESCOBAR FALECEU EM SÃO PAULO NO DIA 5 DE OUTUBRO

RUTH ESCOBAR

DE CAMPANHÃ PARA O MUNDO

Maria Ruth dos Santos Escobar (Campanhã, 31 de Março de 1935 — São Paulo, 5 de Outubro de 2017), que nunca abdicou da cidadania Portuguesa, foi uma actriz e produtora cultural luso-brasileira. Tornou-se uma actriz de destaque e uma das mais importantes produtoras culturais do Brasil e destacada personalidade do teatro brasileiro, empreendedora de muitos projectos culturais especialmente comprometidos com a vanguarda artística. Mulher de enorme coragem e determinação, culta e fascinante, nasceu numa família pobre e emigrou com sua mãe para o Brasil, em 1951. Tinha dezasseis anos. Casou-se com o filósofo e dramaturgo Carlos Henrique Escobar.
Em 1958, ela e o marido partiram para a França, onde Ruth fez cursos de interpretação. Ao retornar ao Brasil, montou companhia própria, a “Novo Teatro”, em parceria com o director Alberto D’Aversa.
Divorciada desde 1962, Ruth inaugurou, em 1964, o seu próprio teatro, que recebeu o seu nome. Entretanto casou-se com o arquitecto Wladimir Pereira Cardoso, que se tornou cenógrafo das produções da companhia.
Nos anos 1980, Ruth Escobar afastou-se parcialmente do teatro. Eleita deputada estadual para duas legislaturas, dedicou-se a projectos comunitários.
Em 2000, Ruth foi diagnosticada com a doença de Alzheimer.
Em São Paulo existe um teatro com o nome de “Teatro Ruth Escobar”, que ela ergueu na Bela Vista, e que foi palco privilegiado da Resistência e do novo Teatro Brasileiro.

.

 

.

About José Magalhães

Escrevo e fotografo pelo imenso prazer que daí tiro

One comment

  1. Pingback: UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (203) | joanvergall

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: