UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (240)

UM PASSEIO FORA DE PORTAS

 

VISITA AO TOM D´ELLA

 

Às vezes faço isso. Meto-me a caminho, umas vezes só, outras com companhia, e vou re-conhecer outros lugares.

Desta vez fui, acompanhado, re-visitar uma das regiões da minha predilecção.

Foi assim:

Porto (partida às 8,45h ), Viseu (Museu Almeida Moreira), Parada de Gonta (breve paragem) e Lobão da Beira. Aqui chegados realizou-se o momento cultural mais relevante, no Restaurante Passadiço, com a seguinte “Ordem de Trabalhos”:

Tábua de Enchidos e Queijos
Caldo Verde
Prato com a colaboração da Vitela à Moda de Lafões (vinda especialmente para estar connosco)
Salada de frutas
Vinho Tinto e Branco, Água(!) e refrigerantes (!?)
Café e Aguardente (!!!)

A seguir, visita ao Museu da Terra de Besteiros.

Seguiu-se ainda outro relevante momento cultural com uma recepção nas Caves Martinho Alves.

Regresso ao Porto, programado e cumprido, pelas 18h30.

 

A PRELECÇÃO, EM PLENA VIAGEM, DO NOSSO GENERAL
DR. JOSÉ VALLE DE FIGUEIREDO

À chegada a Viseu, fomos visitar a Casa-Museu Almeida Moreira (as fotografias que junto, do grupo excursionista, foram tiradas durante essa visita).

Esta casa tão portuguesa, Museu Almeida Moreira, onde viveu o professor e crítico de arte Francisco António Almeida Moreira, fundador do Museu Grão Vasco, foi ao seu tempo um espaço de reuniões da arte e da literatura, onde se cruzaram figuras emblemáticas do século XX, entre as quais Columbano Bordalo Pinheiro, Raul Lino ou Luciano Freire. O edifício alberga hoje parte do espólio da colecção que o antigo curador reuniu em vida, nomeadamente pinturas, porcelanas e faianças, esculturas e mobiliário, bem como uma vasta biblioteca.

 

UMA DAS SALAS DA CASA-MUSEU

 

Depois passamos em Parada de Gonta onde paramos junto ao busto de Tomaz Ribeiro, e dirigimo-nos a Lobão da Beira, para o almoço. Divinal, como seria de esperar. A vitela à Moda de Lafões, estava de comer e chorar por mais, e o serviço, eficiente, simpático e acolhedor, fazendo-nos pensar em voltar com mais amigos.

Durante toda a nossa visita tivemos a companhia do Sr. Luiz Sá (ADRCPG – Parada de Gonta), que nos transmitiu os seus muitos conhecimentos sobre a história dos locais por onde íamos passando, e durante o almoço, também a do Sr. Miguel Torres, Vereador da Cultura de Tondela, do Sr. Luís Fernando Pereira, Presidente da Junta de Parada de Gonta, e da Secretária da Junta, Sra. D. Sandra Santos e do Tesoureiro da mesma Junta de Freguesia, Sr. Paulo Matos.

Mais tarde dirigimo-nos a Tondela.

Lá visitamos o Museu Terra de Besteiros, situado no antigo Solar Casa de Sant’Ana, em pleno centro histórico de Tondela. Este espaço conta com uma exposição permanente distribuída por dois pisos.

O piso 0 dá a conhecer a evolução do Homem neste concelho, como demonstra um conjunto de artefactos e arte pré-histórica provenientes de sítios arqueológicos como por exemplo os da anta da Arquinha da Moura (Lajeosa do Dão) e os da estação de Arte Rupestre de Molelinhos (Molelos).

No piso 1 poderemos percorrer a História do Século XIX e XX, abordando a questão do desenvolvimento pré-Industrial, a chegada do Caminho de Ferro, o desenvolvimento do Caramulo e o aparecimento dos Sanatórios.

A visitar sem qualquer sombra de dúvida.

 

A tarde começava a ter cada vez menos horas, e a vontade de voltar era nenhuma, pelo que a nossa visita às Caves Martinho Alves, que entre muitas outras variedades produzem o vinho D. Jaime, foi mais um momento de sã convivência e de captura de conhecimentos. Fomos muito bem recebidos pelo Sr. Martinho Alves, dono das Caves, e pelo Eng. Manuel Camoez, enólogo. Encontramos nestas Caves, um azulejo, datado de 1924, da autoria de Jorge Colaço, sem igual no que por aí temos visto nas obras por ele produzidas.

 

PAINEL DE AZULEJOS DE JORGE COLAÇO – 1924

 

Outras fotografias das Caves Martinho Alves

 

 

 

 

 

Quanto a Tondela, deixo-vos algumas fotografias do centro da cidade, para vos aguçar o apetite.

 

 

 

 

 

 

 

PAINEL DE AZULEJOS DA AUTORIA DE JORGE COLAÇO

 

 

 

O grupo:

 

 

 

 

 

.

.

.

PARA PASSEAR NO PORTO
PARA GUARDAR UMA MALA
PERTO DA ROTUNDA DA BOAVISTA

.

.

.

About José Fernando Magalhães

Escrevo e fotografo pelo imenso prazer que daí tiro

14 comments

  1. Pingback: UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (240) | joanvergall

  2. Luiz Sá

    Fantástica Reportagem!…E o Porto aqui tão perto!…..Viseu-Parada de Gonta -S.Miguel do Outeiro-Sabugosa-Canas de Santa Maria-Lobão da Beira-Tondela.

    Obrigado pela Visita…. A Cultura e a Gastronomia num belo dia . Luiz Sá ADRC Parada de Gonta

    Liked by 1 person

  3. Adriano Silva

    Adorei! Só tenho pena de não o ter acompanhado! Bons passeios e boas crónicas de viagem!

    Liked by 1 person

  4. Fernando Manuel de Figueiredo

    Zé,magnífico passeio cultural,gastronómico,de recordar e de rever o já vivido.
    Um abraço para ti e um beijinho à Gabriela.
    Fernando

    Liked by 1 person

  5. RosaSoares

    Belíssima reportagem…Obrigada…

    Liked by 1 person

  6. irene costa marques

    Ótimas fotos e boa reportagem de um dia muito agradável de convívio cultural e gastronómico…

    Liked by 1 person

  7. Inácio M. Sousa

    Lamento que não divulguem com antecedência estas visitas pois que gostaria de participar. Mas enfim…

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: